COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Deschamps é um dos concorrentes ao prêmio de melhor treinador (Foto: Frack Fife/AFP)

Apesar do título na Copa do Mundo da Rússia, a França não teve um representante entre os finalistas do prêmio de melhor do mundo. Os indicados ao título deste ano são: o português Cristiano Ronaldo, da Juventus, o egípcio Mohamed Salah, do Liverpool, e o croata Luka Modric, do Real Madrid. Para Didier Deschamps, treinador da seleção francesa, a escolha foi equivocada.

“Acho que deveria ter uma francês. Não só por ter ganhado a Copa mas também pela temporada que fizeram. Estou decepcionado por eles. Ao menos deveriam estar entre os três finalistas”, opinou em entrevista coletiva concedida no Centro de Treinamento do time, em Clairefontaine.

Em contrapartida, o comandante francês está entre os finalistas a melhor técnico, junto do compatriota Zinedine Zidane, ex-Real Madrid, e do croata Zlatko Dalic, responsável por levar seu país ao inédito vice-campeonato mundial.

Veja também: Barcelona defende Messi após ausência em prêmio: “Ele é o melhor”
Veja também: Sem Messi, Fifa divulga três finalistas do prêmio de melhor jogador

Reunida pela primeira vez desde a conquista da Copa do Mundo, a França se prepara para enfrentar a Alemanha em partida amistosa nesta quinta-feira. Quatro dias depois, o time encara a Holanda, pela primeira rodada da Liga das Nações, torneio recém-criado pela Uefa.




Técnico Deschamps convocou 22 campeões do mundo para as 23 vagas da seleção para a disputa da Liga das Nações (Foto: Franck Fife/AFP)

A França foi campeã da Copa do Mundo em 15 de julho desde ano e, nesta quinta-feira, o técnico Didier Deschamps convocou pela primeira vez após a conquista do título os jogadores que disputarão a Liga das Nações, competição que terá sua primeira edição neste ano. Dos 23 chamados, 22 estiveram no plantel vencedor do Mundial na Rússia.

O goleiro e capitão Lloris, Pavard, Varane, Pogba, Griezmann e o jovem Mbappé estão na lista. O desfalque ficou por conta do arqueiro Steve Mandanda, do Olympique de Marselha, que está se recuperando de uma lesão muscular. Em seu lugar, Deschamps chamou Benoit Costil, do Bordeaux. “Se não tivesse contundido, Steve estaria conosco”, garantiu o treinador em coletiva de imprensa.

Depois de ter vencido a Copa, muito acharam que a França relaxaria em outras competições e amistosos, mas o comandante garantiu: todas as partidas são importantes e funcionarão como preparação para o Catar, em 2022. “Temos a condição de campeões e seremos durante os próximos quatro anos. As expectativas são ainda mais elevadas, mas ser campeão não é um peso, pelo contrário. Não iremos reclamar de ser”, analisou.

A Liga das Nações terá sua primeira edição em 2018 e acontecerá a cada dois anos, em uma disputa entre 55 nações integrantes da Uefa. A França enfrentará a Alemanha no próximo dia 6 de setembro, em Munique, enquanto a próxima adversária será a Holanda, no Stade de France. Confira abaixo a lista completa de convocados:

Goleiros: Hugo Lloris (Tottenham-ING), Benoit Costil (Bordeaux-FRA) e Alphonse Areola (Paris Saint-Germain-FRA)
Defensores: Benjamin Pavard (Sttutgart-ALE), Presnel Kimpembe (Paris Saint-Germain-FRA), Adil Rami (Olympique de Marselha-FRA), Benjamin Mendy (Manchester City-ING), Lucas Hernández (Atlético de Madrid-ESP), Djibril Sidibé (Monaco-FRA), Samuel Umtiti (Barcelona-ESP) e Raphael Varane (Real Madrid-ESP)
Meias: N’Golo Kanté (Chelsea-ING), Blaise Matuidi (Juventus-ITA), Paul Pogba (Manchester United-ING), Corentin Tolisso (Bayern de Munique-ALE) e Steven N’Zonzi (Roma-ITA)
Atacantes: Ousmane Dembélé (Barcelona/ESP), Olivier Giroud (Chelsea-ING), Antoine Griezmann (Atlético de Madrid-ESP), Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain-FRA), Thomas Lemar (Atlético de Madrid-ESP), Nabil Fekir (Lyon-FRA) e Florian Thauvin (Olympique de Marselha-FRA).



