Gazeta Esportiva

Simeone lamenta chances perdidas e não assegura sequência no Atleti

São Paulo, SP

28/05/16 | 20:03

Diego Simeone está no clube desde 2011 e só não ganhou a Liga dos Campeões no cargo

Diego Simeone está no clube desde 2011 e só não ganhou a Liga dos Campeões no cargo (Foto: Pierre-Philippe Marcou/AFP)
Diego Simeone está no clube desde 2011 e só não ganhou a Liga dos Campeões no cargo (Foto: Pierre-Philippe Marcou/AFP)

Diego Simeone não conseguiu esconder a decepção por perder a segunda decisão de Liga dos Campeões para o Real Madrid em um espaço de três anos. Fazendo questão de dar os méritos da conquista ao adversário, sem nem reclamar do impedimento de Sergio Ramos no gol madridista, ele pediu tempo para pensar durante as férias e decidir se continuará como técnico do Atlético de Madrid.

"Quero parabenizar o Real Madrid, que foi mais uma vez superior a nós. Foi uma disputa dura por uma nova conquista de um troféu com um monte de história. Me dói ver as pessoas que viajaram, pagaram o ingresso e têm de sair daqui com uma derrota. Mas o futebol não é justo. Ganha quem faz mais gols", apontou. "Não sei dizer se vou ficar. Agora é o momento de pensar e analisar nossas ações", continuou o treinador.

"Começamos mal no jogo, depois nos resolvemos melhor, fomos capazes empatar a partida, mas nós não tivemos efetividade e capacidade na hora de atacar", observou o treinador, lamentando principalmente os dez minutos finais do tempo regulamentar, quando a equipe perdeu boas chances de fazer o 2 a 1.

"Eles também tiveram a situação necessária para definir, mas conseguimos nos salvar. Empatamos e, finalmente, voltamos para o jogo. Depois disso, para mim a prorrogação foi um jogo muito tático. Estávamos ambos muito cansados", observou o comandante, exaltando as boas temporadas que conquistou desde sua chegada ao clube, em 2011.

"É uma pena porque do segundo ninguém se lembra, perder duas finais fica como um fracasso e devemos aceitar a derrota na hora de curar as feridas quando cada um chegar na sua casa", disse o argentino, sem querer apontar o pênalti desperdiçado por Griezmann, no começo do segundo tempo, como fundamental na queda.

"É difícil dizer agora o que foi determinante, deixe-me analisá-lo mais friamente. Se fizéssemos dois gols de pênalti, eles não conseguiriam uma vitória, mas preciso ver os vídeos. Zidane tem a sorte de treinar um dos três melhores times do mundo, é um campeão que tem diversas opções em todas as posições. Parabenizo a eles", encerrou.

Deixe seu comentário