Rosberg ignora falha e comemora título da Mercedes com Hamilton

São Paulo, SP

13-10-2015 11:06:20

O dia foi de festa nas fábricas de Brixworth e Brackley, sede da Mercedes na Inglaterra. Após a conquista do bicampeonato do Mundial de Construtores no Grande Prêmio da Rússia, no último domingo, todos os integrantes da escuderia, incluindo os pilotos Nico Rosberg e Lewis Hamilton, se reuniram para festejar o título. O alemão, prejudicado por uma falha no pedal do acelerador e obrigado a abandonar a prova na sétima volta, esqueceu dos revezes do fim de semana em Sochi e celebrou com os companheiros.

"Foram dias difíceis para mim, mas voltar à fábrica e ver todos os meus colegas tão felizes depois da conquista do Mundial de Construtores realmente coloca um sorriso em meu rosto", afirmou Rosberg, rememorando a trajetória da Mercedes. "Vi esse time crescer desde o início do projeto de Silver Arrows, em 2010, e o nível a que chegamos agora, todos trabalhando juntos, é inacreditável. Tivemos anos complicados, mas agora somos o grande time da Fórmula 1", observou o alemão.

Rosberg comparou a hegemonia da Mercedes à de outras lendárias escuderias da categoria máxima do automobilismo. "Dominamos o esporte e quebramos vários recordes ao longo do caminho. Quando pensamos sobre a história da F1, são poucas equipes com o nível da McLaren dos anos 80, a Williams dos anos 90 e a Ferrari dos anos 2000. E agora nós estamos deixando nossa marca nessa lista", alegrou-se o piloto.

Vencedor da prova, Hamilton não escondeu a emoção do título por equipes. O britânico agradeceu aos colegas que o ajudaram a chegar ao topo da classificação na temporada - com os pontos conquistados na Rússia, o competidor pode se sagrar tricampeão do Mundial de Pilotos já na próxima corrida, no GP dos Estados Unidos, daqui a duas semanas.

"Quando eu ouvi que havíamos ganhado o título, acho que estava gritando mais alto que todos. Ver quanto esforço é despendido para nos colocar à frente do grid e ter sucesso do qual desfrutamos juntos me faz sentir muito orgulho de cada pessoa envolvida.
Antes de voltarmos para o trabalho duro, espero que todos da Mercedes tenham a chance de apenas dar um passo atrás e olhar para tudo o que alcançamos juntos. Eu sei que todos na fábrica continuarão pressionando para que permaneçamos na ponta, e Nico e eu definitivamente faremos o mesmo", assegurou.

Na tentativa de se redimir pelas falhas que afastaram Rosberg da briga pelo título, o chefe Toto Wolff insistiu em exaltar o trabalho da dupla titular. Juntos, o britânico e o alemão conquistaram 12 vitórias, 24 pódios, 14 poles e nove voltas mais rápidas em 15 provas disputadas até agora. A equipe soma 60% dos pontos disponíveis, e liderou 79% das voltas das corridas no processo.

"Parabéns a toda a equipe. Nós conseguimos mais uma vez e o campeonato nos une. Em todas as categorias, os títulos sobre os quais todo mundo fala são os individuais dos pilotos, mas neste time, Nico e Lewis são vencedores. Ontem (domingo), nós decepcionamos Nico, mas ele foi uma parte fundamental do time desde o começo. Ele ajudou a tornar o time o que é, e esse campeonato é dele também", afirmou Wolff, sem poupar elogios ao líder.

Integrantes da equipe se uniram para formar um "II" em alusão ao bicampeonato de Construtores (foto: Divulgação/Mercedes)

"Lewis está na crista da onda, está tendo uma temporada incrível. Ele ganhou espaço nesse time desde 2013 e tem nos ajudados com sua determinação e trabalho duro. Nós devemos muito a eles", acrescentou.

O austríaco ecoou Hamilton e pediu aos membros da Mercedes para saborearem o efeito de seus esforços, mas deixou o recado: para permanecer no topo, a escuderia terá que continuar se esforçando ao máximo.

"No nosso esporte, tendemos a superar as coisas muito rápido e nos concentrar no próximo desafio. Mas hoje, todos nós devemos tirar um minuto para pensar nas palavras ‘campeão do mundo’. Neste ano, podemos dizer que somos os melhores do mundo e isso é algo muito especial. Mas nenhum de nós é complacente o suficiente para pensar que isso nos garanta nada no futuro. Se quisermos nos chamar de campeões novamente, precisamos trabalhar ainda mais duro e melhor para 2016", projetou.

Deixe seu comentário