Salah segue insatisfeito com a Federação Egípcia (Foto: AFP)

O atrito do atacante Mohamed Salah e a Federação Egípcia de Futebol parece não ter acabado mesmo com o fim da Copa do Mundo. Nesta segunda-feira, por meio das redes sociais, o atleta voltou a pedir explicações dos cartolas após ser ter suas mensagens ignoradas. A briga começou no início do ano por conta de uma questão ligada aos direitos de imagem do atacante.

“É normal que uma federação de futebol procure resolver os problemas de seus jogadores para que eles possam ter conforto. Mas, na verdade, o que eu vejo é exatamente o oposto. Não é normal que minhas mensagens e cartas do meu advogado sejam ignoradas”, disse Salah. “Por que será que isso está acontecendo? Vocês não têm tempo para nos responder?”, escreveu o jogador em seu Twitter.

Advogado do ‘faraó’, Ramy Abbas também foi às redes sociais para explicar a situação de seu cliente. “Nós pedimos garantias em relação ao bem-estar de Salah na seleção. E também queremos ter a certeza de que a violação dos direitos de imagem não vai acontecer novamente. Apenas isso. Eles ainda não nos responderam”, explicou.

Veja também: Salah se desculpa com povo egípcio e promete seleção na próxima Copa

Meses antes do Mundial, o jogador não gostou de ver sua imagem no avião da seleção e cobrou a Federação por respostas. Na ocasião, Salah deixou clara a insatisfação por não ser consultado e, desde então, o relacionamento com a entidade ficou estremecido.

Com o novo atrito, Salah pode ficar de fora da convocação do Egito, agora comandado pelo mexicano Javier Aguirre, que herdou a vaga do espanhol Héctor Cúper, para o duelo contra o Niger, em setembro, pelas Eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2019.



Ferretti continuará no comando do Tigres (Foto: Pedro Pardo/AFP)

Na tarde desta segunda-feira, a Federação Mexicana de Futebol anunciou que Ricardo “Tuca” Ferretti será o treinador interino da seleção. O brasileiro irá substituir Juan Carlos Osório, que não teve contrato renovado.

No comando do Tigres desde 2010, o técnico permanecerá no clube enquanto treina o México. Em 2015 ele teve uma missão parecida: após Miguel Herrera ser demitido, Tuca assumiu a seleção por dois meses e venceu a Copa da Concacaf, no mesmo ano.

A seleção mexicana, com Ferretti no comando técnico, enfrentará o Uruguai, no dia 7 de setembro, em Houston, e os Estados Unidos, no dia 11, em Nashville, ambos em partidas amistosas.



Paulo Bento teve uma breve passagem pela Raposa em 2016 (Foto: Washington Alves/LightPress)

Na tarde desta sexta-feira, o presidente da Associação Coreana de Futebol (KFA), Kim Pang-gon anunciou a contratação de Paulo Bento para o comando técnico da Coreia do Sul. O português irá assinar um vínculo com a seleção até a Copa do Mundo de 2022, no Catar. Seu último clube foi o Chongqing Lifan, da China, onde foi demitido após um campeonato nacional irregular.

“Acreditamos que Bento é o técnico que pode desenvolver o futebol sul-coreano se nós pudermos apoiá-lo nestes próximos quatro anos”, afirmou Kim Pang-on.

Esta será a segunda experiência do treinador lusitano em uma seleção. Entre 2010 e 2014, dirigiu a seleção portuguesa e, inclusive, comandou Portugal na Copa disputada no Brasil, quando foi eliminado ainda na fase de grupos.

