Gazeta Esportiva

Cruzeiro tem quatro atletas na seleção do Mundial 2015 de vôlei

São Paulo, SP

31/10/15 | 21:01

Cruzeiro foi bicampeão mundial de vôlei neste sábado (Foto: Douglas Magno / DM Press/Sada Cruzeiro)
Cruzeiro foi bicampeão mundial de vôlei neste sábado (Foto: Douglas Magno / DM Press/Sada Cruzeiro)

O Sada/Cruzeiro atingiu um importante marco com a vitória sobre o Zenit Kazan, da Rússia, na tarde deste sábado. Além da conquista do bicampeonato mundial de vôlei masculino, foi o representante da segunda nação a receber mais de um troféu no Mundial de Clubes – conquistado até então por italianos. Em 2013, a equipe mineira foi o primeiro time fora da Itália a levantar o caneco do torneio.

A vitória por 3 a 1 diante do atual campeão europeu no Ginásio Divino Braga, em Betim, foi comemorada intensamente pelo técnico Marcelo Mendez, que não poupou elogios aos seus comandados.

“Acho que o time merece ser qualificado como espetacular. Ganhamos de um candidato que é um dos melhores times do mundo, meia seleção russa, o oposto da seleção americana, e Leon, um ponteiro incrível. Acho que foi nosso jogo coletivo, trabalho tático e acho que o coração dos jogadores, que tem um compromisso muito grande para com o time, para com a diretoria, comissão técnica e isso deu resultado. Vencemos um time muito forte, que, se vai para a Olimpíada, tem muitas chances de ser campeã. É um time fantástico e nós o vencemos aqui em casa. Estamos felizes demais com essa conquista”, afirmou.

O ponteiro cubano Leal, com 22 pontos e eleito o melhor jogador do torneio, foi um dos grandes trunfos do Cruzeiro no Mundial. “Ser bicampeão Mundial é sensacional, não é qualquer um que tem essa oportunidade. É uma grande alegria para nós. E esse prêmio é o resultado do trabalho que fazemos todo dia com esse grupo”, afirmou o cubano.

"Acho que vai demorar muito tempo para existir um time que ganhe a quantidade de títulos que a gente ganhou e da maneira que ganhamos. Esse time do Kazan tem um orçamento três vezes maior que o nosso. É como se um time da série A enfrentasse um da série B no futebol. Isso valoriza demais a nossa vitória. Ameacei começar a chorar no meio do jogo, naqueles 23 pontos, e o Wallace me pediu calma! Eu respondi: tô calmo, mas não tem jeito! E foi assim, a gente se entregou e dominou o jogo", comentou Serginho.
Quatro dos atletas da equipe foram escolhidos para integrar a seleção do Mundial 2015. William foi eleito o melhor levantador, Serginho o melhor líbero, Leal o melhor ponteiro e Wallace o melhor sacador.

"Quando eu parar de jogar, eu gostaria muito de ser lembrado como um cara se dedicou ao máximo pelo esporte, pelo Sada Cruzeiro, todos os dias da minha vida. Talvez a gente esqueça um dia de como foi o jogo, mas acho que esse comprometimento vai ficar para a história. E esse terceiro troféu de melhor levantador do Mundo tem um gosto doce. São muitos anos de trabalho, de abdicação, e quando chega nesse momento, não tenho dúvida de que é um reconhecimento. Eu sou muito grato", disse o capitão William.

Serginho, por sua vez, relembra seu início na equipe e compara com a atual situação do Cruzeiro no cenário esportivo. "A realização pessoal é grande demais. Mas só dá certo quando a coisa flui naturalmente. Quando a gente joga pelo coletivo, indiretamente vem o título individual. Eu não fico olhando estatística, nem pensando nisso. Quando eu cheguei aqui no Sada Cruzeiro, era um projeto que estava em crescimento e que apostou em mim. E isso é um casamento, a gente vem remando ao longo dos anos. Eu nunca imaginei que isso aconteceria, nem uma vez, quem dirá três vezes”, concluiu.

Deixe seu comentário