Ferrari 'não é competitiva', reconhece presidente do grupo Fiat

AFP - São Paulo,SP

28-07-2020 14:27:23

A Ferrari "não é competitiva", reconheceu John Elkann, presidente do grupo Fiat Chrysler, proprietário da equipe de Fórmula 1 em entrevista publicada nesta terça-feira (28) no Gazzetta dello Sport.

No primeiro grande prêmio da temporada do mundial da F1, disputado na Áustria, o piloto Charles Leclerc milagrosamente ficou em segundo lugar. Mas os problemas do carro já eram evidentes.

Foto: Reprodução/ Ferrari

Na etapa seguinte, o GP da Estíria, Leclerc e Sebastian Vettel bateram na primeira volta, abandonando em seguida, enquanto na etapa da Hungria, há dez dias, os dois carros italianos terminaram mais de uma volta atrás da Mercedes do vencedor Lewis Hamilton.

"Este ano não somos competitivos, principalmente devido a uma série de erros de design no carro", declarou Elkann.

"Tivemos uma série de debilidades estruturais de longa data, especialmente em aerodinâmica. Também perdemos a potência do motor. A realidade é que nosso veículo não é competitivo, foi visto na pista e continuará sendo visto", reconheceu.

Segundo o presidente do grupo FCA, as dificuldades da Ferrari vêm de longe. O departamento de esportes, sem dúvida, está passando por um período difícil.

"Não conquistamos o Campeonato Mundial de Construtores desde 2008 e o Campeonato de Pilotos desde 2007 ", lembrou.

Mas o neto de Gianni Agnelli, fundador da Fiat, está otimista com o futuro.

"Estamos preparando as bases para sermos competitivos e começarmos a vencer novamente quando as regras mudarem em 2022", destacou, confirmando sua confiança no engenheiro da equipe Mattia Binotto.

"Confiança total! Tem todas as habilidades e características para abrir um novo ciclo de vitórias", afirmou o executivo.

O empresário também defendeu a decisão de não estender o contrato de Vettel e entregar as duas vagas da equipe aos jovens Charles Leclerc e Carlos Sainz Jr.

"O novo carro nascerá com eles", concluiu.

Deixe seu comentário