Presidente do Barça apoia catalães e cancela treinos desta terça-feira

São Paulo, SP

02-10-2017 15:04:33

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e o porta da voz do clube, Josep Vives, receberam os jornalistas na sala de imprensa do Camp Nou nesta segunda-feira para transmitir a posição oficial da agremiação culé a respeito do movimento separatista catalão e suas implicações esportivas e sociais.

Neste domingo, enquanto milhões de cidadãos foram às ruas para votar a favor ou contra a separação da Catalunha do território espanhol, o Barcelona teve de entrar em campo contra o Las Palmas, pelo Campeonato Espanhol, de portões fechados. Bartomeu justificou a escolha, mas garantiu que o desejo de todos era de não disputar a partida válida pela sétima rodada da competição.

Embora o presidente do Barcelona tenha se decepcionado com o fato de a LFP ter proibido a ausência da equipe no jogo deste domingo, o dirigente também procurou enxergar toda a situação de um outro ângulo e crê que um estádio com capacidade para quase 100 mil espectadores ser mostrado completamente vazio em pleno dia de jogo soou de maneira negativa para os organizadores do Campeonato Espanhol.

Além disso, Bartomeu também garantiu que todos do clube irão se juntar aos atos programados para esta terça-feira. Ou seja, nenhuma equipe culé irá treinar na Cidade Esportiva, acompanhando a greve liderada por diversos sindicatos catalães.

Confira o pronunciamento de Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, sobre o movimento separatista da Catalunha:

Fizemos uma reunião extraordinária diante da situação excepcional que vive nosso país. Nos últimos anos aderimos ao pacto de direito a decidir e ao referendo. Em setembro condenamos as detenções que aconteceram e manifestamos nosso apoio às pessoas e instituições que trabalham para garantir os direitos. Na mesma linha, ontem expressamos nossa condenação mais enérgica ao uso indiscriminado da força para impedir o voto de milhões de cidadãos.

Tratamos sobre o assunto e decidi que jogaríamos a partida de portas fechadas. Entendo que muitos torcedores prefeririam a suspensão da partida, mas esta foi uma das decisões mais difíceis que tomei como presidente. Tentamos, mas a Liga não aprovou a solicitação. Creio que a imagem de um jogo de futebol em um Camp Nou vazio dá a visibilidade ao nosso protesto em relação ao que aconteceu. O jogo foi retransmitido para 174 países.

Lamentamos os danos que a decisão originou aos sócios, fãs e torcedores. Hoje aceitei a demissão de Vilarrubí e Jordi Monés. Agradeço-lhes pela dedicação ao clube. Por outra parte, o Barça se soma à greve de amanhã. Paralisaremos a atividade e nenhuma equipe irá treinar na Cidade Esportiva. Em um momento tão transcendental de nossa história, nos comprometemos ainda mais com a liberdade do nosso país. O que aconteceu ontem é inadmissível. Os catalães ganharam o direito de serem escutados. Continuaremos explicando ao mundo que realidade vive a Catalunha. Temos um compromisso fiel com a Catalunha e faremos valer em todas as ocasiões que teremos. Nos solidarizamos com quem ontem defendeu a democracia e com as vítimas das agressões. Viva o Barça! Viva a Catalunha!

Deixe seu comentário