COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Rodrigo Lasmar esclareceu a situação médica de Daniel Alves (Foto: Pedro Martins/MoWa Press)

Em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira, em Paris, o médico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Lasmar, constatou que a lesão sofrida por Daniel Alves foi no ligamento cruzado anterior do joelho, combinada com uma desinserção do osso no local. A contusão, que tirou o lateral da disputa da Copa do Mundo na Rússia, deixará o atleta longe dos gramados por seis meses.

“Cerca de 6 meses. Não há uma matemática na medicina, pode demorar um pouco mais, um pouco menos”, explicou Lasmar, que ressaltou a necessidade de intervenção cirúrgica.

“Numa lesão como essa, a cirurgia necessita de um prazo de 6 meses para uma recuperação plena e voltar a jogar. A cirurgia provavelmente será realizada aqui em Paris, pelos médicos responsáveis do PSG. Data, todas as questões cirúrgicas, a gente deixa a cargo do clube, até porque isso não vai acontecer agora, e sim dentro de um certo tempo. Precisamos ir com calma”, reiterou.

Rodrigo Lasmar também enfatizou que, apesar da chateação inicial de Daniel Alves, o jogador logo “virou a página” e passou a focar em sua recuperação.

“Ele ficou muito chateado, é uma notícia pesada, ainda mais às vésperas de uma Copa do Mundo. Mas ele tem um equilíbrio e uma condição emocional muito forte, queria saber exatamente o que estava se passando com seu corpo, queria saber o que ele precisava fazer para voltar a jogar bola. Dito isso, ficou chateado, mas imediamente virou a página e quis saber como proceder nos próximos passos, disse que não queria ninguém triste por causa disso, que ele quer olhar para a frente, tomar as medidas necessárias e se recuperar o mais rápido possível”, afirmou.

Por fim, o médico da CBF e da Seleção Brasileira reiterou que o procedimento do Paris Saint-Germain, clube do lateral, foi correto desde o início.

“O procedimento (do PSG) foi correto desde o início. Foi feita uma avaliação inicial, e em um primeiro momento, observou-se a desincerção do ligamento. É uma lesão total. O que aconteceu especificamente é uma coisa muito médica. O diagnóstico foi feito inicialmente pelo PSG. Colocou-se um tempo maior para uma reavaliação, depois de alguns dias, ele já melhorou nas questões do edema e da dor que vinha sentindo, isso facilitou nosso exame”, finalizou.



Marcos Rocha faz ótima temporada pelo Palmeiras (Foto: SEP)

Palmeiras e Corinthians se enfrentam neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, mas fora de campo, outro Derby deve acontecer nos próximos dias. Com a lesão de Daniel Alves, que não poderá ser convocado para a Copa do Mundo, Fagner e Marcos Rocha devem brigar por uma vaga na posição. Do lado alviverde, o técnico Roger Machado crê que o palmeirense tem chances de ser chamado.

“Uma pena (a lesão do Daniel Alves). Seria a terceira Copa do Mundo dele, que é bastante experiente e provou em jogos grandes que não sente esses eventos. O Tite deve ter na cabeça essas opções. Marcos Rocha vive um grande momento esse ano aqui no Palmeiras. Acredito que ele tem chance, sim”, disse o comandante alviverde.

Daniel Alves teve a convocação descartada nesta sexta-feira. Após examinar o jogador pessoalmente no CT do Paris Saint-Germain, o médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, chegou à conclusão que o lateral-direito não teria condições de se recuperar a tempo para disputar o Mundial da Rússia.

A favor de Marcos Rocha, pesa não só o momento positivo vivido pelo Palmeiras, como as condições físicas. Fagner se recupera de uma lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa direita e também será avaliado por Rodrigo Lasmar no próximo domingo.

Além dos rivais, com o corte de Daniel Alves, Danilo, do Manchester City, e Rafinha, do Bayern de Munique estão na briga para serem convocados. A lista com os selecionáveis de Tite será divulgada na próxima segunda-feira.



Em pouco tempo Fagner passou de concorrente pela reserva na lateral direita da Seleção Brasileira a possível titular no setor na Copa do Mundo da Rússia. Se recuperando de uma lesão de grau 2 na região posterior da coxa direita, o jogador receberá a visita de Rodrigo Lasmar, médico da Seleção Brasileira, no próximo domingo para ser avaliado.

