Seleção Brasileira Feminina

Vadão valoriza confiança no trabalho mesmo após resultados ruins

São Paulo , SP
16/05/2019 15:00:54

Em: Brasil, Futebol, Futebol Feminino

Nesta quinta-feira, o técnico Vadão anunciou as 23 jogadoras que irão defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo feminina, que acontece na França entre os dias 7 de junho e 7 de julho de 2019, e também se defendeu dos questionamentos quanto aos recentes resultados e a falta de triunfos. Segundo o comandante, o mais importante é a confiança no trabalho.

Em sua entrevista coletiva, Vadão exaltou o respaldo dado mesmo após a série de derrotas e elogiou a gestão da Confederação Brasileira de Futebol por manter tanto ele quanto o técnico Tite na Seleção masculina.

Vadão exaltou o respaldo dado pela CBF (Foto: Rener Pinheiro / MoWA Press)

“A diretoria me passou essa confiança. Essa gestão da CBF está fazendo totalmente diferente dos outras, o Tite foi mantido no masculino, coisa que não acontecia. E eu fui mantido depois dos resultados negativos, tive a confiança do presidente. É uma questão de confiança, tive um período negativo. Ganhamos torneios internacionais, o Pan-Americano. E tivemos vários jogos importantes que vencemos”, disse.

“Atravessamos um momento difícil, e a diretoria entendeu que no saldo era mais positivo do que negativo. Tenho experiência para lidar com isso, com esses momentos. A minha tranquilidade, que as jogadoras sentem, é a confiança que depositaram em mim”, completou Vadão.

O momento atual da Seleção feminina, porém, não é dos melhores. A última vitória aconteceu no dia 29 de julho de 2018, diante do Japão, por 2 a 1. Desde então, são nove derrotas consecutivas para países diversos, como Inglaterra, Estados Unidos, Escócia e Canadá. Dessa forma, em sua estreia diante das jamaicanas, as meninas carregarão um incômodo retrospecto sem vitórias. A última conquista foi a Copa América de 2018, a sétima da Seleção Brasileira.

O Brasil está no grupo C, junto de Austrália, Itália e Jamaica, esta última, aliás, será a primeira adversária das jogadoras brasileiras. O jogo acontece no dia 9 de junho, às 10h30 (de Brasília), em Grenoble. Para se classificar, a Seleção precisa terminar entre as duas melhores da chave ou entre as quatro melhores terceiras colocadas.

Membro do Grupo C, a Seleção Brasileira terá pela frente, na primeira fase, Austrália, Itália e Jamaica, adversária da estreia dia 9 de junho, às 10h30 (de Brasília), em Grenoble, na França.