Futebol/Bastidores

Técnico da Bélgica coloca Hazard no mesmo patamar de Neymar e Mbappé

São Paulo , SP
11/06/2019 14:58:32

Em: Bastidores, Bélgica, Futebol Espanhol, Futebol Internacional, Notícias, Real Madrid
Roberto Martinez é o técnico da Bélgica (Foto: AFP)

Eden Hazard é a grande esperança do Real Madrid para retomar o protagonismo no cenário do futebol espanhol e europeu. Após levar a Bélgica ao histórico terceiro lugar na última Copa do Mundo, o meia-atacante ainda fez ótima temporada no Chelsea, onde conquistou a Liga Europa marcando dois gols na decisão diante do rival Arsenal.

Em franca evolução, Hazard acertou sua transferência aos Merengues depois de uma longa novela. Diante desse cenário, Roberto Martínez, treinador da seleção belga, não poupou elogios ao jogador de 28 anos, comparando-o a craques como Neymar e Mbappé.

“Para mim, está (no mesmo nível de Neymar e Hazard). A grande referência é o que mostrou na última Copa do Mundo: são muitos nomes e jogadores que são populares, mas temos que mirar a essência que leva o jogador a esse ponto, a maneira com que ele influencia o grupo, a maneira que ganha consistência de partida em partida”, destacou o comandante ao jornal espanhol As.

“Como por exemplo, a influência que Eden teve no Chelsea para ganhar a Liga Europa e o papel dele na Copa da Rússia. É um jogador muito difícil de encontrar, porque se baseia no talento individual que tem, que é excepcional. Isso sempre vai dar vantagem em relação a qualquer outro nome que se possa mencionar”, completou.

Hazard trocou o Chelsea pelo Real Madrid na última semana (Foto: AFP)

Martínez ainda aproveitou para destacar o crescimento pessoal de Hazard. Segundo o treinador, o craque amadureceu sua personalidade, soube lidar com a consequente responsabilidade e se tornou um dos líderes da seleção belga.

“Sua grande evolução aconteceu na personalidade. A grande responsabilidade que foi dada a ele pelo futebol belga é significativa para entender uma das melhores gerações do futebol do país, que, depois do terceiro lugar na última Copa, se converteu em uma geração de ouro”, afirmou.

“Ele ajudou o grupo a ter mais serenidade quando necessário, a ser nós mesmos. Sempre tem consistência emocional, algo que da a entender que está preparado para liderar qualquer projeto”, completou.