Com o corte de Daniel Alves por conta da necessidade de cirurgia em seu joelho direito, Fagner protagoniza uma disputa acirrada com Danilo, do Manchester City, e Rafinha, do Bayern de Munique. Restando pouco tempo para a convocação de Tite para o Mundial – a lista será divulgada na próxima segunda-feira, o corintiano corre contra o tempo para estar apto a voltar aos gramados.

A dedicação de Fagner nos últimos dias tem sido grande. O jogador realiza trabalho em dois períodos no CT Joaquim Grava na tentativa de acelerar sua recuperação. O prazo de retorno do jogador inicialmente era de um mês, ou seja, ele estaria à disposição do técnico Tite no fim de maio, quando a Seleção viaja à Europa para a segunda parte de sua preparação para o Mundial.

Fagner se lesionou no último dia 29 de abril, na derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG, pelo Brasileirão. O lateral-direito disputava corrida com Roger Guedes quando sentiu a parte posterior da coxa direita e acabou indo ao chão, sendo prontamente substituído.

Com exceção de Daniel Alves, o jogador é o que soma mais convocações na lateral direita desde que Tite assumiu a Seleção. Ao todo, o atleta foi lembrado pelo treinador do time canarinho em 12 partidas. Danilo, segundo nome mais cogitado para o setor, esteve presente em oito jogos do Brasil, enquanto Rafinha foi convocado somente uma vez, para os amistosos contra Argentina e Austrália, no ano passado.



Tite já estuda quais são as melhores opções para a lateral direita da Seleção Brasileira sem Daniel Alves. Fora da Copa do Mundo por conta de uma desinserção no ligamento cruzado anterior do joelho direito e uma entorse na mesma região, um dos pilares do time canarinho terá de assistir o seu País em busca do hexacampeonato pela TV e provavelmente ver Danilo, Fagner ou Rafinha assumir sua função no Mundial da Rússia.

Dos três jogadores que polarizam a disputa por uma vaga na Copa do Mundo como lateral-direito, Fagner é o que está mais próximo de carimbar seu passaporte. O atleta já trabalhou com Tite no Corinthians e conta com a confiança do treinador. Além disso, com exceção de Daniel Alves, ele foi o nome mais chamado por Tite na posição (12 vezes).

A atual situação de Fagner, porém, não é tão confortável. O lateral-direito também está fora dos gramados por conta de uma lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa direita e, inclusive, realiza tratamento em dois períodos no CT Joaquim Grava para poder estar pronto para o Mundial. No próximo domingo, ele será submetido a exames por Rodrigo Lasmar, médico da Seleção que está em Paris por conta de Daniel Alves.

Outro nome forte na corrida pela Copa do Mundo é Danilo. Recém-campeão do Campeonato Inglês com o Manchester City de Pep Guardiol, o ex-santista também foi chamado em algumas oportunidades, se alternando com Fagner na Seleção Brasileira, e espera ver seu nome entre os convocados na próxima segunda-feira, dia em que Tite divulgará seus comandados no Mundial.

Ao todo, Danilo foi lembrado por Tite oito vezes. Ele chegou a atuar no ano passado, na vitória por 3 a 1 sobre o Japão, em amistoso, e ficou na reserva nas outras sete oportunidades, seis válidas pelas Eliminatórias Sul-Americanas e outra em amistoso com a Inglaterra, em Wembley.

Quem corre por fora e é menos provável que apareça na convocação é Rafinha. Embora seja um jogador que esteja acostumado a atuar no mais alto nível do futebol mundial pelos seus anos no Bayern de Munique, o jogador foi chamado pelo técnico Tite em apenas duas oportunidades: nos amistosos de junho do ano passado, contra Argentina e Austrália, em Melbourne.

Nesta temporada, Rafinha vem atuando nos últimos jogos como lateral-esquerda, ideia do técnico Jupp Heynckes. Como o lateral-direito titular do Bayern de Munique é o jovem Kimmich, sucessor de Philipp Lahm, coube ao brasileiro mostrar versatilidade, seguindo os passos de Danilo, também improvisado na esquerda por Guardiola.



Aos 35 anos, Daniel Alves dá adeus às chances de jogar a Copa do Mundo da Rússia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Daniel Alves está fora da Copa do Mundo. Após examinar o jogador pessoalmente no CT do Paris Saint-Germain, o médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, chegou à conclusão que o lateral-direito não teria condições de se recuperar a tempo para disputar o Mundial da Rússia, uma vez que o prazo para se retorno é de seis meses.

