Gazeta Esportiva

Gestor do Botafogo-SP vibra com acesso para Série B

São Paulo, SP

25/09/22 | 23:40

O retorno do Botafogo-SP à Série B do Campeonato Brasileiro é motivo de grande satisfação para o projeto que envolve o clube, um dos que aprovou a transformação em SAF O time de Ribeirão Preto está sob a supervisão da Trexx Holding, empresa de investimentos liderada por Adalberto Baptista, ex-dirigente do São Paulo.

“O acesso vem para coroar um trabalho em equipe, entre diretoria de futebol, jogadores e comissão técnica. O Botafogo-SP trabalha com um planejamento consolidado, com métricas financeiras e grandes objetivos dentro de campo. Retornamos a Série B, estamos entre as quarenta principais equipes do Brasil, feito que é muito importante para a agremiação e por isso estamos celebrando muito”, celebra Adalberto.

Veja também:
Mirassol garante acesso e vai à final da Série C; Botafogo-SP também sobe

Dentro de campo, a campanha na Série C foi recheada de altos e baixos. Com duas vitórias nas primeiras rodadas, o time não conseguiu manter o ritmo e ficou no meio da tabela na primeira metade da competição. Após a chegada de Paulo Baier, o Botafogo-SP conseguiu engrenar e terminou a primeira fase na quinta colocação, com 32 pontos conquistados.

No quadrangular, o Botafogo venceu o Volta Redonda em duas oportunidades. Contra o Aparecidense-GO, triunfou fora de casa, mas acabou derrotado em casa. No embate paulista, empatou na Arena, mas perdeu em Mirassol.

Sobre a mudança de patamar do time, Adalberto Baptista ressaltou que a competição trará mais visibilidade para os ativos do clube, fazendo com o que aporte financeiro também seja impulsionado. “Em termos financeiros, a participação na Série B possibilita um investimento maior no futebol. As cotas de TV são maiores, os patrocinadores têm mais interesse em investimento e conseguimos alavancar o programa de sócio-torcedor. Além disso, é um campeonato extremamente competitivo, com grandes equipes do futebol brasileiro lutando por uma vaga na Série A”, acrescenta.

Em outubro do ano passado, após a regulamentação no país, a agremiação adequou os estatutos sociais para a transformação em SAF. A elite do futebol brasileiro é um projeto idealizado pelo clube, mas o dirigente ressalta as dificuldades e a importância de um planejamento a longo prazo.

“O projeto é muito grande. Não queremos ser a principal estrela do futebol brasileiro da noite para o dia, mas sabemos que podemos crescer a nível nacional. É um clube com muita história, uma torcida engajada e uma cidade que respira futebol. Nos últimos anos, a agremiação passou por um processo de reconstrução e conseguimos criar novas fontes de renda que possibilitaram um aporte maior no futebol”, explica Adalberto Baptista.

Deixe seu comentário