COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

Neymar está de volta. Após o susto durante o treinamento da terça-feira, do qual teve de abrir mão ainda no aquecimento por conta de dores no tornozelo direito, o camisa 10 trabalhou normalmente nesta quarta e parece que não terá qualquer problema para enfrentar a Costa Rica, na próxima sexta, em São Petersburgo.

O médico Rodrigo Lasmar já havia assegurado que Neymar não possuía riscos de perder o segundo jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo por causa das dores que sentiu nos dias após o empate com a Suíça. Segundo o doutor, o atacante apenas estava lidando com as consequências do duelo bastante pegado com os suíços, que o caçaram em campo ao longo dos 90 minutos.

Como o treinamento desta quarta-feira foi fechado à imprensa, coube à CBF divulgar o estado de Neymar por meio de suas redes sociais. A entidade postou quatro fotos e, posteriormente, um vídeo em que o jogador aparece treinando com bola sem restrições.

Após Neymar abandonar o treino de terça-feira, a assessoria da CBF afirmou que o jogador já não participaria da atividade completa de qualquer maneira. O atacante do PSG permaneceu na fisioterapia entre ontem e hoje pela manhã, indo para o campo na parte da tarde para o último trabalho da Seleção em Sochi antes de viajar a São Petersburgo.

O Brasil embarca para São Petersburgo ainda nesta quarta-feira, às 16h30 (de Brasília), para o seu segundo compromisso no Mundial. Nesta quinta, os comandados do técnico Tite ainda farão mais um treino, desta vez no estádio do confronto com a Costa Rica.

Depois da atividade, Tite e o capitão do confronto, ainda não definido, concederão entrevista coletiva. Com um ponto na classificação, o time canarinho precisa de uma vitória para não se complicar no Grupo E. O duelo está marcado para as 9h (de Brasília) de sexta-feira.



Lionel Messi não foi bem no empate com a Islândia, e inclusive perdeu um pênalti (Foto: Francisco Leong/AFP)

Lionel Messi, principal jogador da Argentina, não foi bem no empate diante da Islândia, partida que marcou a estreia de sua seleção na Copa do Mundo, e acabou sendo alvo de críticas e questionamentos. No entanto, não é de hoje que o camisa 10 vem sofrendo cobranças quando atua pela equipe albiceleste, e muitas vezes até mesmo seu amor pela seleção é colocado em xeque.

Celia Cuccittini, mãe do jogador, deu entrevista ao canal argentino El Trece, e revelou que quando o filho não vai bem com a camisa da Argentina, ele e a família inteira sofrem.

“A família está apoiando. O primeiro que quer ganhar é ele, trazer a Copa. Sofremos com as críticas, dizem que ele não sente e que vem (para a seleção) por obrigação, mas não é verdade. Se eles verem (Messi) como nós vemos, sofrendo e chorando todas essas vezes. Estas críticas machucam ele, nos machucam”, disse.

Messi acumula três vice-campeonatos seguidos com a seleção argentina, sendo um deles a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, conquistada pela Alemanha. Segundo a mãe do craque, a conquista do Mundial é o maior sonho da carreira do jogador do Barcelona.

“Na realidade as pessoas gostam muito dele e transmitem o melhor. Ele valoriza muito. Leo vê com muita expectativa (a Copa), porque seu sonho é ganhar o Mundial, é o que ele mais quer”, afirmou.



Assim como o Brasil parou na Suíça em seu primeiro desafio na Copa do Mundo da Rússia, a Argentina tropeçou na Islândia, a Alemanha caiu diante do México, a Espanha sofreu com Portugal e a França precisou do árbitro de vídeo para superar a Austrália. Para Philippe Coutinho, todos esses resultados são sintomáticos e servem de alerta, principalmente para quem analisa os jogos do Mundial e influencia na expectativa de muitas pessoas.

“Isso tudo prova que muita gente fala sobre favoritismo e a gente está falando de uma Copa do Mundo. Tudo pode acontecer. Todas as seleções que estão aqui se prepararam forte para esse momento, então, tudo pode acontecer”, avisou o camisa 11 da Seleção Brasileira, tirando lições do que tem percebido no torneio desse ano.

