Chefe da F1 diz que mulheres não podem ser levadas a sério na categoria

São Paulo, SP

15-01-2016 11:41:34

O chefe da Fórmula 1 Bernie Ecclestone não acredita que uma mulher está próxima de competir como piloto titular na Fórmula 1. Segundo ele, as mulheres não podem ser levadas à sério na principal categoria do automobilismo mundial, que tinha até a temporada passada Susie Wolff como piloto de testes da Williams.

Questionado se acreditava em um retorno de uma mulher na Fórmula 1, Ecclestone foi objetivo e afirmou que não vê chances de uma nova integrante. “Eu duvido. Se houvesse alguém que fosse capaz, ninguém levaria à sério de qualquer maneira. Com isso, elas nunca teriam um carro competitivo. Havia uma mulher pilotando na GP3 por toda a temporada, não é algo que não tem acontecido”, comentou.

Susie Wolff foi a última mulher a competir na Fórmula 1. Ela atuava como piloto de testes da Williams, mas decidiu se aposentar em novembro do ano passado, afirmando que era impossível assumir a condição de piloto titular na tradicional equipe. Ela lançou na última quinta-feira uma iniciativa para apoiar o aumento de mulher nos esportes a motor, que é totalmente dominado pelos homens atualmente.

Alice Powell, que atualmente pilota na GP3 é uma das embaixadoras da iniciativa. Para ela, é preciso reforçar as campanhas para encorajar mais mulheres a tentar entrar nesse mundo e provar que Bernie Ecclestone está errado com suas declarações.

“Alguém precisa provar que Bernie está errado. Seria uma vergonha se alguma equipe da Fórmula 1 rejeitasse uma mulher como piloto porque eles não levariam à sério. As pessoas não tentam agarrar a oportunidade porque elas pensam que vão ser motivo de piada. Nós não somos piada e isso é apenas mais um fator que torna ainda mais difícil o processo de uma mulher chegar a correr em alto nível”, disse a campeã da Fórmula Renault em 2010, Alice Powell.

Deixe seu comentário