CBF anuncia cidades-sede da Copa América de 2019 - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

Maracanã deve ser uma das sedes da Copa América do ano que vem (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

A Confederação Brasileira de Futebol confirmou nesta quinta-feira as cinco cidades-sede da Copa América de 2019, que será realizada no Brasil. Os jogos do torneio continental acontecerão em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador.

A definição das cinco sedes aconteceu no encontro entre os presidentes de federações sul-americanas, na inauguração da casa Conmebol, em Moscou, na Rússia. O vice-presidente da CBF, Fernando Sarney, foi o responsável por discursar, já que Coronel Nunes sequer apareceu no evento pelo mal-estar criado na última quarta-feira.

Além de Fernando Sarney, quem também representou a CBF no encontro foi Rogério Caboclo, diretor executivo de gestão e futuro presidente da entidade. Caboclo, que já venceu a eleição presidencial sem qualquer concorrente, assumirá o cargo em abril de 2019.

Apesar de as cidades-sede terem sido divulgadas, ainda não se sabe em quais estádios os jogos irão acontecer. A tendência é que apenas em São Paulo haja a possibilidade de os confrontos não serem realizados no estádio que sediou a Copa do Mundo de 2014, uma vez que o Allianz Parque está na briga para desbancar a Arena Itaquera como palco da Copa América.

A Copa América de 2019 está prevista para começar no próximo dia 14 de junho. A final acontece no dia 7 de julho. Esse será o primeiro torneio continental de seleções realizado no Brasil desde 1989, quando a Seleção se sagrou campeã em cima do Uruguai.



12 seleções estão confirmadas para a próxima edição da Copa América, em junho de 2019, no Brasil (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Na tarde desta sexta-feira, a Conmebol anunciou que 12 seleções disputarão a Copa América de 2019, no Brasil. Além dos membros da entidade, Japão e Catar foram convidados e aceitaram participar da competição, que se realizará entre 14 de junho e 7 de julho do próximo ano, em sete cidades e oito estádios brasileiros.

“A Copa América do Brasil em 2019 será uma competição apaixonante, na qual qualquer um poderá chegar ao título. Além de contar com a participação das seleções nacionais de nossas dez associações-membro, damos novamente as boas-vindas à seleção do Japão, cuja associação nos unimos com um vínculo próximo de amizade, e, pela primeira vez, contaremos com a participação do Catar, que será a anfitriã da Copa do Mundo Fifa em 2022”, disse o Presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

Inicialmente, discutia-se a ideia de 16 seleções disputarem a Copa América, mas a Conmebol manteve as 12, como nas outras edições. Além de Japão e Catar, convidadas, farão parte Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai, Peru, Equador, Venezuela, Colômbia e Bolívia. O vencedor garante vaga na Copa das Confederações de 2021, no Catar.

A Copa América é o torneio de seleções mais antigo do mundo, com a primeira edição disputada na Argentina, em 1916. Esta será a quinta vez que a competição será realizada no Brasil e a primeira celebrada no país desde 1989. O atual bicampeão Chile tentará manter a boa sequência, enquanto o Uruguai pretende prosseguir com sua soberania de 15 títulos, diante da Argentina, que possui 14, e do Brasil, que já levantou a taça em oito oportunidades, a última delas em 2007.

Confira as novidades do futebol paulista desta sexta-feira:



Seleção do país sede da próxima Copa do Mundo virá ao Brasil em 2019 (Foto: Divulgação/Twitter)

A Seleção do Catar, país sede da próxima Copa do Mundo, em 2022, foi convidada para participar da Copa América de 2019, no Brasil. A informação foi revelada nesta quinta-feira por Iván Bravo, diretor da Aspire, instituição esportiva governamental do país árabe.

“Será a primeira vez que o Catar enfrentará seleções como o Brasil ou a Argentina. Constituirá uma oportunidade única para a seleção acumular experiência, para que possa competir de igual para igual no Mundial de 2022”, disse Bravo.

A declaração foi dada durante um congresso sobre futebol internacional que ainda contou com as presenças do ex-técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari; do atual treinador da seleção espanhola, Julen Lopetegui; e do técnico da Bélgica, Roberto Martinez.

Além de Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Paraguai, Chile, Venezuela, Bolívia, Equador e Peru, que são os 10 membros da Conmebol, a Copa América de 2019 ainda terá como convidados Catar, China, Japão, Estados Unidos, México, e mais uma seleção que ainda será definida.



Domínguez considera o anúncio como um marco no processo de reestruturação da Conmebol (Foto: AFP)

Nesta quarta-feira, a Conmebol (Confederação Sul-americana de futebol) definiu a empresa que se responsabilizará pelos direitos comerciais da Copa América de 2019, que será disputada no Brasil. A instituição escolhida foi a MP & Silva LLP, após um processo de licitação e avaliação técnica e comercial de todas as propostas recebidas em 13 de março de 2018.

