Após “explodir” em 2014, James volta ao Brasil para retomar alto nível

Tomás Rosolino - São Paulo , SP
19/06/2019 05:00:54

Em: Colômbia, Escolha do editor

James Rodríguez é uma das estrelas da Copa América, mas chegou para a competição no pior momento desde que se destacou justamente no Brasil, na disputa da Copa do Mundo, cinco anos atrás. Em busca de uma retomada na carreira, o armador, que encara o Catar, nesta quarta-feira, às 18h30 (de Brasília) no estádio do Morumbi, espera que os “ares” do país possam lhe fazer o mesmo bem que fizeram em 2014.

Então com 23 anos de idade, James não reunia tanta expectativa para o Mundial em terras brasileiras, mas dominou as ações. Artilheiro da competição, guiou a Colômbia até as quartas de final, na melhor participação da equipe em uma edição do torneio, e saiu dali preparado para o estrelato no Real Madrid. O problema é que, depois disso, não conseguiu ser o mesmo pelos seus clubes.

Mesmo participando de uma era de ouro do clube madrilenho, passou longe de ter protagonismo nas duas Ligas dos Campeões conquistadas com os espanhóis. Sua saída da equipe para a entrada do brasileiro Casemiro, aliás, é vista como a mudança essencial para a arrancada que a equipe deu em 2016, no primeiro dos três títulos consecutivos.

Negociado com o Bayern de Munique, também não teve destaque no time alemão, começando como reserva na Copa do Mundo da Rússia pelo pouco tempo em campo na Baviera. Agora especulado em outras equipes do continente europeu, ele espera, prestes a completar 28 anos, usar de um torneio em solo brasileiro para mostrar toda a sua capacidade.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

“Eu não gosto de particularizar nenhum jogador, mas o James é um jogador muito importante para nós, teve uma temporada um pouco conturbada e o segredo é o próprio James, o trabalho que ele fez”, comentou o técnico Carlos Queiroz, confiante no que o clima nacional pode fazer ao seu meia.

“Fomos gradualmente construindo a sua recuperação da lesão. Agora está pouco a pouco a libertar-se para fazer um grande futebol. Espero que os ares de São Paulo o façam se sentir melhor. Depois o de Salvador, e, então, o do Maracanã (risos)”, avaliou, citando o local em que será realizada a final da competição, no dia 7 de julho, no Rio de Janeiro.