Pai de Bianchi critica inquérito e pede punição aos possíveis culpados

São Paulo, SP

23-12-2015 18:44:39

Um ano após a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) divulgar o relatório sobre as causas do acidente de Jules Bianchi, a família do piloto continua insatisfeita com a maneira como a investigação foi conduzida. O pai de Jules, Philippe, voltou a questionar o fato de a entidade que considerou o francês culpado fosse também uma das investigadas.

"As conclusões do relatório me assustaram, porque as pessoas que investigaram o acidente eram os que estavam sendo investigados. Não há conflito de interesses? Você pode ser juiz e jurado ao mesmo tempo?", falou Bianchi em entrevista ao Auto Hebdo.

Jules sofreu o acidente em outubro de 2014, no Grande Prêmio do Japão. A Marussia que guiava derrapou na pista molhada pela chuva, saiu do traçado e colidiu com o trator que retirava a Sauber de Adrian Sutil, acidentada instantes antes. O forte impacto lhe causou uma lesão axonal difusa -- quando o cérebro da pessoa se movimenta de forma brusca dentro do crânico. O francês foi submetido a uma cirurgia e passou nove meses em coma, até sua morte, em julho.

A comissão formada pela FIA para investigar o caso concluiu que o francês foi o principal responsável pela batida, já que "não reduziu o suficiente a velocidade ao contornar a curva 7" em Suzuka. O trator com o guindaste posicionado na área de escape, sem que o carro de segurança tivesse sido acionado, foi minimizado pelo relatório, mas não pelo pai do piloto.

"A investigação é uma coisa, pois dá um ponto de vista. Mas as perguntas bem lançadas e as respostas corretas a se dar são uma coisa bem distinta. Como eu disse antes, se há responsáveis pelo acidente, eles devem pagar. De uma forma ou outra. Perdi Jules e nunca o terei de volta, assim que não tenho nada a perder exceto as memórias e o respeito que lhe devemos. Lutarei por ele com toda a minha força", concluiu.

 

Deixe seu comentário