“O que ficou claro é que todos os jogos vão ser bem difíceis. Às vezes muitos torcedores acham que a gente, por ser Brasil, vai chegar e ganhar fácil, fazer muitos gols. Essa é a mensagem que ficou, mas hoje em dia todos estão se preparando cada vez mais. Claro que agora a gente tem que, ao invés de ser 100%, dar 110% para poder ganhar a Copa”, comparou.

Muito do discurso do craque brasileiro serve de recado para o desafio de sexta-feira. A adversária será a Costa Rica, e novamente a seleção canarinho carregará toda a obrigação de sair de campo com a vitória e, de preferência, com um desempenho plausível.

“São jogadores de qualidade. Vi um pouco do último jogo deles contra a Sérvia, jogo bastante equilibrado, foi decidido em uma bola parada (1 a 0 para os europeus). É um time que tenta jogar. Temos de entrar como sempre entramos nos jogos, seguir nessa maneira que a gente joga, com alegria, responsabilidade, ousadia de tentar as jogadas e estar equilibrado na hora de defender”, ensinou, já prevendo marcação forte dos costarriquenhos, assim como os suíços fizeram no domingo, parando as jogadas com faltas, sem que podiam.

“Com certeza vão bater também. Estamos falando de uma Copa do Mundo, temos jogadores rápidos na frente. Acho que o árbitro vai estar ligado nesse jogo, mas, como você (jornalista) falou, a posse de bola é importante, ter calma, sair nos momentos certos, até mesmo para atacar na hora certa, ter o equilíbrio, girar um pouco mais a bola, para poder encaixar na hora certa”.

O confronto entre Brasil e Costa Rica está marcado para às 9h (sempre em horário de Brasília) de sexta-feira. Seis horas depois, Sérvia e Suíça completarão a segunda rodada do grupo E. Os resultados dessa véspera de fim de semana prometem ser cruciais para o futuro das seleções, que terão só mais um jogo a fazer após isso nessa primeira fase. Sendo assim, Philippe Coutinho revelou que os comandados de Tite já fizeram as contas e as projeções junto ao elenco sobre os cenários que podem se apresentar daqui para frente.

“A gente conversou sobre isso, as possibilidades, as formas de classificar, sobre pontuação… Teve reunião sobre isso. Mas, dentro de campo queremos sempre ganhar. Pelo menos na minha cabeça o que é mais importante é o próximo jogo, que a gente tem que jogar bem, continuar nessa pegada, merecendo a vitória. Essa questão dos pontos fica mais para o lado de fora”, despistou o craque do Barcelona.

 



Treinador pode ter problemas para escalar a equipe para o jogo contra a França (Foto: Filippo Monteforte/AFP)

Nesta quinta-feira, o Peru tem duelo decisivo em busca da classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo. Após perder para a Dinamarca, a equipe precisa de uma vitória diante da favorita França se quiser avançar. O técnico Ricardo Gareca, contudo, não terá trabalho fácil, uma vez que pode se ver obrigado a mexer no time por conta de lesões.

Renato Tapia, que sofreu um choque de cabeça no jogo diante dos dinamarqueses e teve de ser substituído, é um desfalque muito provável. O volante até tentou participar do último treino do Peru, mas acabou sendo chamado pelo preparador físico para realizar um trabalho separado do grupo. Caso o jogador realmente fique de fora, Pedro Aquino  é o provável substituto.

A outra preocupação de Gareca, ainda que seja menor, fica por conta do atacante Carrillo, que se queixa de dores musculares e também treinou separadamente. A notícia boa é a de que Paolo Guerrero, que participou de apenas 30 minutos do duelo contra a Dinamarca, deve voltar à condição de titular contra a França. Com isso, Cueva, Edison Flores ou Farfán podem perder a vaga.




Espanha quer a vitória, que não veio contra Portugal, diante do Irã (Foto: Maddie Meyer / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)

Depois de estrear empatando por 3 a 3 com Portugal em um duelo eletrizante, a Espanha volta a campo pelo Grupo B da Copa do Mundo de 2018 nesta quarta-feira, às 15h00 (horário de Brasília), na Arena Kazan, em Kazan, na Rússia, buscando a sua primeira vitória.

