Brasil fica em 10º no combo e deixa Kazan com "saldo positivo"

São Paulo, SP

01-08-2015 20:58:24

A rotina livre combinada apresentada na tarde deste sábado levou o Brasil ao décimo lugar do combo no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan, na Rússia. As brasileiras do nado sincronizado utilizaram alçadas altas e coreografia animada, o “Faroeste” brasileiro, para somar 84.800 pontos e superar a pontuação atingida na fase eliminatória. O resultado final deixou o sentimento de satisfação e aumentou a expectativa para os Jogos Olímpicos de 2016 nas atletas que formaram a equipe nacional.

“Hoje nadamos bem melhor do que fizemos nas eliminatórias. A nota também subiu e estamos sempre querendo mais. Gostamos muito dessa nossa rotina e competir com a arquibancada cheia é sempre especial. No Rio vai ser ainda melhor”, analisou Pamela Nogueira.

Sabrina Lowy, de apenas 17 anos, foi responsável por algumas coreografias fora da água e ressaltou a importância de competir em alto nível: “Saímos com a sensação de missão cumprida. A nossa equipe cresceu muito durante a competição. Viemos de um período longo de treinamentos e já estávamos evoluindo, mas nessa competição, em especial, o grupo ficou mais unido e conseguimos fazer boas performances em todas as coreografias”.

Em Kazan, as brasileiras chegaram a quatro das cinco finais possíveis. Dentre elas, destaque para a prova do duelo livre, em que Duda e Luisa terminaram na 12ª colocação, entre 37 parcerias. Por equipes, além de chegar às finais, as nadadoras nacionais conseguiram elevar suas notas, principal objetivo estipulado pela comissão técnica antes da competição.

“O saldo foi bastante positivo. Conseguimos quatro finais em uma competição muito forte, entre as melhores do mundo, um ano antes das Olimpíadas. O dueto se destacou bastante, ao conquistar uma vaga na final, em uma prova muito difícil. As equipes também evoluíram, as atletas estão ganhando mais experiência. Estamos com duas coreografias novas e as notas subiram bastante do Pan-Americano para cá. Isto é muito importante”, analisou Maura Xavier.

O espetáculo, porém, ficou mais uma vez por conta das russas. Históricas e tradicionais por realizarem coreografias incríveis no nado sincronizado, as donas da casa conquistaram oito medalhas de ouro em nove provas disputadas. A única em que não conseguiram a maior nota foi na, inédita, disputa mista entre duetos.

Brasileiro não consegue vaga na semi da plataforma de 10m

Nos saltos da plataforma de 10m, o brasileiro Isaac Souza Filho terminou apenas na 36ª colocação nas eliminatórias, com 352,25 pontos, ficando de fora das semifinais, fase que reuniu os 18 melhores saltadores.

Deixe seu comentário