Futebol

Kleina acredita que Chape precisa de mais um meia e um atacante

São Paulo , SP
05/01/2018 18:51:36

Em: Chapecoense, Futebol
Gilson Kleina ajudou a Chape se classificar para a Libertadores (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

Depois de a Chapecoense apresentar o seu elenco na quarta-feira, o treinador Gilson Kleina deu sua primeira entrevista coletiva do ano nesta sexta-feira. Para o comandante de 49 falou das peças que a equipe catarinense ainda precisa e, entre os pedidos, estão um atacante e um meio-campista de criação.

“A gente ainda entende que precisa de mais um meia de organização e articulação. O Nadson é um meia-atacante, o Nenén um articulador, mas precisa preencher ainda um pouco mais. E um atacante, porque utilizamos o Wellington Paulista com o Arthur e o Perotti é um menino que vamos dar mais oportunidades. Vi alguns jogos dele, precisamos melhorar o posicionamento dele, para facilitar na ausência do Túlio de Melo”, declarou.

Além disso, Gilson Kleina analisou os cinco jogadores que chegaram ao clube. Na visão dele, as chegadas são de nomes que chegam para substituir os atletas que saíram.

“Vimos no Bruno Pacheco uma regularidade no Atlético-GO. Tem cruzamento, apoio, também no sistema defensivo, não trabalha bola parada, mas tem requisitos no jogo. O Eduardo fez um grande trabalho no Bahia, os números condizem para vestir a camisa da Chape. Vejo ele como um jogador experiente, que quer fazer sua história, ser vencedor, chega com fome também. O Vinicius e o Guilherme eram necessários pelas características. Não tínhamos intensidade de jogo, contra-golpe, velocidade quando optava. O Ivan vem em substituição ao Artur (Moraes), é um goleiro experiente”.

Nesta temporada, a Chapecoense irá disputar a Libertadores pelo segundo ano consecutivo, além da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro e do Campeonato Catarinense.