A Fúria, em caso de triunfo, vai se aproximar da vaga, porém, um novo tropeço pode ampliar a crise e fazer renascer o fantasma da eliminação na primeira fase do Mundial de 2014. E a tarefa não se desenha das mais tranquilas, uma vez que os iranianos derrotaram o Marrocos no início da caminhada por 1 a 0 e estão na liderança isolada com três pontos. Ganhando, se classificam.

(Arte: LAURENCE SAUBADU, MARIA-CECILIA REZENDE / AFP)

Fernando Hierro, comandante da Espanha, procurou trabalhar o aspecto psicológico de seus jogadores. A Fúria vem sendo cobrada por conta de más campanhas recentes e o clima de crise ampliou com a demissão do técnico Julen Lopetegui há dois dias da estreia no Mundial.

Sobre o jogo, o treinador entende que a repetição do desempenho exibido contra Portugal pode levar os espanhóis ao triunfo.

“Apesar do empate, eu gostei muito do desempenho do time contra Portugal e se reptirmos a atuação vamos dar um passo importante para conquistarmos a classificação e a vitória neste jogo. Confio demais no meu grupo”, disse Hierro.

Uma prova de que pretende valorizar o elenco é que Hierro antecipou a confirmação do goleiro David de Gea como titular mesmo parte da imprensa cobrando a sua saída por conta de falhas cometidas diante de Portugal. “Confio no De Gea e ele é meu titular”, afirmou Hierro.

A única mudança, não confirmada, pode ser o retorno do lateral-direito Daniel Carvajal, que se recupera de lesão na coxa direita. Se ele for vetado, Nacho permanece no time principal.

Pelo lado do Irã, como não poderia deixar de ser, o técnico português Carlos Queiroz vai repetir a base que enfrentou o Marrocos. Ele quer ver seu time jogando com personalidade para surpreender os espanhóis.

“O Irã conseguiu um bom resultado na estreia e se ganharmos este jogo vamos conseguir uma fantástica classificação para as oitavas de final. Temos que acreditar e mostrar personalidade, algo fundamental em um time que sabe que póde conquistar objetivos maiores. A Espanha tem uma grande seleção, mas terá que jogar muito se quiser nos ganhar”, avisou o treinador da seleção iraniana.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA
IRÃ x ESPANHA

Local: Arena Kazan, em Kazan (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018, quarta-feira
Horário: 15h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai)
Assistentes: Nicolás Taran (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

IRÃ: Ali Beiranvand; Ramin Rezaeian, Morteza Pouraliganji, Khanzadeh e Hajisafi; Vahid Amiri, Masoud Shojaei, Ezatolahi, Karim Ansarifard e Alireza Jahanbakhsh; Sardar Azmoun
Técnico: Carlos Queiroz

ESPANHA: David De Gea; Nacho (Dani Carvajal), Gerard Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets, Koke, David Silva, Isco e Andres Iniesta; Diego Costa
Técnico: Fernando Hierro



Pouco mais de 32 anos depois, Portugal tem a chance de se “vingar” de Marrocos. As duas seleções duelam nesta quarta-feira, às 9h (de Brasília), no Estádio Luzhniki, em Moscou, na Rússia, em choque válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo de 2018. Caso vença, a seleção lusa, que divide a segunda posição com a Espanha, com quem empatou por 3 a 3 na estreia, eliminará os africanos, que começaram a caminhada sendo derrotados pelo Irã por 1 a 0 e aparecem na lanterna da chave sem ainda terem pontuado.

Na fase de grupos da Copa do Mundo de 1986, no México, marroquinos e portugueses mediram forças na última rodada e os lusitanos dependiam de um simples empate para garantir a classificação. Porém, a seleção africana deu um show, vencendo por 3 a 1 e garantindo a primeira posição da chave, que tinha ainda Inglaterra e Polônia. Apenas os portugueses ficaram pelo caminho, por conta da lanterna.

Fernando Santos deixou a história de lado e enfatizou na fase atual de Portugal (Foto: Fadel SENNA/AFP)

Apesar deste histórico, os portugueses preferem focar no presente. “Futebol é rico em histórias, mas são gerações diferentes. Serve sempre de alerta, pois todo jogo de Copa do Mundo representa perigo, pois é uma competição disputada pelos melhores times de cada continente”, disse Fernando Santos, comandante de Portugal.

