Futebol Internacional/Campeonato Sul-Americano Sub-20

Com alterações na equipe, Brasil vai bem contra Venezuela e agrada Gallo

GazetaEsportiva.net - Maldonado , - Uruguai
20/01/2015 08:33:00

Em: Brasil, Futebol, Futebol Internacional

As cinco alterações promovidas por Alexandre Gallo para a partida contra a Venezuela, sendo duas na linha de frente, tornaram o jogo da Seleção Brasileira mais veloz e envolvente. Depois de um primeiro tempo sem gols, o Brasil voltou dos vestiários decidido a conquistar o resultado, e conseguiu os três pontos graças aos gols de Kennedy, em belo chute de fora da área, e Gabriel, que foi oportunista ao escorar um cruzamento da esquerda. A boa atuação, que culminou no triunfo, agradou o treinador.

Com Marcos Guilherme, Gabriel e Malcom formando o trio de ataque, o Brasil passou a ter muito mais mobilidade do meio para frente, confundindo a defesa venezuelana por conta da frequente troca de posições. Porém, errando passes decisivos, a Seleção perdeu a chance de construir vantagem desde o início. “No primeiro tempo nós tivemos dificuldade, não conseguimos encaixar o último passe para criar mais oportunidades de gol. Tivemos alguns jogadores sentindo a sequência de três jogos em cinco dias, pega um pouquinho”, comentou Gallo, que teve de substituir Gerson por Nathan por questões físicas.

A postura dos garotos na etapa final agradou à comissão, que só lamentou a vitória não ter sido por um saldo maior de gols. “O segundo tempo foi muito bom, as substituições foram boas e deram a resposta positiva. Poderíamos ter feito o terceiro e o quarto gol com boas oportunidades, era isso que a gente esperava, pensando também na questão do saldo de gols”, apontou o técnico. “Foi muito bom, agora é descansar para a última partida do grupo contra a Colômbia”, prosseguiu.

Artilheiro do Santos ao longo da temporada passada, Gabriel disputou sua primeira partida como titular no Sul-Americano e pôde contribuir na vitória brasileira com um gol. Feliz por ajudar o time, “Gabigol” comentou sobre o jogo e reforçou a importância do repouso para a última partida do Grupo B. “É sempre um jogo difícil, independente da seleção. É um campeonato diferente, outro juiz, é diferente do Brasil. A gente chegou bem ao ataque no primeiro tempo, mas não conseguimos concluir em gol. No segundo tempo, conseguimos fazer os gols e tivemos mais oportunidades”, falou o camisa 7 que, além do gol na etapa final, mandou uma bola na trave no primeiro tempo.

Temendo desgaste físico, Gallo elogia dinâmica da Seleção e pede repouso para fechar grupo contra Colômbia
Temendo desgaste físico, Gallo elogia dinâmica da Seleção e pede repouso para fechar grupo contra Colômbia – Credito: Rafael Ribeiro/CBF