Paulo Bento teve uma passagem rápida pelo Brasil quando dirigiu o Cruzeiro, em 2016, no total foram 17 partidas à frente da Raposa, com seis vitórias, três empates e oito derrotas. Além da equipe brasileira, passou pelo Olympiacos, da Grécia, e Sporting, de Portugal.

A seleção sul-coreana surpreendeu no Mundial da Rússia, quando derrotou a Alemanha por 2 a 0, na última partida da fase de grupos, e terminou na terceira colocação do Grupo F. Shin Tae-yong era o comandante da equipe e não teve o contrato renovado.



Di María pediu afastamento da seleção Argentina (Foto: Luis Acosta/AFP)

A fraca campanha da Argentina na Copa do Mundo segue resultando em profundas transformações no elenco. Depois de Lionel Messi, principal jogador da equipe pedir um afastamento pelo menos até o final do ano, o meia Di María e o zagueiro Otamendi pediram para não serem mais convocados pela albiceleste.

Ambos os atletas alegaram problemas pessoais. Entretanto, não descartaram a possibilidade de serem chamados no futuro. A priori estão de fora dos compromissos diante da Colômbia e Guatemala, os primeiros amistosos da seleção depois do Mundial. A informação é da imprensa argentina.

Veja também: Ex-jogador afirma: “Argentina não vencerá Copa sem Messi”

Lionel Scaloni, que comanda a Argentina, e seu auxiliar, Pablo Aimar queriam contar com a dupla. Por contrato, sete atletas devem aparecer na próxima convocação. São eles: Dybala, Armani, Pavón, Tagliafico, Lo Celso, Meza e Mercado. As novidades em relação a Copa devem ser Busto e Alan Franco, do Indpendiente, Gonzalo Martinez, que defende o River Plate e Matias Vargas, atualmente no Velez Sarsfield.

Um novo treinador só deve ser anunciado no ano que vem, onde o foco será na Copa América, disputada no Brasil. A ideia é de que Scaloni e Aimar deixem algum legado e chamem jogadores de até 25 anos que se destacam no futebol europeu. A promessa Lautaro Martínez deve estar na lista.

Comandada por Jorge Sampaoli no Mundial, a Argentina caiu nas oitavas de final para a França, mas fez uma fase de grupos sofrível ao se classificar em segundo lugar, atrás da finalista Croácia.

Otamendi pediu afastamento da Argentina (Foto: Ernesto Benavides/AFP)


Um dos melhores jogadores da última Copa do Mundo, Romelu Lukaku pode se despedir da Bélgica. O jogador tem a intenção de se aposentar da seleção logo depois da Eurocopa de 2020.

Em entrevista ao site Business Insider, o atacante do Manchester United deixou a possibilidade de se retirar da Bélgica após a competição. “Depois da Euro, penso que irei parar”, afirmou o jogador, de apenas 25 anos e duas participações em Copas do Mundo.

Veja também: Alderweireld desabafa contra Pochetitno

Além disso, o centroavante fez questão de ressaltar a histórica campanha da seleção, que resultou no terceiro lugar, a melhor participação da equipe no Mundial. Por fim, projetou um novo patamar alcançado pelos Diabos Vermelhos, tendo a obrigação de alcançar voos maiores nas próximas competições que disputar.

“Para nós, enquanto país, temos de entrar em cada grande torneio para chegar às semifinais, e partir desse ponto. Chegar lá para ganhar tudo, mas não se contentar com menos do que as semifinais”, pontuou.

Pela Bélgica, foram 75 partidas e 40 gols. Na Copa, anotou quatro tentos, mas foi peça fundamental para a seleção chegar ao terceiro lugar, brilhando na partida diante do Brasil.

Lukaku deverá sair da seleção belga logo depois da Eurocopa (Foto: AFP)


O caminho do Brasil para a Copa do Mundo do Catar, em 2022, começa nesta sexta-feira. Tite será o responsável de dar início à escrita da trajetória da Seleção em seu novo ciclo ao selecionar, pela primeira vez após a eliminação no Mundial da Rússia, os jogadores que irão compor a delegação dos amistosos contra os Estados Unidos e El Salvador, em setembro.

