Gazeta Esportiva

Imparável, Lorenzo esmaga próprio recorde e conquista a pole em Misano

São Paulo, SP

12/09/15 | 12:47 - 12/09/15 | 12:49

A torcida italiana se calou diante do impressionante desempenho de Jorge Lorenzo no Grande Prêmio de San Marino e Riviera de Rimini. Presentes para apoiar o local Valentino Rossi, líder da temporada e principal rival do espanhol na busca do título, os fãs testemunharam um feito incrível do piloto da Yamaha. Após cravar as voltas mais rápidas da história do circuito no segundo e terceiro treinos classificatórios, Lorenzo voltou a quebrar o próprio recorde no classificatório e conquistou a posição de honra no grid de largada, com 1min32s146.

O feito configura a 59ª pole da carreira de Lorenzo, sendo a 33ª pole na categoria máxima da moto velocidade. O espanhol jurou que poderia ter baixado ainda mais a marca, não fosse um erro cometido na última curva. “A volta podia ter sido melhor. Na terceira tirada tentei fazer melhor na última curva, mas encontrei o Rossi a rodar lento e tive que evitar o contato. Isso me custou uns dois décimos. Sem isso, talvez tivesse terminado com 1min32s ou até mesmo com 31,9”, lamentou o piloto.

O bicampeão Marc Márquez foi o único a ameaçar a pole de seu compatriota. Lorenzo, que esmagou o próprio recorde no primeiro giro, foi ultrapassado pelo garoto de 22 anos, mas respondia à altura e derrubou o piloto da Honda para o segundo lugar, 0s106 mais lento.

Com a volta mais rápida da história do traçado italiano, Lorenzo vai largar na pole em San Marino (foto: Alberto Pizzoli/AFP)
Com a volta mais rápida da história do traçado italiano, Lorenzo vai largar na pole em San Marino (foto: Alberto Pizzoli/AFP)

Rossi, por sua vez, só assegurou lugar na primeira fila na reta final da sessão em Misano. Sequer figurava entre os cinco primeiros até a última volta, quando finalmente baixou o tempo para 1min32s358 e assumiu o terceiro lugar, 0s212 atrás do companheiro de equipe. O anfitrião admitiu ter feito o rival “perder tempo” e projeta melhorias até a largada de domingo.

“Não sei, talvez o tenha feito perder algum tempo. Seja como for, ele está pole, mas não é grande problema. No final foi difícil porque havia muito tráfego, mas consegui encontrar o momento certo para fazer a volta”, avaliou o italiano, satisfeito com o desempenho. “Meu ritmo melhorou hoje e a minha moto não esteve nada mal para a qualificação. Ainda tenho alguns problemas no terceiro setor e vamos ter de melhorar isso para amanhã. Partir da primeira fila é muito importante porque o Jorge está muito forte e tem melhor ritmo para a corrida. Como sempre, o Marc é também capaz de ir com ele, o que faz com que a primeira volta seja muito importante”, acrescentou.

Prejudicado, Dani Pedrosa caiu para quarto, a 0s288 do líder e a impressionantes 0s302 do italiano Michele Pirro, da Ducati. O britânico Bradley Smith completou a segunda fila em sexto, com 1min32s736.

A terceira fila foi formada apenas por pilotos locais. A dupla da Ducati, Andrea Iannone e Andrea Dovizioso, veio à frente de Danilo Petrucci, da Octo Pramac Racing, que conquistou o primeiro pódio da carreira na categoria há duas semanas, quando foi vice em Silverstone.

Compatriota de Smith, Cal Crutchlow impediu a dobradinha dos irmãos Espargaró na última fila. O piloto da LCR Honda ficou em 11º lugar, a 1s074 de Lorenzo, atrás de Aleix, da Suzuki, 0s033 mais rápido. Guiando a M1 da Monster Yamaha Tech3, Pol Espargaró perdeu a frente da moto em uma curva, sofreu uma queda e terminou o Q2 em último lugar, com 1min33s222, a 1s076 da pole.

Os pilotos voltam à pista no domingo, às 9h (de Brasília), quando será dada a largada do MotoGP de San Marino. A corrida no enclave envolto pela Itália é a 13ª da temporada.

Deixe seu comentário