Em fim de contrato com a Renault, Magnussen reforça vontade de ficar

São Paulo, SP

29-09-2016 09:26:46

Kevin Magnussen estreou na Fórmula 1 em 2014, com a McLaren. Entretanto, após sua temporada como calouro na principal categoria do automobilismo mundial, ele ficou fora das pistas em 2015, já que não assinou com nenhuma equipe do grid e teve de aguardar ansiosamente 2016, quando recebeu uma nova oportunidade entre os principais pilotos do mundo.

Agora, faltando apenas seis corridas para o fim da atual temporada, Magnussen vive seu velho drama. O contrato do dinamarquês com a Renault termina ao fim do ano e até agora ele não foi procurado pela equipe francesa para renovar seu vínculo. Diante do seu já conhecido "pesadelo", o piloto, entretanto, assegura que está tranquilo e crê que logo a situação será resolvida, uma vez que ele deseja permanecer e evoluir junto ao seu time.

“Bom, penso que fiz tudo o que pude nesta temporada com o material que foi dado a mim. Conquistei todos os pontos da equipe no campeonato e sinto que estou trabalhando bem com os engenheiros e a equipe, e parece que eles apreciam o que estou fazendo. É claro que sempre é preocupante quando você não tem um contrato para a próxima temporada, mas espero que tudo se resolva em breve”, comentou Magnussen.

Questionado se possui um plano B caso não tenha seu contrato renovado com a Renault, Magnussen foi claro e não titubeou para responder que seu objetivo é permanecer na Fórmula 1. Porém, caso não tenha nenhuma proposta em mãos, ele admitiu que pode rumar para equipes de outras categorias do automobilismo, já que elas também não podem esperar muito tempo por uma definição.

“Definitivamente não vou apostar todas as minhas fichas em uma permanência na Renault. Preciso ganhar a vida correndo. Não quero fazer nada mais do que correr, e quero correr na Fórmula 1. Meu objetivo é e sempre foi a Fórmula 1, mas você sempre precisa balancear sua carreira. Há outras equipes dentro e fora da Fórmula 1 que também não podem esperar muito, e em certo ponto será preciso tomar uma decisão. Mas isso não é uma necessidade iminente”, completou o piloto dinamarquês.

Deixe seu comentário