Galo tem dificuldades e fica no empate, mas se classifica

Do correspondente Marcellus Madureira - Belo Horizonte,MG

07/02/18 | 23:50 - 08/02/18 | 01:02

Erik fez o gol da classificação do Atlético-MG na Copa do Brasil (foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Por se tratar de um clube do Acre, que não tem em seu elenco 100% de atletas profissionais, era esperada mais facilidade. Não foi isso que aconteceu na Arena da Floresta, na noite desta quarta-feira, pela primeira fase da Copa do Brasil. O Galo mineiro encontrou muita dificuldade e o empate, por 1 a 1, deve ser bastante comemorado pelo clube de Belo Horizonte.

Isso porque o Atlético-MG foi pouco criativo, seu elenco não se comportou bem em campo, sua defesa foi frágil e pouco pode ser aproveitado do amontoado de atletas. O Atlético-MG saiu atrás do placar. A equipe mineira seguiu com a mesma postura de jogos passados. No fim das contas, o Galo foi pior em campo e o empate foi excelente para o que fez.

Pela Copa do Brasil, o Atlético agora enfrenta o Botafogo-PB. O duelo ainda não tem data definida, mas será entre 20 ou 21 de fevereiro, em João Pessoa.

Primeiro tempo

O Galo iniciou o jogo apresentando exatamente os mesmos problemas que tinha em jogos passados. Problemas no comportamento da equipe em campo, pouca criatividade e futebol coletivo esquecido.

Para a defesa, faltou também o fundamento do posicionamento. Talvez tenha ficado em Belo Horizonte. Pois, aos 6 minutos de jogo, João Marcus subiu sozinho na pequena área para mandar para o fundo das redes. No lance, Samuel Xavier novamente falhou, junto com a dupla de zaga.

Após o tento, o Galo tentou buscar o empate. Mas não tinha o mínimo de organização em campo. Oswaldo via o Atlético sem condições no gramado, mas não conseguia mudar qualquer situação. Elias e Otero não faziam um bom jogo - assim como toda a equipe. Ambos, entrentanto, tinham claras dificuldades de posicionamento.

Além dos vários problemas apresentados em campo, o Atlético tinha dificuldades em trocar passes. Parte disso pelo gramado, muito alto - algo que os atletas atleticanos reclamaram bastante. Por outro lado, a equipe mineira não tinha inspiração.

Aos 43, o Galo conseguiu chegar ao empate. Em contra-ataque rápido, Roger Guedes recebeu a bola na frente, driblou dois adversários e chutou. O goleiro fez a defesa. No rebote, Erik mandou para dentro.

Segundo tempo

O Atlético voltou novamente sem consistência na etapa complementar. Não se encontrava. Aos 8, o Atlético-AC voltou a assustar. Em uma jogada de linha de fundo, a redonda sobrou para Polaco. Ele limpou o lance e mandou na trave direita do goleiro Victor.

E o time do Acre seguiu melhor. As chegadas eram mais claras, com força para atacar. Para se ter ideia, se fosse para ter um vencedor no segundo tempo, o Atlético-AC seria o time, pois criou mais, conseguia chegar com facilidade, envolvia a defesa atleticana.

O Atlético-MG conseguiu uma boa chegada na etapa final, com Elias que perdeu um gol na pequena área. Foi pouco. O clube da casa foi melhor no fim das contas e a classificação para o Galo foi praticamente heróica.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-AC 1 X 1 ATLÉTICO-MG

Local: Arena da Floresta, Rio Branco (AC)
Data: 07 de fevereiro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ)

Gols: João Marcus, aos 6 minutos do primeiro tempo (Atlético-AC); Erik, aos 43 minutos do primeiro tempo (Atlético).
Cartões: Samuel Xavier, Elias, Otero (Atlético); Leandro Jucá, Matheus Damasceno, Jeferson (Atlético-AC)

ATLÉTICO-MG Victor; Samuel Xavier, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Arouca (Adilson), Otero, Erik (Marco Túlio) e Roger Guedes (Luan); Ricardo Oliveira.
TÉCNICO: Oswaldo Oliveira

ATLÉTICO-AC – Raphael Barrios, Matheus Damasceno, João Marcus, Diego e Jeferson; Leandro Jucá (Wilson), Kássio, Ancelmo (Luiz Henrique Psica) e Polaco; Araújo Jordão (Eduardo) e Rafael Barros.
Técnico: Álvaro Miguéis.

Deixe seu comentário