A hora da renovação chegou. Não só pela necessidade de se preparar o esquadrão que disputará o ciclo para a próxima Copa, já que 17 dos 23 nomes chamados pelo treinador da Seleção terão mais do que 30 anos no Mundial seguinte, mas também pelas boas atuações, tanto em solo nacional quanto estrangeiro, de jovens jogadores que podem agregar ao time de Tite.

Veja também:

França assume topo do ranking da Fifa; Brasil é terceiro

Há um mês, França era campeã; veja o que mudou nos personagens da final

Os casos mais emblemáticos são os de Arthur, Lucas Paquetá e Vinícius Júnior. Os dois primeiros chegaram a figurar na lista de suplentes para a disputa na Rússia e, pelo bom momento atravessado, dificilmente não farão parte do começo do processo de renovação do Brasil. Paquetá permaneceu em alta atuando pelo Flamengo e Arthur, inclusive, teve sua contratação sacramentada ao Barcelona e já chamou atenção da mídia europeia em sua estreia em partidas oficiais pelo clube catalão.

Vinícius Júnior também mudou de ares. Oficializado como jogador do Real Madrid ao completar 18 anos, a jovem promessa “sofreu” com a ameaça de ser emprestado para ganhar experiência, mas o rendimento nos amistosos de pré-temporada e os elogios do treinador Julen Lopetegui o credenciaram a permanecer no clube e conquistar, pouco a pouco, seu espaço no elenco merengue.

Do outro extremo do campo está Malcom. Depois de chamar a atenção no Bordeaux, o ex-corintiano teve a Roma como destino provável, mas o Barcelona atravessou a negociação e confirmou a contratação do atleta. Não por acaso. Logo em sua estreia oficial como jogador do clube catalão, o camisa 14 anotou seu gol e ajudou o Barça a vencer o Boca Juniors. Por já ter trabalhado com Tite no Corinthians, Malcom está em pauta para aparecer entre os 23 selecionados.

Em solo brasileiro, outros destaques também podem ser observados. Um dos principais artilheiros da temporada nacional, Pedro, atacante do Fluminense, tem somente 21 anos e já soma 10 gols anotados na Série A do Campeonato. Everton também entra na lista: o atacante, principal nome do Grêmio na temporada, é observado de perto pela comissão técnica da Seleção e pode ser uma alternativa para o comandante da equipe verde e amarela.

Entretanto, o maior destaque é Rodrygo, do Santos. Já negociado com o Real Madrid, pelo valor de 54 milhões de euros, o atacante assumiu o status de sensação do futebol brasileiro. Estrela e revelação do Peixe até aqui, Rodrygo foi procurado por Barcelona, Bayern de Munique, Borussia Dortmund e Paris Saint-Germain, mas acabou por acertar com os merengues e se juntará à equipe em junho de 2019.

Para a zaga, o nome que surge como possível selecionado de Tite é o de Éder Militão. Preocupado com a falta de promessas para o setor defensivo e a idade avançada dos titulares habituais, o comandante vê em Militão, cria da base do São Paulo e agora jogador do Porto, um potencial para ocupar a lacuna deixada por Daniel Alves, que terá 39 anos na Copa do Catar.

Tite dá início ao ciclo para Catar nesta sexta-feira (Foto: Pedro Martins/Mowa Press)

Outros jogadores correm por fora para estarem na lista dos 23 desta sexta-feira, mas não são descartados para, em algum ponto do ciclo para o próximo Mundial, atuarem com a camisa verde e amarela. Este é o caso de David Neres (Ajax), Richarlison (Everton), Bruno Henrique (Palmeiras) e Pedrinho (Corinthians).

Quaisquer sejam os nomes a serem escolhidos por Tite, o Brasil precisa, com seu novo elenco, lapidar e construir sua própria ótima geração. O processo de renovação começa nesta sexta-feira, às 11h00 (horário de Brasília), na sede da Confederação Brasileira de Futebol – a mesma entidade que bancou o treinador e depositou confiança em seu trabalho para 2022.