Daniel Alves já realiza tratamento por conta da desinserção no ligamento cruzado anterior do joelho direito. O jogador também tem uma entorse na região, o que agrava ainda mais o seu quadro físico.

Inicialmente, ficou definido que Daniel Alves faria um tratamento específico durante três semas para ser reavaliado pelos médicos. Porém, com o resultado de exames complementares, foi constatada a necessidade de cirurgia, encerrando de vez qualquer chance de o jogador disputar o Mundial.

“A comissão técnica da Seleção Brasileira sente pelo ocorrido e deseja a Daniel Alves uma pronta recuperação para que sua técnica, raça e liderança estejam de volta ao serviço da Amarelinha o mais breve possível”, escreveu a CBF em comunicado oficial.

Com 38 título, Daniel Alves se tornou o jogador mais vitorioso da história do futebol ao ser campeão da Copa da França, na última terça-feira, ironicamente no mesmo dia em que acabou sofrendo a lesão que o tirou da Copa do Mundo, um dos poucos torneios que jamais venceu.

Daniel Alves esteve presentes nos Mundiais de 2010, na África do Sul, e em 2014, no Brasil. Em sua primeira Copa, o lateral-direito foi eliminado nas quartas de final, pela Holanda. Já na última edição, ele integrou o elenco que entrou para a história por conta da derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal.

Com a ausência de Daniel Alves, Tite conta com três outros nomes para a posição. Fagner, do Corinthians, Danilo, do Manchester City, e Rafinha, do Bayern de Munique, brigam por duas vagas. Os dois primeiros levam vantagem pelo fato de terem sido convocados mais vezes pelo treinador do time canarinho. O lateral-direito corintiano, inclusive, será avaliado pelo próprio Rodrigo Lasmar no domingo, já que também sofreu recentemente uma lesão de grau 2 na região posterior da coxa direita.

Confira o comunicado oficial divulgado pela CBF:

Na última quinta-feira (10), o médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, e o coordenador, Edu Gaspar, desembarcaram em Paris para um acompanhamento aprofundado da situação médica ocorrida na final da Copa da França com o lateral direito do Paris Saint-Germain, Daniel Alves.

Como vem ocorrendo desde o início do trabalho, a comissão técnica criou uma importante relação com as equipes do Brasil e do exterior, o que permite acompanhamentos técnicos, físicos e clínicos ‘in loco’, além da participação na tomada de decisões.

Seguindo essa linha de trabalho em conjunto, foram realizados exames complementares minuciosos e confirmado o diagnóstico inicial de lesão do ligamento cruzado anterior, com necessidade de tratamento cirúrgico.

Esgotadas todas as alternativas de recuperação dentro do prazo, constatou-se a impossibilidade da convocação de Daniel Alves para o período de preparação, amistosos e, consequentemente, para a Copa do Mundo.

A comissão técnica da Seleção Brasileira sente pelo ocorrido e deseja a Daniel Alves uma pronta recuperação para que sua técnica, raça e liderança estejam de volta ao serviço da Amarelinha o mais breve possível.

 



Neymar recebeu Zico na mansão em Mangaratiba, onde realizou seu processo de recuperação, uma semana antes de partir para Paris (Foto: Reprodução)

Em 2014, Neymar foi tirado no decorrer da Copa do Mundo após sofrer falta forte do colombiano Zuñiga pelas suas costas. Neste ano, o camisa 10 vem se recuperando de uma lesão no pé direito desde final de fevereiro e pretende chegar “voando” na Copa da Rússia, apesar de ainda ter receio de fazer alguns movimentos. Uma semana antes de partir para Paris, o jogador conversou com o ex-craque Zico para o programa De papo com Galinho, do YouTube. Na ocasião, falou sobre sua recuperação, PSG, Seleção Brasileira, início da carreira no Santos, Barcelona e até a conquista inédita do ouro olímpico em 2016. Confira os melhores trechos do vídeo publicado nesta sexta-feira.

“A expectativa é grande (para a volta aos gramados), minha recuperação está indo bem. Sempre tem aquele medo de voltar, então eu preciso perder esse medo o mais rápido possível para chegar na Copa voando. No começo é ruim, a gente fica com medo de fazer qualquer movimento errado, então fica compensando”, iniciou o atacante.