Mais uma vez a principal aposta de Portugal recai nas costas de Cristiano Ronaldo, que brilhou marcando os três gols diante da Espanha. É possível, porém, que ele tenha um novo companheiro de ataque. André Silva, a quem ele considera seu melhor parceiro, deve ganhar a vaga de Gonçalo Guedes, deixando os lusitanos mais ousados do que foi visto contra os espanhóis. Quem também pode entrar é João Mário, na vaga de Bruno Fernandes.

Marrocos tenta reverter a derrota na estreia da Copa do Mundo (Foto: Fadel SENNA/AFP)

Também sem pensar no passado, o Marrocos utiliza recuperação como palavra de ordem. “Podemos escrever uma história diferente. Poderíamos ter vencido o Irã pelo volume de jogo e fomos castigados com um gol no fim. Com mais capricho diante de Portugal nós podemos conquistar a vitória”, ressaltou o goleiro El Kajoui.

O técnico Herve Renard perdeu para este jogo o atacante Noureddine Amrabat, que jogou improvisado na lateral direita na estreia e teve uma concussão cerebral. Assim, Sofyan Amrabat assume o posto.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

(Arte: AFP)

FICHA TÉCNICA
PORTUGAL X MARROCOS

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 9h(de Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (Estados Unidos)
Assistentes: Joe Fletcher (Canadá) e Frank Anderson (Estados Unidos)

PORTUGAL: Rui Patricio; Cedric, Pepe, José Fonte e Raphael Guerrerio; William Carvalho, João Moutinho, Bernardo Silva, Bruno Fernandes (João Mário); Gonçalo Guedes (André Silva) e Cristiano Ronaldo
Técnico: Fernando Santos

MARROCOS: El Kajoui; Achraf Hakimi, Mehdi Benatia e Romain Saiss; Sofyan Amrabat, Mbark Boussoufa, Hakim Ziyach, El Ahmadi, Younes Belhanda e Amine Harit; El Kaab
Técnico: Herve Renard



Crédito: Laurence Saubadu, Marimé Brunengo, Maria-Cecilia Rezende/AFP

Em um jogo que caminha para ser tranquilo o Uruguai mede forças com a Arábia Saudita nesta quarta-feira, às 12 horas (de Brasília), na Arena Rostov, em Rostov, na Rússia, em choque válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo. A Celeste estreou vencendo o Egito por 1 a 0 com um gol no fim do jogo, porém, suficiente para lhe dar três pontos. Já os árabes juntam os cacos após a goleada de 5 a 0 sofrida para a Rússia na estreia. Um novo tropeço representa mais uma eliminação antecipada.

Óscar Tabárez, treinador do Uruguai, quer ver seu time mais atuante em campo. Para ele o jogo contra a Arábia precisa ser um marco na campanha neste Mundial.

“Temos que trabalhar pensando em ganhar o jogo, mas também apresentando um futebol melhor do que o visto no primeiro jogo. Temos que ser mais protagonistas em campo, impondo o nosso estilo”, disse Tabárez.

Luis Suarez não marcou na estreia e quer desencantar contra a Arábia Saudita (Foto: Jorge Guerrero/AFP)

Mesmo com o triunfo na estreia, Tabárez vai promover duas mudanças para melhorar o desempenho da equipe no quesito criatividade. Carlos Sánchez e Cristian Cebolla Rodríguez ganham uma oportunidade entre os titulares, respectivamente, nas vagas de Nahitan Nández e de Giorgian De Arrascaeta, que é jogador do Cruzeiro.

Pelo lado da Arábia Saudita, o clima é de decepção. O técnico argentino Juan Antonio Pizzi falou em vergonha após o revés contra a Rússia e os jogadores se desculparam publicamente. Fala-se em punição no retorno do time ao país.

O treinador não antecipou a escalação, mas, em meio a poucas opções, vai manter a base. A ordem é acreditar em uma reviravolta.

