Gazeta Esportiva

Chefe da Mercedes, Toto Wolff aceita pódio de Alonso e relembra decisão de 2021

São Paulo, SP

Publicação 22/03/23 | 13:55

O chefe da equipe de Fórmula 1 da Mercedes, Toto Wolff, comentou sobre a maior polêmica do Grande Prêmio da Arábia Saudita em entrevista ao Channel 4, da Grã-Bretanha.

Fernando Alonso, da Aston Martin, terminou a prova em terceiro, mas foi punido com um acréscimo de dez segundos após a corrida por uma infração no pitlane durante o cumprimento de uma primeira penalização de cinco segundos. Após um apelo da equipe do espanhol, a terceira colocação foi dada de volta a Alonso.

Quem ficou no meio desta confusão foi George Russell, piloto da Mercedes, que terminou a prova em quarto, mas ficou com um pódio na conta por alguns minutos até a punição de Alonso ser retirada.

"Antes de tudo, a sanção foi super dura porque, por pura performance, Aston Martin e Fernando mereciam estar no pódio. Temos que olhar para essas regras e ver se há algo que possa ser modificado, porque não afetou a corrida dele (de Alonso)", assumiu Toto Wolff.

O chefe da equipe ainda aproveitou para cutucar a polêmica decisão dos comissários de prova na última corrida de 2021, que custou a Lewis Hamilton o título e consagrou o holandês Max Verstappen, da Red Bull, como campeão mundial de Fórmula 1.

"Prefiro que a FIA tome as decisões certas do que ser muito rápida e cair em alguma coisa errada. Fomos vítimas disso em 2021, onde tudo foi reduzido a entretenimento para uma decisão rápida e que roubou o campeonato do melhor piloto", criticou Wolff.

Nas últimas voltas do GP de Abu Dhabi, os diretores de prova permitiram que Verstappen ultrapassasse os retardatários sob Safety Car para ficar logo atrás de Hamilton, que liderava. Com uma volta para o fim, o holandês passou seu rival e se sagrou campeão, o que não aconteceria se Hamilton vencesse o GP.

Deixe seu comentário