Futebol/Sul-Americano sub-20

Apesar de provas televisivas, Paraguai aborta denúncia contra Gallo

GazetaEsportiva.net - Montevidéu , - Uruguai
30/01/2015 21:06:00

Em: Brasil, Campeonatos, Futebol, Futebol Internacional

A primeira vitória da Seleção Brasileira no Hexagonal Final do Sul-Americano sub-20, diante do Paraguai, por 2 a 0, virou alvo de investigação. Os dirigentes guaranis alegaram que o técnico canarinho, Alexandre Gallo, mesmo suspenso, passou orientações ao seus comandados, das tribunas do Gran Parque Central. A prática é irregular e poderia gerar sanções ao esquadrão verde e amarelo. Todavia, a federação de futebol leonina desistiu da denúncia.

De acordo com a assessoria de imprensa paraguaia, os dirigentes guaranis possuíam toda a documentação pronta – incluindo provas televisivas. Entretanto, em reunião, na tarde desta sexta-feira, decidiram encerrar a investida. Os mandatários tinham até às 18 horas (de Brasília) para a formalização da revelação.

O delegado da partida, Álvaro Silva, revelou que representantes do Paraguai o abordaram após o duelo, realizado no acanhado estádio do Nacional-URU, avisando que entrariam com a representação. Porém, o agente nada relatou na súmula e admitiu não ter detectado nenhuma irregularidade durante a construção do triunfo brasileiro.

Suspenso, Alexandre Gallo não poderia dar instruções ao seus comandados contra o Paraguai, no Gran Parque Central
Suspenso, Alexandre Gallo não poderia dar instruções ao seus comandados contra o Paraguai, no Gran Parque Central – Credito: Rafael Ribeiro/CBF
Ao tentar defender o comandante, o volante Walace, que também assistiu ao duelo das tribunas – por ter sido expulso no compromisso passado, contra o Uruguai (empate por 0 a 0) –, apresentou discurso contraditório. Em primeiro momento, o jogador do Grêmio admitiu que houve contato entre Gallo e o banco de reservas brasileiro. Porém, depois, ressaltou que o treinador ficou quieto e apenas presenciou a partida tranquilamente.

“A gente não teve a oportunidade de estar em campo, mas procuramos ajudar da melhor maneira possível. O estádio vazio facilitou a comunicação. Deu para o Elliot (preparador físico) escutar o que o técnico estava querendo passar”, disse, antes de se contradizer: “O Gallo ficou tranquilo e quieto. Ele falava com a gente e nós, atletas, procuramos comunicar os companheiros lá embaixo”.

Por sua vez, o atacante Gabriel mostrou surpresa com a denúncia paraguaia. O jogador do Santos revelou não ter percebido nenhuma orientação de Gallo e reforçou a confiança no pleno trabalho do auxiliar, Maurício Copertino, ex-zagueiro da formação da Vila Belmiro. “Ele é como se fosse um segundo treinador para nós. Acompanha todos os treinos e sabe bastante. Não estou sabendo dessa influência externa”, apontou.