Gazeta Esportiva

Luis Castro explica ausência de Patrick de Paula contra o Palmeiras: "A semana de trabalho é sagrada"

São Paulo, SP

03/10/22 | 23:55 - 04/10/22 | 00:02

O Botafogo perdeu para o Palmeiras nesta segunda-feira, por 3 a 1, no Nilton Santos. Após a partida, o treinador Luis Castro foi questionado sobre a ausência do meia Patrick de Paula em mais uma relação do time carioca. Havia uma expectativa de que o ex-palmeirense reencontrasse o time paulista, mas a mesma não foi confirmada.

Em entrevista coletiva, o português abordou as questões que o levaram a deixar Patrick de fora da partida contra sua antiga equipe.

"Patrick de Paula. Por que Patrick de Paula não está convocado? Porque nós convocamos os jogadores em função daquilo que foi o último jogo, em função daquilo que é o jogo seguinte e em função daquilo que é o trabalho semanal. Ele é um jogador que esteve lesionado durante algum tempo, não se encontrava nas melhores condições na minha opinião, não foi relacionado. Fácil", disse Luis Castro, que explicou as escolhas no banco de reservas.

"Procuramos espelhar no banco uma equipe. E a equipe que nós espelhamos foi Rafa, Carli, Sampaio e DJ numa linha defensiva, três médios com Piazon, Romildo e Jacob e três avançados com Sauer, Victor Sá e Matheus Nascimento. Sempre três goleiros, porque durante o aquecimento pode haver um que se lesiona e nós não podemos ter nenhum no banco", completou o treinador.


Sem condições

Luis Castro falou, ainda, sobre as condições do meia.

"Ou pode jogar ou não pode jogar. Ou pode ter um grande desempenho ou não pode ter um grande desempenho", começou. "Na vida é isso, ou tem condições ou não tem condições, não pareceu estar em condições já há algumas semanas e, enquanto não tiver condições, comigo não vai há jogo", comentou Luis Castro.

Por fim, o português falou sobre a importância do dia-a-dia de trabalho no Botafogo para concluir sua explicação sobre a ausência de Patrick de Paula.

"Para mim, a semana de trabalho é sagrada. Para mim, a palavra 'trabalho' é uma coisa que me acompanha desde os 17 anos que sou profissional", disse o treinador. "Respeito pelo trabalho e dignidade no trabalho, para mim, são valores fundamentais", concluiu.

Agora, o Botafogo volta a campo na próxima quinta-feira, às 19 horas (de Brasília), para enfrentar o Avaí fora de casa.

Deixe seu comentário