Ainda no início da entrevista, Zico pergunta ao jogador se Unai Emery, técnico do Paris Saint-Germain, não deveria ter poupado Neymar mais vezes na temporada. “Eu ia ser poupado no jogo seguinte (do que aconteceu a lesão), porque eram dois jogos importantes contra o então segundo melhor time da França (Olympique). Jogávamos contra eles no Francês, ia ter outro jogo pela semifinal da Copa da França e depois outro do campeonato em que eu seria poupado. Já tinha sido conversado isso dois dias antes. Infelizmente, acabei me machucando no sábado. Esse ano foi o que eu menos joguei, porque o técnico me descansava bastante”, avaliou Neymar.

Sobre a lesão sofrida durante a Copa de 2014, o jogador foi direto. “Foi uma fatalidade porque me machuquei, mas aquilo não foi lance normal, foi desnecessário. Se você quer só fazer uma falta, agarra ou segura, não aquilo”, desabafou.

Além desses assuntos, Neymar também falou sobre a conquista inédita da medalha de ouro nas Olimpíadas, com o início bastante difícil e com desconfiança da torcida. “Queria achar um buraco. Não sabia o que fazer mais, estava ‘P’ da vida. Chegamos no hotel, fui pro meu quarto e aí veio o Renato Augusto, bate no meu quarto e eu tô lá no escuro. ‘Se você achar um buraco, acha pra mim também’, aí eu ri. Conversamos sobre tática e decidimos falar com Micale (técnico). Ele concordou e mudamos tudo”, revelou.

Confira o vídeo completo aqui.



Considerada a seleção sensação, a Islândia anunciou nesta sexta-feira os 23 jogadores responsáveis por defender o país em sua primeira Copa do Mundo. Diferentemente do que fizeram Rússia e Polônia, os estreantes definiram logo de início a “lista final” e a novidade principal ficou por conta da presença de Gilfy Sigurdsson, jogador do Everton e referência técnica da equipe comandada por Heimir Hallgrímsson.

Dia 10 de março, Sigurdsson deixou o gramado na vitória por 2 a 0 sobre o Brighton com dores no joelho que, posteriormente se confirmaram em lesão com o risco de perder o Mundial. Mesmo em fase final de recuperação, o meia foi convocado e a expectativa é de condições toais para a estreia na Copa, dia 16 de junho, contra a Argentina. Além dos comandados de Jorge Sampaoli, a Islândia terá pela frente Nigéria e Croácia, dias 22 e 26.

O limite imposto pela Fifa para o anúncio dos 23 convocados é dia 4 de junho, dez dias antes da abertura. Por isso mesmo, a expectativa é de algumas seleções divulguem uma lista inicial com mais jogadores que o permitido, para que a definição seja feita após um período de treinamentos. O caminho escolhido pela seleção nórdica estreante é o mesmo de Tite, que na próxima segunda-feira, dia 14, divulga a convocação da Seleção Brasileira.

Islândia confirmou os 23 nomes que disputarão a Copa do Mundo (Foto: Tobias Schwarz/AFP)

Confira os 23 jogadores convocados pela Islândia para a disputa da Copa do Mundo: 

Goleiros: Hannes Pór Halldórsson (Randers – Dinamarca), Frederik Schram (Roskilde – Dinamarca) e Rúnar Alex Rúnarsson (Nordsjaelland – Dinamarca);

Defensores: Ari Freyr Skúlason (Lokeren – Bélgica), Hördur B. Magnússon (Bristol City), Hólmar Örn Eyjólfsson (Levski Sofia – Bulgária), Kári Árnason (Aerdeen – Escócia), Sverrir Ingi Ingason (Rostov – Rússia), Ragnar Sigurdsson (Rostov), Samúel K. Fridjónsson (Valerenga – Noruega) e Birkir Már Saevarsson (Valur – Islândia);

Meias: Jóhann Berg Gudmundsson (Burnley), Arnór Ingvi Traustason (Mälmo – Suécia), Aron Einar Gunnarsson (Cardiff City), Ólafur Ingi Skúlason (Karabukspor – Turquia), Gylfi Sigurdsson (Everton), Emil Hallfredsson (Udinese) e Birkir Bjarnason (Aston Villa);

Atacantes: Rúrik Gíslason (Sandhausen – Alemanha), Björn B. Sigurdarson (Rostov), Albert Gudmundsson (PSV), Alfred Finnbogason (Augsburg) e Jón Dadi Bödvarsson (Reading)



A expectativa dos jogadores no país anfitrião da Copa do Mundo já chegou ao fim. Nesta sexta-feira, a União de Futebol da Rússia anunciou uma pré-lista de 28 jogadores convocados pelo treinador Stanislav Cherchesov para o início da preparação, programada para acontecer no Centro de Treinamentos de Novogorsk, em Moscou, e na Áustria, entre os dias 18 e 31 de maio.

