Federação Internacional de Boxe volta a ser excluída da organização de seu torneio em Paris-2024

AFP - São Paulo,SP

24/06/22 | 22:55 - 24/06/22 | 22:56

Nesta sexta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu que a Associação Internacional de Boxe (IBA) ficará mais uma vez de fora da organização de seu próprio torneio nos Jogos Olímpicos de 2024, em Paris, como já havia ocorrido nos Jogos de 2020, em Tóquio.

"No interesse dos atletas e da comunidade do boxe", as classificações e provas olímpicas "não serão realizadas sob a autoridade da IBA", disse Kit McConnell, diretor de esportes do COI.

A organização olímpica continua "muito preocupada", como há três anos, "com a governança, o sistema de arbitragem e as finanças" da instância não governamental do boxe, explicou McConnell.

A recente reeleição do presidente da IBA, o russo Umar Kremlev, foi contestada pelo Tribunal Arbitral do Esporte, e o COI está ainda mais preocupado com a "dependência financeira" da federação em relação à gigante russa de gás Gazprom.

Problema antigo

Em maio de 2019, a IBA (então chamada AIBA) se tornou a primeira federação internacional impedida de organizar seu próprio esporte nas Olimpíadas de Tóquio.

A preparação das competições foi confiada a um grupo de trabalho presidido pelo japonês Morinari Watanabe, membro do COI e presidente da Federação Internacional de Ginástica.

Esse comitê "garantiu condições de competição justas e equitativas", afirma o COI, enquanto vários torneios olímpicos de boxe foram marcados no passado por suspeitas de corrupção de juízes e árbitros, desde os Jogos de 2004, em Atenas, até os do Rio de Janeiro, em 2016.

Embora o boxe esteja garantido na programação de Paris-2024, sua presença nos Jogos de 2028, em Los Angeles, ainda não foi decidida.

Deixe seu comentário