Organizadores de Tóquio-2020 solicitam reforço de 500 enfermeiros

AFP - São Paulo,SP

26-04-2021 13:37:05

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio confirmaram que solicitaram os serviços de 500 enfermeiros japoneses para o evento, concordando que devem ser "flexíveis" para evitar agravar ainda mais um sistema de saúde duramente afetado pela pandemia.

O diretor-geral da Tóquio-2020, Toshiro Muto, confirmou em coletiva de imprensa as informações da mídia local de que a organização já teria feito uma solicitação neste sentido à Associação de Enfermeiros do Japão.

A notícia gerou muita polêmica nas redes sociais, onde os usuários acusaram os organizadores dos Jogos de acumular recursos médicos fundamentais enquanto o Japão enfrenta uma nova onda de casos de covid-19.

Um novo estado de emergência, o terceiro desde o começo da pandemia, foi lançado no domingo em quatro departamentos japoneses, incluindo o de Tóquio, a menos de três meses da cerimônia de abertura dos JO em 23 de julho, adiados no ano passado pelo coronavírus.

Toshiro Muto disse que as negociações ainda estavam em curso e que os organizadores trabalhariam para "encontrar uma maneira de garantir os reforços" de um número semelhante de enfermeiros.

"Nem é preciso dizer que os serviços de saúde regionais não devem sofrer transtornos" por este pedido, acrescentou, afirmando que "insistiu neste ponto".

O diretor-geral negou que a solicitação tenha sido feita "nos bastidores" e afirmou que, para ajustar os detalhes, seria necessário "conversas prudentes e meticulosas".

"Temos que encontrar a maneira de conviver", disse, destacando a necessidade para os organizadores de se mostrarem "flexíveis com as horas de trabalho e as rotações".

Os organizadores dos Jogos Olímpicos tentam convencer que o evento pode ser celebrado com segurança apesar da pandemia, mas os japoneses se opõem em grande maioria pelos riscos sanitários, de acordo com várias pesquisas realizadas nos últimos meses.

O Japão, relativamente menos afetado pelo coronavírus que muitos outros países, com cerca de 10.000 mortes registradas oficialmente desde janeiro de 2020, vive atualmente um aumento dos casos em vários departamentos.

Deixe seu comentário