Nadal elogia atuação diante de suíço e mira duro duelo com Murray

São Paulo, SP

17-11-2015 08:28:10

O espanhol Rafael Nadal ficou satisfeito com sua atuação na vitória sobre o suíço Stanislas Wawrinka, na última segunda-feira, pela estreia do ATP Finals, disputado no piso rápido e coberto de Londres. O ex-número 1 do mundo precisou de apenas 1h22 para bater o adversário, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2, resultado que o deixou “muito feliz partida sólida” que realizou e ressaltou a necessidade de “continuar competindo assim”.

“Fiz uma partida muito sólida. Tive um game ruim, que foi o primeiro (teve o serviço quebrado), mas logo estive muito bem. Eu tive uma boa semana de treinos aqui e hoje (segunda-feira) fui agressivo, fiz o que queria fazer sem cometer muitos erros. A única observação é que posso melhorar o meu serviço”, ponderou Nadal em entrevista coletiva após o embate.

Finalista do Finals em 2010 e 2013, o “Touro Miura” se vingou da derrota nas quartas de final do Masters 1000 de Paris, na semana retrasada, quando Wawrinka venceu por 7/6 (10-8) e 7/6 (9-7). No duelo dessa segunda, Nadal mostrou ter reconquistado a confiança, foi agressivo e conseguiu irritar o suíço, que, inclusive, bateu com a raquete no chão algumas vezes.

“Estou trabalhando bem e satisfeito pela forma em que estou competindo nos últimos dois ou três meses. É importante continuar assim. Quando você volta de um período complicado, tem que ir melhorando pouco a pouco. A dinâmica em que estou é positiva e a cada dia é um dia para me divertir em quadra, algo que não fiz muitas vezes neste ano”, desabafou o espanhol, atual número 5 do mundo.

“Não estava feliz jogando tênis, mas ver o que acontece do lado de fora e ver o que o mundo do tênis é insignificante. Sabia que eu podia voltar ao meu nível se jogasse bem e sempre tive fé”, prosseguiu o tenista de Manacor.

Na próxima quarta-feira, Rafael Nadal enfrentará o britânico Andy Murray, vice-líder do ranking mundial, que estreou com vitória sobre o também espanhol David Ferrer com um duplo 6/4. O encontro decidirá o primeiro dos semifinalistas do torneio londrino. Em 2015, os dois duelaram apenas uma vez, na final do Masters de Madri, conquistado pelo escocês após triunfo por 6/3 e 6/2, em maio.

“É uma boa oportunidade para competir contra o número 2 do mundo, um jogador que teve uma grande temporada e que joga muito bem em todas as superfícies, sobretudo nesta (piso rápido). Vou tentar fazer uma grande partida e conseguir a vitória”, premeditou Rafa.

“Para mim, este é o torneio mais difícil do ano, já que atuo na pior superfície para mim e diante dos rivais mais difíceis, que são os oito melhores do mundo”, encerrou o dono de 14 títulos do Grand Slam.

Deixe seu comentário