“Com imensa satisfação anunciamos o resultado de outro processo profissional, transparente e com regras claras. A MP & Silva LLP é uma conhecida empresa especializada em comercialização de direitos esportivos e que trabalha com grandes eventos como Roland Garros, NFL, Serie A e Premier League. Esta decisão tomada pelo Conselho assinala mais um marco no cumprimento da promessa estratégica de gerar maior valor para reinvestir no desenvolvimento do futebol”, apontou o presidente da entidade Alejandro Domínguez, como publicado no site oficial.

Como sugere a publicação, a contratação faz parte de um projeto da Conmebol em tornar a gerência do futebol sul-americano mais transparente e profissional. Reformas vem sendo implementadas desde 2016 com o objetivo de melhorar a qualidade e a organização dos campeonatos no continente.

A Copa América voltará a ter sua sede no Brasil após 30 anos. A competição está programada para ocorrer 14 de junho e sete de julho de 2019.



A seleção chilena sagrou-se campeã das últimas duas edições do torneio (Foto: Divulgação)

Em reunião realizada nesta sexta-feira em Punta Del Este, no Uruguai, a Conmebol oficializou o início dos trabalhos do Comitê Organizador Local (COL) da Copa América 2019 e definiu as datas da competição que será realizada no Brasil.

“É um orgulho darmos início aos preparativos para realizar uma Copa América inesquecível, num país que traz a experiência recente de organizar grandes eventos esportivos. A Conmebol vive um novo momento e temos certeza que será uma competição histórica, que volta ao Brasil após 30 anos”, destacou o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez.

O torneio será realizado entre 14 de junho e 7 de julho de 2019, e ficou definida a presença de Cafu e Branco no COL. Além disso, Rogério Caboclo, diretor-executivo da gestão da CBF; Fernando Sarney, vice da CBF e integrante do Conselho da Fifa; e Antonio Carlos Nunes, presidente interino da CBF também farão parte do comitê. Questões como locais de jogos e seleções convidadas serão definidos nas próximas semanas.

“Apresentamos o projeto e aprovamos os aspectos gerais da competição, que será realizada de 14 de junho a 7 de julho. Nas próximas semanas haverá novas definições, como as cidades sedes e as seleções participantes. O Brasil conta com estruturas esportivas qualificadas, que estão passando por vistorias para que a Conmebol e o COL possam tomar essas decisões, que serão informadas tão logo seja possível”, disse Caboclo.

A Copa América do Brasil contará com 16 participantes, sendo 10 deles integrantes da Conmebol e mais seis convidados. Esta será a quinta edição do torneio a ser realizada em terras tupiniquins. O Brasil já sediou a competição em 1919, 1922, 1949 e 1989.



Nesta terça-feira, a Conmebol anunciou a data e o local da próxima edição da Copa América de futebol feminino, que será realizada no próximo ano.

A competição acontecerá entre os dias 4 e 22 de abril de 2018, no Chile. As cidades escolhidas para receberem o evento foram Coquimbo, La Serena e Ovalle.

Brasil tentará manter hegemonia na Copa América (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

A Seleção Brasileira tentará manter a soberania na competição, já que, em sete edições, a equipe verde e amarela foi campeã em seis, sendo a última vez em 2014.

Além do título do torneio, a Copa América dará duas vagas diretas e uma para a repescagem da Copa do Mundo da França, em 2019; duas para os Jogos Olímpicos do Tóquio, em 2020; e quatro para os Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019.



Osorio é técnico do México desde outubro de 2015  (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Osorio é técnico do México desde outubro de 2015 (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Depois de perder por 7 a 0 para o Chile nas quartas de final da Copa América Centenário, Juan Carlos Osorio, treinador da seleção mexicana, ficou devastado. Com as especulações se seria demitido ou não, o técnico colombiano pediu auxílio de Marcelo Bielsa para superar o mau momento.

Osorio procurou conversar e se cercar por pessoas do futebol que haviam sofrido derrotas similares à dele. O ex-treinador do São Paulo trocou ideias com três indivíduos por telefone, mas encontrou Bielsa pessoalmente, ficando em sua casa por cinco dias.

“Fazíamos duas caminhadas por dia de quase duas horas e, às vezes, até quatro, falando sobre futebol, compartilhando experiências. Esses cinco dias foram muito enriquecedores para mim e me fortaleceram muito”, lembrou em entrevista para a Televisa.