A convocação, como de costume, reservou algumas surpresas e a principal delas foi a ausência de Glushakov, meia do Spartak Moscou considerado a referência técnica do time. Brasileiro naturalizado russo, o lateral Mário Fernandes foi convocado e deve permanecer no elenco para o Mundial.

Seleção da Rússia convocou 28 nomes para a Copa do Mundo (Foto: Reprodução/Twitter)

Antes da estreia no dia 14 de junho, diante da Arábia Saudita, em Moscou, às 12h (de Brasília), a Rússia realiza dois amistosos. O primeiro deles contra a seleção austríaca, em Innsbruck, no dia 30 de maio, podendo utilizar os 28 nomes chamados nesta sexta-feira. A convocação “final” com os 23 nomes está programada para acontecer dia 4 de junho, um dia antes do último teste diante da Turquia, em Moscou.

Junto com o anúncio da pré-lista, o treinador russo divulgou mais sete atletas que ficam de “stand-by”, ou seja, se tornam opções desde que um dos companheiros tenha de ser cortado. Nesse cenário aparece o nome de Glushakov, assim como o de outro brasileiro naturalizado, o goleiro Guilherme Marinato.

Cinco dias depois de enfrentar a Arábia Saudita, os anfitriões viajam até São Petersburgo, onde pegam o Egito. A última partida da primeira fase é contra o Uruguai, no dia 25, em Samara.

Confira a lista de 28 jogadores pré-convocados pela Rússia:

Goleiros: Akinfeev (CSKA Moscou), Vladimir Gabulov (Brugge), Dzhanaev (Rubin Kazan) e Lunev (Zenit);

Defensores: Granat, Kambolov e Kudryashov (Rubin Kazan), Kutepov (Spartak Moscou), Neustädter (Fenerbahçe), Rausch (Dínamo de Moscou), Semenov (Terek Grozny), Smolnikov (Zenit) e Mário Fernandes (CSKA Moscou);

Meio-campistas: Gazinsky (Kuban Krasnodar), Golovin e Dzagoev (CSKA Moscou), Erokhin, Zhirkov e Kuziyev (Zenit), Zobnin e Samedov (Spartak Moscou), Tashaev (Dínamo de Moscou) e Cheryshev (Villarreal);

Atacantes: Dzyuba (Arsenal Tula), Miranchuk (Lokomotiv Moscou), Smolov (Kuban Krasnodar), Chalov (CSKA Moscou);

Suplentes: Guilherme Marinato e Ignatiev (Lokomotiv Moscou), Kombarov e Glushakov (Spartak Moscou), Shvets (Terek Grozny), Zabolotny e Poloz (Zenit).



Faltam apenas 34 dias para a Copa do Mundo da Rússia e as federações começarão a divulgar, em breve, os convocados de suas seleções. Nesta manhã, a Polônia, que está no grupo H da competição, divulgou uma lista de pré-convocados com 35 nomes, entre eles o zagueiro Thiago Cionek, que atua pelo SPAL, da Itália, nasceu no Brasil e se naturalizou polonês. Além dele estão o astro Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, Szczesny, goleiro reserva da Juventus, Fabianski, do Swansea City, Piszczek, do Borussia Dortmund, e Kuba, do Wolfsburg, que havia ficado fora da lista para os amistosos disputados em março.

A relação final com 23 jogadores será divulgada apenas no dia 4 de junho, informou o comunicado da entidade. Caso algum desses atletas seja cortado, o substituto deve ser algum dos 35 nomes desta pré-convocação, obrigatoriamente. Depois disso, a seleção polonesa enfrentará o Chile e a Lituânia em amistosos de preparação. Sua estreia no Mundial será em 19 de junho, contra o Senegal, às 9h (de Brasília).