O técnico Juan Antonio Pizzi aposta em reação da Arábia Saudita contra o Uruguai (Foto: Pascal Guyot/AFP)

“No futebol não existe o impossível. Temos dois jogos importantes, a começar por este contra o Uruguai, e temos que ir a campo pensando em ganhar. A luta será grande e a entrega em campo também” disse o meia Al-Jassim.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI X ARÁBIA SAUDITA

Local: Arena Rostov, em Rostov (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 12h(de Brasília)
Árbitro: Clemente Turpin (França)
Assistentes: Nicolas Danos (França) e Cyril Gringore (França)

URUGUAI: Fernando Muslera; Guillermo Varela, Diego Godín, José Maria Giménez e Martín Cáceres; Rodrigo Bentancur, Matías Vecino, Carlos Sánchez e Cristian Cebolla; Luis Suárez e Edinson Cavani
Técnico: Óscar Tabárez

ARÁBIA SAUDITA: Al-Muaiouf; Al-Burayk, Osama Hawsawi, Omar Hawasawi, Al-Muwallad e Al-Shahrani; Al-Faraj, Al-Jassim, Al-Dawsari e Al-Shehri; Al-Sahlawi
Técnico: Juan Antonio Pizzi



Bjorn Kuipers apitou a final da Copa das Confederações de 2013 (Foto: Kirill KUDRYAVTSEV/AFP)

A Seleção Brasileira já sabe qual árbitro apitará seu segundo compromisso nesta Copa do Mundo, na próxima sexta-feira, contra a Costa Rica, em São Petersburgo. Trata-se do holandês Bjorn Kuipers, de 45 anos, que será auxiliado pelos compatriotas Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra.

Se na partida de estreia o Brasil teve de lidar com algumas interpretações um tanto quanto duvidosas do árbitro mexicano César Ramos, desta vez o time canarinho espera que o duelo com a Costa Rica tenha o mesmo desfecho de uma das partidas que disputou com Bjorn Kuipers como árbitro.

Em 2013, foi o árbitro holandês que apitou a final da Copa das Confederações no Maracanã. Na ocasião, a Seleção Brasileira decidiu o título contra ninguém mais, ninguém menos que a Espanha, então atual campeã do mundo. Resultado: 3 x 0 Brasil. Já no ano seguinte, em Lisboa, Bjorn Kuipers também foi o juiz da final da Liga dos Campeões entre Atlético de Madrid e Real Madrid.

Neste Mundial Kuipers já apitou uma partida, a vitória do Uruguai sobre o Egito por 1 a 0 em Ecaterimburgo. Para esta sexta-feira, o holandês contará também com os eslovenos Damir Skomina como quarto árbitro e Jure Praprotnik como árbitro reserva.



A estreia com derrota da Alemanha na Copa do Mundo não rendeu apenas críticas da imprensa local quanto a atuação coletiva do time comandado por Joachim Low, mas também a alguns destaques individuais que renderam abaixo do que era esperado. Um desses atletas é Mesut Ozil, criticado publicamente por um dos maiores ídolos do país: Lothar Matthaus.

Campeão mundial e capitão na Copa de 1990, Matthaus não poupou o meia do Arsenal de críticas. Em sua coluna no jornal alemão Bild, o recordista de jogos pela seleção tetracampeã tratou a derrota para o México por 1 a 0 um fracasso e, entre outras coisas, considerou Ozil um jogador “sem alegria” e “sem coração”.

Ozil foi titular da Alemanha na estreia com derrota na Copa do Mundo (Foto: Kirill KUDRYAVTSEV/AFP)

“A linguagem corporal dele (Ozil) é negativa para o grupo, ainda mais porque ele joga sem alegria. Tenho a sensação de que ele está incomodado com a camisa da seleção alemã, algo como se não quisesse jogar. Não tem coração, nem alegria, nem paixão em seu futebol. Diante de suas última atuações, não excluo a chance de ele se retirar da seleção após a Copa da Rússia”, disse o ídolo.

Além das críticas sobre seu futebol, Ozil também é constantemente alvo de questionamentos por parte dos alemães devido a sua postura e suas atitudes. De origem turca, o jogador costumeiramente não canta o hino nacional e na Rússia foi o único a não saudar os presentes antes no estádio antes do início do jogo.

“Ozil não compreende o que se espera de um jogador que veste a camisa da seleção da Alemanha. Eu insisto. Não tenho nenhum problema com Ozil por não cantar o hino, pois isso depende de cada jogador. Seja de raiz alemã, turca ou africana. Mas o que eu vi depois do hino em Moscou me enfureceu muito. Enquanto todos os outros dez alemães saudaram os presentes no estádio, Ozil preferiu se manter intacto e não o fez”, completou.