Mais Esportes/Vôlei

Dez meses após cirurgia, Thaisa comemora convocação para Seleção

São Paulo , SP
14/04/2018 14:33:59

Em: Vôlei
O primeiro compromisso da seleção brasileira na temporada será a Liga das Nações (Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

Depois de ouvir que nunca mais jogaria vôlei, Thaisa não só voltou às quadras como também foi convocada para a Seleção Brasileira da modalidade. Somando duas medalhas de ouro em olimpíadas, a central foi convidada pelo técnico José Roberto Guimarães, nesta sexta-feira e, mais uma vez, fará parte do seleto grupo que defende o verde e amarelo. O chamamento veio apenas dez meses após a atleta encarar uma cirurgia no joelho esquerdo.

A central do Eczacibasi Vitra, da Turquia, atuou por empréstimo no Hinode Barueri na reta final da Superliga 17/18 e, agora, tem também a responsabilidade de mostrar que mantém o alto nível mesmo depois de  viver o ano “mais conturbado” de sua vida. “Talvez, hoje, ser convocada tenha mais valor, por estar dando a volta por cima, por passar meses e meses de dor e desiludida ouvindo, dia após dia, que nunca mais jogaria vôlei novamente”, lembra Thaisa. “Estar de volta e estar sendo convocada é uma sensação indescritível”.

Em janeiro do ano passado, durante uma partida da liga turca, a brasileira sofreu uma ruptura parcial do ligamento lateral do joelho esquerdo e de parte do menisco. A situação foi agravada depois que a atleta jogou algumas partidas no sacrifício. “Sei que tenho um caminho longo ainda para voltar ao alto nível, mas não faltará empenho e luta para voltar a ser aquela Thaisa de sempre. Não tenho medo de trabalho, nunca tive”, completou a central.

Com a Seleção, Thaisa volta às quadras para disputar a Liga das Nações, que substitui o Grand Prix. A primeira etapa será em Barueri (SP), entre os dias 15 e 17 de maio. Depois, o destino é Ancara, na Turquia. Para a disputa, ela se une as levantadoras Macris e Fabíola, a oposta Tandara, as centrais Carol, Adenízia, Bia e Mara, a ponteira Rosamaria e a líbero Léia, também convocadas por Zé Roberto.

Mais adiante, no final de setembro, a luta é pelo inédito título mundial. Na competição, o Brasil, cabeça de chave do grupo D, encara Porto Rico na estreia, e depois tem embates marcados com a Sérvia, República Dominicana, Cazaquistão e Quênia.