Quanto ganha um piloto de Fórmula 1? Salários chegam a US$ 40 milhões

Redação - São Paulo,SP

18/08/22 | 17:50

Por Maria Clara Castro e Rodrigo França

A Fórmula 1 viveu nas últimas semanas uma movimentação de pilotos para o grid de 2023. A principal delas até agora é a ida de Fernando Alonso para a Aston Martin, onde ocupará o lugar de Sebastian Vettel, que deixará a categoria máxima do esporte a motor mundial ao final da temporada.

Além de buscar um lugar competitivo, os pilotos, claro, levam em conta o valor a ser oferecido no novo time. Mas, afinal, quanto ganha um piloto de F1?

De acordo com lista publicada pelo site Spotrac, os valores vão de US$ 750 mil a US$ 40 milhões, superando os R$ 200 milhões por ano na cotação atual.

Com a mudança de time, Alonso seguirá sendo um dos mais altos da Fórmula 1. Atualmente, ele é um dos mais bem pagos do grid, recebendo anualmente US$ 20 milhões. Levando em conta apenas salário, quem recebe mais dinheiro entre os competidores é Lewis Hamilton, que ganha da Mercedes US$ 40 milhões anuais.

Atual campeão do mundo e líder do campeonato, Max Verstappen recebe da Red Bull US$ 25 milhões, sendo seguido por Lando Norris, da McLaren, US$ 20 milhões. Vettel, em seu último ano na categoria, ganha no ano US$ 15 milhões da Aston Martin, assim como Daniel Ricciardo na McLaren.


Outros pilotos de destaque do grid estão de fora deste “top-5”. Principal concorrente de Verstappen na temporada, Charles Leclerc recebe US$ 12 milhões por ano da Ferrari, que ainda paga US$ 10 milhões para Carlos Sainz. Já Sergio Pérez fatura da Red Bull US$ 8 milhões. George Russell, em seu primeiro ano de Mercedes, ganha US$ 5 milhões.

Na ponta contrária da lista, chama atenção o salário de Yuki Tsunoda na AlphaTauri. Para correr pelo “time B” da Red Bull, o japonês recebe US$ 750 mil, o que representa o menor salário do grid da F1, dando uma média de “apenas” US$ 34 mil dólares para cada uma das 22 corridas do calendário de 2022.

Mick Schumacher, da Haas, Nicholas Latifi, da Williams, e Guan Yu Zhou, da Alfa Romeo, recebem cada um de seus times US$ 1 milhão. V

ale destacar que mesmo pilotos “pagantes”, ou seja, que trazem grandes patrocínios para conseguir sua vaga, acabando tendo uma parte desta verba destinada ao salário de quem pilota o carro – ou seja, ele mesmo.

Confira a lista completa de salários dos pilotos da F1 em 2022:

1º – Lewis Hamilton – US$ 40 milhões

2º – Max Verstappen – US$ 25 milhões

3º – Fernando Alonso e Lando Norris – US$ 20 milhões

5º – Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel – US$ 15 milhões

7º – Charles Leclerc – US$ 12 milhões

8º – Carlos Sainz, Lance Stroll e Valtteri Bottas – US$ 10 milhões

11º – Sergio Pérez – US$ 8 milhões

12º – Kevin Magnussen – US$ 6 milhões

13º – Esteban Ocon, George Russell e Pierre Gasly – US$ 5 milhões

16º – Alexander Albon – US$ 2 milhões

17º – Mick Schumacher, Nicholas Latifi e Zhou Guanyu – US$ 1 milhão

20º – Yuki Tsunoda – US$ 750 mil

Deixe seu comentário