Em prova com 113 nadadores, Fratus avança em 5º à semi dos 50m livre

São Paulo, SP

07-08-2015 07:37:14

Sem a presença do lesionado Cesar Cielo, o Brasil avançou com Bruno Fratus às semifinais dos 50m livre, prova mais encorpada do Mundial de Kazan, com nada menos que 113 competidores. Na madrugada desta sexta-feira, o brasileiro cravou o quinto melhor tempo no geral, com 22s01. Favorito a conquistar a medalha de ouro, o francês Florent Manaudou registrou a melhor marca da manhã: 21s71. As disputas por vagas na final acontecerão a partir das 11h30 (de Brasília).

Os 113 competidores que disputaram as eliminatórias da prova mais rápida da natação foram divididos em 12 baterias. O número de atletas só não foi maior porque sete desistiram. Um deles foi o tricampeão mundial Cesar Cielo, cortado na última quarta-feira após ser detectada uma lesão em seu ombro esquerdo.

“Está legal, entrei na semi. É como dizem: Se você tem uma raia tem uma chance. Foi uma boa prova para a manhã. Agora qualquer colocação entre o 10º e o 16º é praticamente a mesma coisa. Tempo e colocação que importa mesmo é amanhã à noite (sábado, quando acontecerá a final dos 50m livre). Não dá muito pra saber dos adversários. Está tudo certo. Estou confiante”, declarou Bruno Fratus, que ainda não conseguiu medalhas em Mundiais.

Bruno Fratus avançou à semi dos 50m livre com o quinto melhor tempo (Foto: Satiro Sodré/SSPress)
Bruno Fratus avançou à semi dos 50m livre com o quinto melhor tempo (Foto: Satiro Sodré/SSPress)

Ainda nas provas de grande velocidade, Daynara de Paula nadou para 26s49 nos 50m borboleta, 16º tempo, e também angariou uma raia na semifinal, repetindo o feito de Roma, em 2009. A sueca Sarah Sjostrom foi a mais veloz entre todas, com a marca de 25s43.

“Vou dar a vida pra pegar a final. Respirei acho que umas quatro vezes e o P.C (Paulo Cesar Marinho, biomecânico da seleção) vai brigar muito comigo. Como eu treino para os 100m, eu tenho que respirar, mas se eu não parar tanto acho que já dá pra melhorar bastante. Agora é a parte legal. É só ir, não tem que voltar”, brincou Daynara.

Estreante em Mundiais, Arthur Mendes foi o 24º (52s55) nos 100m borboleta e ficou de fora das semifinais. O húngaro Laszlo Cseh registrou o melhor tempo das eliminatórias: 50s91. Em sua quarta prova em Kazan, nos 200m costas, Joanna Maranhão terminou na 21ª posição e deixará Kazan sem medalhas.

Já no revezamento 4x200m livre masculino, o quarteto nacional formado por Luiz Altamir, João de Lucca, Thiago Pereira e Nicolas Nilo fizeram apenas o 15º tempo, com 7min16s85 e, diferente da eq uipe feminina, não conseguiu a vaga olímpica, em que precisa estar entre os 12. Com isso, os brasileiros buscarão o lugar no Rio 2016 com o tempo do Pan (7min11s15), na repescagem mundial.

“Sabíamos que seria uma prova difícil, mas confio que ainda vamos conquistar esta vaga na repescagem. Fizemos uma preparação forte para estar bem no Pan e estou conseguindo melhorar alguns tempos no Mundial. Não é fácil, mas temos que pensar sempre na superação e esquecer os problemas, até porque nas Olimpíadas também não vai ser nada fácil”, analisou Thiago Pereira.

Deixe seu comentário