Andrés promete resolver Arena, pagar por gringos e FGTS; Corinthians quita Araos

Tiago Salazar - São Paulo,SP

17-07-2020 17:54:24

Andrés Sanchez costuma dizer que voltou à presidência do Corinthians para resolver as pendências que remetem à Arena construída em Itaquera. Com a pandemia do coronavírus, algumas negociações que estavam em curso foram abaladas, mas o mandatário admitiu, nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, que está convicto de que obterá êxito na empreitada até o fim de novembro.

“Com certeza vamos resolver o problema da Arena. Com a Caixa eu não tive reunião nenhuma. É jurídico e financeiro. Estou esperando oficializar documentalmente o acordo com a Odebrecht da outra parte. Ai sim eu e o (presidente do Conselho Deliberativo, Antônio) Goulart vamos na Caixa, e o torcedor pode ficar tranquilo, será resolvido, apesar de algumas pessoas estarem trabalhando contra. Depois, vamos dar nome de quem está prejudicando”.

Além disso, Andrés Sanchez falou sobre as situações de Bruno Méndez e Victor Cantillo. O Corinthians precisa pagar a terceira parcela, no valor de 1,5 milhão de dólares, ao Wanderes pelo zagueiro uruguaio. Já o Junior Barranquilla aguarda até o fim deste mês o pagamento de 600 mil dólares que estão ligados a segunda parcela de Cantillo.

Ainda há pendências com Torino e Dínamo de Kiev por causa de compromissos firmados por Danilo Avelar e Sidcley, respectivamente.

“Bruno Méndez e o Cantillo nós vamos pagar este mês e os outros dois (Avelar e Sidcley) em agosto ou setembro, já conversamos com os clubes”.

Roberto Gaviolli, gerente financeiro do Corinthians, aproveitou para revelar que o clube já quitou a compra do chileno Ángelo Araos junto a Universidad de Chile. O custo da operação total foi de aproximadamente R$ 17 milhões.

“Sobre Araos, não tem mais nada a pagar. Honramos no fim do ano passado ou começo deste ano”, explicou Gaviolli.

Questionado sobre a ausência de pagamento ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), Andrés Sanchez reconheceu que tomou a decisão de não honrar com os depósitos.

Giovanni Augusto entrou com uma ação para cobrar quase R$ 1 milhão neste sentido e o balanço de 2019 apresentou uma dívida de R$ 110 milhões relacionada a FGTS e Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).

“Culpa não é do financeiro. É minha. Fiz opção e não pagar, o processo de Fundo é o Giovanni Augusto e vamos quitar a maioria”, avisou Andrés.


 

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?