Tênis/ Aberto dos Estados Unidos

Djoko minimiza derrotas e reforça confiança para o Aberto dos EUA

São Paulo , SP
29/08/2015 23:25:58

Em: Mais Esportes, Tênis
O sérvio Novak Djokovic participou do Dia das Crianças do Aberto dos Estados Unidos em Nova York (Foto: Chris Trotman/AFP)
O sérvio Novak Djokovic participou do Dia das Crianças do Aberto dos Estados Unidos em Nova York (Foto: Chris Trotman/AFP)

As recentes derrotas para Andy Murray e Roger Federer nas finais dos Masters 1000 de Montreal e de Cincinnati, respectivamente, não tiraram a confiança de Novak Djokovic. Em Nova York, o sérvio disse que os dois torneios serviram como preparação para um objetivo maior: o Aberto dos Estados Unidos, que começa na próxima segunda-feira, dia 31.

“Claro que eu queria ganhar no Canadá e em Cincinnati, mas não aconteceu. Eles mereceram vencer porque foram os melhores jogadores em quadra. Tenho que entender o que fiz de errado, o que aconteceu nessas partidas, analisar, conversar com a minha equipe e com meu personal trainer. Tratar de desenvolver o enfoque correto para me preparar e melhorar”, disse o número 1 do mundo e principal cabeça de chave em Flushing Meadows.

“Joguei muitas partidas antes de chegar em Nova York. Acredito que 14 no total, duplas e simples em duas semanas, o que é muito. Sinto que estou bem preparado para Nova York. Por isso chegar de modo competitivo me ajudará a aliviar meu caminho no torneio. A confiança continua aqui. Aqui é onde, com certeza, eu quero chegar em minha melhor forma. Esperpo que isso aconteça”, acrescentou.

Em Nova York, Djokovic terá que acabar com um jejum que não tem refletido sua posição como melhor jogador em quadras duras nos últimos anos. Diferentemente do Aberto da Austrália, em que já conquistou cinco títulos, o sérvio venceu o Aberto dos Estados Unidos apenas uma vez, em 2011.

Nole também tem sido um tenista mais eficiente em arenas cobertas e acredita que as condições mais tranquilas dentro do estádio Arthur Ashe, agora coberto por um teto parcialmente construído, ajudarão o seu jogo.

“Tenho praticado muitas vezes na quadra central. A construção realmente é impressionante e tem protegido a chegada do vento, por isso há menos condições desfavoráveis dentro de quadra. No ano passado joguei várias partidas e era difícil controlar a bola devido às condições de vento. Agora o teto protege”, explicou Djokovic, que em 2014 foi eliminado pelo japonês Kei Nishikori nas semifinais.

Dono de seis títulos na atual temporada, sendo dois Grand Slams (Aberto da Austrália e Wimbledon), Novak Djokovic estreia em Nova York na próxima segunda-feira contra o brasileiro João Souza, o Feijão, 89º colocado no ranking mundial.