Gazeta Esportiva

Por fraude, Ministério Público entra com ação contra o presidente da CBDA

São Paulo, SP

21/09/16 | 14:24 - 21/09/16 | 18:31

Coaracy é presidente da CBDA há 28 anos (Foto: Divulgação/CBDA)
Coaracy é presidente da CBDA há 28 anos (Foto: Divulgação/CBDA)

O Ministério Público Federal, por meio da procuradora da República Thaméa Danelon Valiengo, iniciou processo contra o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes Filho, por suspeitas de fraudes em licitações para comprar itens esportivos com recursos federais, em 2014.

O mandatário, assim como o diretor financeiro da CBDA, Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga, também foi incluído no processo de improbidade administrativa. O cálculo indica que o dano financeiro é de R$1,5 milhão, nos valores atuais. Cinco empresas também estão citadas no caso.

O esquema foi descoberto por uma operação do Ministério Público, chamada Operação Águas Claras. Nota oficial do órgão explica a situação: "O repasse foi feito por meio de um convênio firmado com o Ministério dos Esportes. Do total de R$ 1,56 milhão, 79% foram pagos a uma empresa de fachada, a Natação Comércio de Artigos Esportivos, principal beneficiária das fraudes".

O Ministério Público pede também que os bens de todos os envolvidos sejam bloqueados. O montante seria o suficiente para cobrir o valor da multa, em caso de condenação. Ao fim do processo, o órgão pede, além do pagamento dos valores fraudados, a suspensão dos direitos políticos dos condenados.

Por fim, a nota oficial também recomenda o afastamento dos dirigentes da CBDA de seus respectivos cargos, enquanto o processo estiver em andamento. Coaracy é um dos presidentes mais longevos do esporte brasileiro, comandando a entidade desde 1988.

 

Deixe seu comentário