Apesar da histórica derrota, a Federação Mexicana optou pela permanência de Osorio no comando da seleção. Restaurado, o treinador acredita que as conversas com Bielsa o ajudaram a entender o porquê da goleada e está pronto para encaminhar uma boa sequência de partidas.

“Eu me sinto forte novamente para encontrar o caminho para atingirmos os nossos objetivos e nos prepararmos para o que virá. Teremos uma boa eliminatória e nos apresentaremos bem no Mundial”, avisou.



Vargas tirou sarro de retrospecto negativo dos argentinos contra o Chile (Foto: AFP)
Vargas tirou sarro de retrospecto negativo dos argentinos contra o Chile (Foto: AFP)

O título do Chile na Copa América Centenário diante da Argentina marcou a segunda conquista continental em dois anos que a La Roja consegue para cima da albiceleste. E o retrospecto recente incentivou o atacante Eduardo Vargas a fazer brincadeira com a freguesia dos argentinos.

“Os meios de comunicação argentinos nos puxam para baixo para sempre, mas é isso, nós conseguimos vencê-los, eles já são nossos filhos”, provocou o atacante em declaração a uma rádio chilena.

O jogador, entretanto, não deixou de exaltar o valor de bater uma equipe poderosa como a da Argentina na decisão e destacou a dificuldade de vencer o torneio sem ser o país sede desta vez.

“É uma das grandes seleções do mundo, experiente em finais. Para mim, esta Copa América foi mais emocionante, pois estávamos longe, sem a nossa torcida. Era muito difícil”, concluiu.



Kempes comenta aposentadoria de Messi (Foto: AFP)
Kempes comenta aposentadoria de Messi (Foto: AFP)

Um dos maiores ídolos argentinos, Mario Alberto Kempes deixou sua opinião sobre o assunto da aposentadoria de Messi da seleção argentina. Conhecido por ter sido um dos destaques na conquista da Copa do Mundo de 1978, o ex-jogador acredita que Messi irá pensar melhor sobre esta decisão.

“Acredito que Messi voltará à seleção, é só uma febre. Acho que ele vai refletir e chegará à Copa da Rússia com uma boa idade. As pessoas se deram conta de que Messi é um ser humano. Com as lágrimas, perceberam que ele não é um marciano. Fez bem em demonstrar que tem sentimentos e que a derrota o machuca”, disse à rádio espanhola Cope.

Além disso, Kempes ressalta o bom desempenho da Argentina na Copa América Centenário, mas comenta que esperava uma seleção mais agressiva contra o Chile. “A Argentina não fez um campeonato ruim, mas foi mal na final. Não teve iniciativa durante todo o jogo contra o Chile e acabou sendo derrotada nos pênaltis”, refletiu.

“Chegamos a quatro finais, e a situação não é ruim. Espero que na Rússia muitos dos jogadores sejam os mesmos e não abandonem o barco. Devem deixar a seleção com um triunfo, porque têm de sair pela porta da frente”, finalizou Kempes, que recordou de alguns jogadores desta geração que já disputaram decisões pela Argentina (Copa América de 2007, 2015 e 2016 e a Copa do Mundo de 2014).



Cumprindo rotina de eventos na Índia, Pelé fala sobre Fifa e candidatura de Zico (Foto: Sajjad Hussain/AFP)
Para Pelé, Messi tem que reconsiderar sua aposentadoria precoce e seguir atuando pela seleção (Foto: Sajjad Hussain/AFP)

Depois de Maradona e Mário Kempes declararem apoio a Lionel Messi, foi a vez do Rei do Futebol pedir para que o camisa 10 argentino esfrie sua cabeça e repense sobre deixar a seleção argentina.

“Nos últimos dez anos não há dúvida que ele foi o melhor. O que aconteceu ali acontece no futebol. Apenas aqueles que chutam o pênalti é que podem errar”, comentou o maior jogador de todos os tempos para a britânica Sky Sports.

Na final da Copa América Centenário, Messi perdeu sua quarta final atuando pela seleção principal da Argentina. Pela primeira vez, contudo, a derrota veio com um pênalti perdido pelo próprio.

“Ele ficou muito triste, mas talvez se esperarmos um pouco, ele vai esquecer. Isso acontece com muitos grandes jogadores. Para mim ele foi um dos melhores jogadores do mundo nos últimos quinze anos. Espero que ele me ouça e repense sobre largar a seleção”, completou o tricampeão mundial com o Brasil.

Foi a terceira Copa América que Messi amargou o vice-campeonato (2007, 2015 e 2016). Em 2014, o craque também bateu na trave na Copa do Mundo, sendo derrotado pela Alemanha na final do Mundial do Brasil. Com mais um vice, os argentinos amargam uma fila de 23 anos sem títulos, tendo conquistado o torneio sul-americano pela última vez em 1993.