Mais Esportes/Tênis

Roland Garros proíbe trajes como o de Serena Williams a partir de 2019

São Paulo , SP
24/08/2018 17:52:11 — 25/08/2018 10:06:10

Em: Mais Esportes, Notícias, Tênis
Tenista quis invocar inspiração à mães e negros (Foto: AFP)

Pelo visto a roupa escolhida por Serena Williams para jogar Roland Garros em 2018 ainda rende muito assunto no circuito mundial de tênis. A volta da tenista aos Grand Slams, que ficou parada por conta da gravidez, foi no saibro francês nesta temporada e contou com uma roupa fora do padrão das usadas dentro de quadra. A roupa foi inspirada no filme Pantera Negra.

Quase três meses após a competição, a organização de Roland Garros resolveu se posicionar oficialmente quanto à vestimenta da Serena. “É um pouco tarde, porque a coleção já foi confeccionada, mas vamos pedir aos fabricantes que nos digam o que está por vir. Eu acredito que há coisas que vão muito além. O traje de Serena neste ano não será mais aceito. Nós devemos respeitar o jogo e o local”, afirmou Bernard Giudicelli, dirigente, em entrevista a revista “Tennis Magazine”.

Na época, a ex-número 1 do mundo disse que a roupa seria uma fonte de inspiração para as mães que não tiveram pós-parto tranquilo, assim como ela. “Para todas as mães por aí que tiveram uma recuperação difícil, aqui está. Se eu consigo, vocês também. Eu amo todas vocês”, escreveu em suas redes sociais.

Durante a competição, a opinião foi dividida sobre o traje de Serena. Algumas tenistas criticaram, inclusive a primeira adversária da americana, a tcheca Krystina Pliskova, chegou a questionar se não seria contra as regras. Já a ucraniana Elina Svitolina, número 7 do mundo, e a dinamarquesa Caroline Wozniacki, 2ª colocada no ranking da WTA, reforçaram a importância da mensagem por trás da roupa.

A partir de 2019, Roland Garros passará a ser mais rigoroso quanto às vestimentas dos atletas. A direção do torneio vai pedir que os designs dos uniformes sejam enviados antes do torneio para serem aprovados.