Futebol

Tite critica gramado, organizadora dos jogos e logística da Seleção nos EUA

São Paulo , SP
11/09/2019 11:04:05

Em: Brasil, Futebol, Notícias, Peru

Apesar de ter saído de dois amistosos nos Estados Unidos sem vitória, a preocupação do técnico Tite era em outro aspecto, na madrugada desta quarta-feira após a derrota para o Peru. O treinador da Seleção Brasileira detonou o gramado do estádio Memorial Coliseum, em Los Angeles, e fez críticas à parceira da CBF, Pitch, organizadora do evento.

“Está errado, o gramado influencia no desempenho, não pode acontecer. Corre risco de lesão. Não é desculpa da derrota, não quero colocar isso. Não peguem só uma parte do que estou dizendo. Tem que matar no peito, assumir a derrota. O adversário montou estratégia e ganhou. Mas futebol de alto nível não pode acontecer. Não pode ter campo nessas condições”, reclamou Tite.

O estádio é a casa do Los Angeles Rams, que atual na Liga de Futebol Americano, a NFL, portanto o campo tinha as linhas da modalidade pintadas no gramado, que é um pouco mais baixo e duro. Ele, então, disparou contra a organizadora dos amistosos.

“Queria falar às pessoas responsáveis, e também tenho minha responsabilidade, antes conversei com o Juninho (Paulista, coordenador de seleções da CBF). A Pitch (empresa organizadora) precisa cuidar disso, sim. Tem de ter um campo melhor para jogar. Não pode ter um campo desse, não dá para ter um espetáculo num gramado desse. Dá para jogar ‘soccer’, dá para jogar de tênis”, acrescentou.

O técnico ainda teceu elogios ao estádio Banc of California, onde aconteceram os treinamentos, mas criticou o fato de os dois amistosos terem sido separados também por cinco horas de viagem de avião – o primeiro jogo aconteceu na sexta-feira, contra a Colômbia, em Miami.

“O mundo real é esse. É a nossa realidade. No mundo ideal não teria sido nada assim. Eu gostaria, e já falei para o pessoal, que jogássemos onde treinamos. E elogiei lá porque o gramado era muito bom e eu tenho que cuidar da Seleção. Como cuido na hora de dar oportunidades aos atletas, mas não posso me isentar dessa realidade. O desempenho individual pode ficar prejudicado, por mais capacidade que a gente tenha de cuidar deles depois. É desafiador, mas é o mundo real”, finalizou.

A Seleção Brasileira fez esses dois amistosos nos EUA e saiu de lá sem vitórias. Primeiro, empate contra a Colômbia por 2 a 2 e, nesta madrugada, revés de 1 a 0 contra o Peru. Foram os primeiros compromissos da equipe após a conquista da Copa América.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com