João Gomes retorna às piscinas em primeiro; Pereira abandona Finkel

São Paulo, SP

20-08-2015 12:11:52

Impedido de competir por seis meses ao ser pego em exame antidoping no final do ano passado, o nadador João Gomes Júnior sentiu “a melhor sensação do mundo” após fazer sua primeira prova no retorno às piscinas. Nesta quinta-feira, o capixaba nadou para 1min00s47 nas eliminatórias dos 100m peito do Troféu José Finkel, disputado em São Paulo. Com o resultado, João iguala o recorde do campeonato, que pertencia a ele mesmo, e garante uma vaga na final, marcada para acontecer a partir das 18h30 (de Brasília).

Em fevereiro, a Federação Internacional de Natação (Fina) suspendeu o brasileiro por seis meses pelo uso de substâncias proibidas no Mundial de Piscina Curta de Doha. O atleta de 29 anos foi flagrado em exame antidoping pelo uso de hidroclorotiazida, um diurético que pode mascarar o uso de outras substâncias. Segundo um documento da entidade, todos os resultados de João no torneio foram anulados. Portanto, ele perdeu os ouros do 4x50m medley, do 4x100m medley e do 4x50m medley misto.

“A sensação é a melhor do mundo. Não tenho nem o que falar e sim fazer. Lógico que queria nadar na casa dos 59 segundos, mas estou feliz demais, poder respirar isto novamente. Foi bastante difícil ter ficado de fora de duas competições importantíssimas (Pan e Mundial) para o treinamento no ciclo olímpico”, comemorou João, que foi seguido de perto por Felipe Lima, do Minas Tênis, com 1m00s91, e Felipe França França, com1m00s94.

“Agora quebrei o gelo e à tarde, vou tentar nadar melhor. Acho que Deus não põe nenhuma dificuldade que não possamos carregar. Já passou, carreguei meu fardo, agora é bola pra frente. Estou mais fortalecido mentalmente e muito mais disposto. Quero muito isto”, acrescentou o nadador de 29 anos.

Thiago Pereira fora

Thiago Pereira está fora do José Finkel. De acordo com o site oficial da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o carioca “apresenta um quadro febril e está tomando antibióticos para combater uma sinusite”.

Embora tenha apresentado infecção antes mesmo do Finkel, Thiago nadou os 100m borboleta e os 400m medley, mas após ir ao médico desistiu de continuar na competição em que defendia o Minas Tênis. O "Mr.Pan" vem de duas competições internacionais importantes: o Pan de Toronto, em julho, quando se tornou o maior medalhista da história do evento ao competir em cinco provas, e na sequências disputou o Mundial de Kazan, onde levou a prata nos 200m medley.

Outras provas

Nos 100m peito feminino, a australiana Taylor McKeown, um dos grandes nomes da competição, foi a mais rápida e, de quebra, bateu o recorde do campeonato, com 1min09s34. Jhennifer Conceição, que disputou os Jogos Pan-Americanos de Toronto e o Mundial de Kazan, veio a seguir com 1min09s54. O terceiro tempo foi registrado por Beatriz Travalon ao nadar para 1min10s40.

Nos 200m borboleta masculino, o melhor tempo ficou com o recordista sul-americano da prova, Kaio Márcio, que nadou a distância em 1min59s31, seguido por Lucas Salata, com 2min00s33. Na versão feminina, Joanna Maranhão, também recordista sul-americana da prova, garantiu um lugar na final com o tempo de 2min14s68, bem à frente da segunda colocada das eliminatórias, Giovanna Diamante, que fez 2min18s20.

Deixe seu comentário