Confira abaixo todos os nomes:

Federação polonesa divulgou lista com 35 pré-convocados para a Copa do Mundo da Rússia (Foto: Divulgação)

Goleiros: Bialkowski (Ipswich Town – Inglaterra), Fabianski (Swansea), Skorupski (Roma) e Szczesny (Juventus);
Defensores: Bednarek (Southampton), Bereszynski (Sampdoria), Thiago Cionek (SPAL), Glik (Monaco), Jedrzejczyk (Legia Varsóvia), Kaminski (Stuttgart), Kedziora (Dínamo de Kiev), Pazdan (Legia Varsóvia) e Piszczek (Borussia Dortmund);
Meio-campistas: Blaszczykowski (Kuba) (Wolfsburg), Dawidowicz (Palermo), Frankowski (Jagiellonia Bialystok – Polônia), Goralski (Ludogorets), Grosicki (Hull City), Kadzior (Gornik Zabrze – Polônia), Krychowiak (West Bromwich), Rafal Kurzawa (Gornik Zabrze – Polônia), Linetty (Sampdoria), Makuszewski (Lech Poznan – Polônia), Maczynski (Legia Varsóvia), Pesko (Lechia Gdansk), Rybus (Lokomotiv Moscou), Szymanski (Legia Varsóvia), Zielinski (Napoli) e Zurkowski (Gornik Zabrze – Polônia);
Atacantes: Kownacki (Sampdoria), Lewandowski (Bayern de Munique), Milik (Napoli), Piatek (Nieciecza – Polônia), Teodorczyk (Anderlecht) e Wilczek (Brondby – Dinamarca).
Técnico: Adam Nawalka



A poucos dias da final da Copa da Liga Inglesa, quando o Chelsea enfrentará o Manchester United, e às vésperas da convocação para a Copa do Mundo de 2018, marcada para a próxima segunda-feira, o meia-atacante Willian já tem motivos para comemorar. Na noite dessa quinta, o brasileiro foi laureado com dois troféus no ‘Player Awards 2017-18’, evento realizado pelo Chelsea nos finais de cada temporada.

Primeiro, o camisa 22 faturou o prêmio de ‘Goal of The Season’ (Gol da temporada, em português), pelo belíssimo gol marcado contra o Brighton & Hove Albion, no dia 20 de janeiro deste ano, em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Inglês. Veja o gol aqui!

Depois, ainda no mesmo evento, Willian recebeu outro troféu, desta vez o ‘Players’ Player of The Year’ (Jogador do ano escolhido pelos atletas do clube) – na temporada 2015/2016 ele também já havia recebido este prêmio.

Willian foi escolhido pelos companheiros o melhor jogador do Chelsea e também autor do gol mais bonito da time (Foto: Divulgação/Comcept)

“Estou muito feliz por ter recebido estes dois prêmios, um do gol mais bonito e o outro do melhor jogador da temporada escolhido por meus companheiros. Acho que essa temporada foi muito boa para mim, pois consegui melhorar meus números de gols e assistências, e como sempre digo, desde que cheguei ao Chelsea, meu objetivo é evoluir a cada ano e continuar melhorando meu rendimento durante os jogos. Enfim, creio que temporada após temporada venho conseguindo atingir números importantes e jogando cada vez melhor. Sem dúvidas foi um ano especial para mim”, disse o camisa 22.

Nesta temporada, Willian já disputou 53 partidas pelo Chelsea (35 no Campeonato Inglês, oito na Liga dos Campeões da Europa, cinco pela Copa da Liga Inglesa, quatro na Copa da Inglaterra, e uma na Supercopa da Inglaterra), marcou 13 gols e deu 10 assistências. No total, pelo clube inglês, o brasileiro soma 234 jogos, 44 gols, 34 assistências e três títulos – Campeonato Inglês 2014/2015 e 2016/2017 e Copa da Liga Inglesa 2014/2015.

A temporada 2017/2018 ainda pode reservar um novo título para Willian. Afinal, no próximo dia 19, sábado, o Chelsea fará a final da FA Cup, da Copa da Liga Inglesa, contra o Manchester United, às 13h15 (horário de Brasília), no mítico estádio de Wembley.

Antes disso, neste domingo, os Blues farão o último jogo do Campeonato Inglês, contra o Newcastle, fora de casa. No dia seguinte, Willian deve receber de Tite a confirmação de sua convocação à Copa do Mundo da Rússia.