Medina projeta 2021 atípico e diz que não vai priorizar Olimpíadas ou Mundial

São Paulo, SP

25-11-2020 11:51:18

O surfista Gabriel Medina comentou nesta quarta-feira sobre suas projeções para a nova temporada do campeonato mundial de surfe, organizado pela World Surf League (WSL), que terá início no dia 8 de dezembro, no Havaí.

"Minhas expectativas são as melhores. Eu estava com saudade de viajar e competir. E vai ser um ano atípico, mas estou me preparando e me sinto pronto. Fico feliz de estar de volta", disse o atleta, em coletiva de imprensa promovida pela empresa Espaçolaser.

De malas prontas para embarcar rumos aos Estados Unidos, Medina afirmou que tirou proveito do período que esteve isolado durante a pandemia. "Eu precisava de um tempo em casa, faz 10 anos que eu compito e não tenho rotina. Na pandemia, me senti uma pessoa normal, mas agora deu saudades", ressaltou.

E 2021 promete mesmo ser um ano diferente. Além do mundial, Gabriel está classificado para disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio, que irá contemplar o surfe pela primeira vez na história. Segundo o representante brasileiro, não há como priorizar um ou outro campeonato, e ele vai em busca da conquista de ambos. "Meu foco está nos dois. Por isso eu treino todos os dias. Quero sim ganhar uma medalha e também meu tricampeonato, esse é meu maior objetivo", comentou o bicampeão, nas temporadas de 2014 e 2018.

No mundial da WSL, o ano que está por vir também trará algumas mudanças. O primeiro diz respeito ao formato. O modelo de pontos corridos foi abolido, e o título será decidido em um evento de um dia, batizado de "The WSL Finals" (As Finais da WSL), que será disputado pelas cinco mulheres e os cinco homens melhor qualificados durante a 10 etapas da temporada. O local do evento é a praia de Trestles, na Califórnia.

Medina avaliou a mudança. "Estou acostumado a decidir título lá, mas agora vai ser no começo. Então eu acho que vai ser menos tenso. É uma etapa que considero boa para mim, um estilo de onda que eu gosto. O encerramento vai ser na Califórnia, que eu considero ser uma onda mais fraca. Não seria o ideal para decidir um campeonato. Mas estou preparado para o que der e vier", concluiu o surfista.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Deixe seu comentário