Perto do início de temporada da Stock Car, Bia Figueiredo fala sobre preparação

São Paulo, SP

27-02-2019 14:28:43

Pilotar um carro de corrida exige muito do corpo, por isso a preparação física dos pilotos é intensa e específica para os esforços exigidos pela alta velocidade. Prestes a começar a temporada 2019 da Stock Car, a piloto Bia Figueiredo – única mulher na disputa – tem uma rotina diária de treinos, que trabalham as capacidades cardiorrespiratória e muscular, além de atividades específicas voltadas à modalidade.

Bia é a única mulher na competição (Foto: Divulgação)

Fernando Conceição, responsável pelo condicionamento físico da piloto há mais de 10 anos, alterna entre atividades cardiovasculares, musculação e funcional. “Os treinos de pré-temporada, em geral, são voltados para tirar a Bia do hábito de férias para uma condição intermediária, o que já é suficiente para ela fazer uma corrida sem perder o rendimento durante a prova”.

O trabalho é realizado em parceria com Marcos Orsini, que cuida da parte nutricional da atleta desde 2012. O profissional reconhece o estilo de vida saudável da Bia, que busca sempre manter disciplina e o foco na pré-temporada. “Eu tento não perder o treino e sair da rotina de boa alimentação. Durante as férias, a gente sempre dá uma relaxada, mas eu procuro evitar doces, frituras, além de sempre fazer uma refeição a cada três horas para nunca deixar o organismo sem alimentação”, conta Bia Figueiredo.

Marcos explica que proteínas de alto valor biológico, carboidratos de baixo e moderado índice glicêmico, vitamina e minerais são os alimentos fundamenteis na dieta da atleta. “Na parte de restrição alimentar, entrariam as bebidas alcoólicas e os alimentos com alta concentração de gorduras saturadas e açúcar”. Fernando também elogia a preocupação da piloto com a alimentação saudável “ela não costuma abusar muito nas férias e isso facilita muito a preparação”, afirma o preparado físico.

A temperatura dentro do carro também exige uma boa condição física e a piloto conta que, por causa disso, seu treino é mais voltado para a resistência ao calor. “É muito quente dentro do carro, enfrentamos um calor de 60  ͦC, mas com uma sensação térmica muito maior, então eu costumo treinar das 12h até 14h, horário mais quente do dia”, explica. “Têm provas que são muito quentes e eu fico muito desgastada com o calor, o meu corpo ferve”, completa Bia.

Por ser submetida à altas temperaturas nos treinos e nas corridas, é fundamental que a hidratação da piloto seja feita com eletrólitos – minerais que carregam uma carga elétrica e  ajudam a manter o equilíbrio hídrico – explica o nutricionista. “A suplementação também pode auxiliar na recuperação do sistema imune após sessões de treino e competições”.

Ao longo da temporada, a rotina de treinos da piloto também fica mais intensa. Os treinos passam a ser mais fortes. “A prioridade é de atividades físicas de até uma hora, com bastante intensidade. Na musculação, aumentamos a carga. Já na parte cardiovascular, variamos entre treinos curtos X velozes e longos X moderados”, conta o personal. Ele também explica que desta forma o corpo todo é trabalhado, mas com foco na parte superior, inclusive pescoço e antebraço.

A pré-hidratação é fundamental, afirma Marcos Orsini. “Ela precisa consumir uma quantidade importante de carboidratos, para ampliar as reservas energéticas, proteínas em quantidades menores, que permitam a rápida absorção e esvaziamento gástrico, associado a baixa quantidade de fibras e gordura”, explica. “Sempre procuro comer alguma coisa, como um espaguete ou um misto quente, uma hora antes da prova para não faltar energia”, complementa Bia.

Deixe seu comentário