Piqué não se arrepende apesar das vaias e alimenta rivalidade com Real

São Paulo, SP

10-09-2015 10:07:41

Logo na volta ao Barcelona, após servir à Espanha nas Eliminatórias da Eurocopa, o zagueiro Piqué foi à sala de entrevistas do CT Joan Gamper, nesta quinta, para esclarecer as polêmicas que cercam seu nome. Alvo de muitas vaias por parte do público espanhol durante os amistosos, o atleta se mostrou mais incomodado por seus companheiros do que pelo ego diminuído. Em tempo, disse que não se arrependeu das provocações feitas ao rival Real Madrid.

Após a conquista da Supercopa Europeia contra o Sevilla, Piqué sugeriu que os atletas do Barça dessem a volta olímpica e fez brincadeiras com o Real Madrid, que não conquistou título algum no último ano. Apesar da provocação, o jogador garante que mantém um bom relacionamento com os companheiros de seleção e que tal fato não suscitou questionamentos, a não ser pelas vaias.

“Me incomoda mais pela equipe do que por mim. As pessoas tem todo direito do mundo de vaiarem e se expressarem. Cada vez que defendo a seleção tento render o meu máximo. Se tem algo que me preocupa é por Del Bosque, pelos meus companheiros. Não sei se vai acontecer de novo, mas espero que seja em menor escala”, disse o jogador, que provocou até a mudança do local do amistoso contra a Inglaterra, em novembro, marcado previamente para o Santiago Bernabéu.

“Não me arrependo de nada do que fiz e faria tudo de novo. Sou assim, quero que o Madrid perca sempre. Amo o Barcelona acima de tudo. Não esperem que isso mude, porque não vai acontecer. Tenho uma boa relação com Iker e Ramos. O vestiário da seleção está melhor do que nunca. Ali dentro somos um”, completou o defensor, que antes de conceder entrevista, treinou com os demais companheiros.

Sentindo-se desconfortável pelas vaias com a camisa da Espanha, Piqué polemizou ao dizer que, as vaias e assobios, se vindos das arquibancadas do Bernabéu, soariam como música. “Se me vaiam pela relação entre Catalunha e Espanha não têm razão. Se me vaiam pela rivalidade, ela sempre existiu. Fiz uma brincadeira como tantas outras, não quis faltar com respeito a ninguém. Que não me vaiem com a seleção, façam isso quando eu for ao Bernabéu”, declarou.

Questionado na seleção, Piqué assume que sempre serviu seu país com o coração. “A última coisa que eu faria seria deixar a seleção. Vou seguir indo enquanto o técnico confiar em mim. Não vou falhar. Não vou à seleção por dinheiro. No Barça cobro cinquenta vezes mais do que na seleção. Tampouco vou por prestígio. Vou porque acredito que é certo defender seu país. Meu compromisso com a Espanha sempre foi dar meu máximo”, finalizou.

De olho em clássico, Barça conta com retornos em treino matinal

Com o clássico contra o Atlético de Madri marcado para este sábado, no Vicente Calderón, Luis Enrique teve novidades no treino desta quinta. Os espanhóis e brasileiros que estavam servindo às respectivas seleções se reapresentaram nesta manhã e já trabalharam com bola. Um novo treino acontecerá na manhã desta sexta para definir a equipe que vai a campo.

Além de Piqué, que atraiu a atenção dos jornalistas na sala de entrevistas, Busquets, Bartra, Jordi Alba e Iniesta reapareceram; assim como Neymar e Rafinha Alcântara, que voltaram dos Estados Unidos na última quarta-feira após dois amistosos com a Seleção Brasileira.

Deixe seu comentário