Handebol

Após a vitória do Catar sobre a Polônia na primeira semifinal, a França venceu a Espanha por 26 a 22 e se classificou para enfrentar os donos da casa no Mundial de Handebol. Em jogo muito equilibrado, a equipe francesa arremessou menos a gol, mas foi mais eficiente nas tentativas e superou os espanhóis.

A seleção do Catar fez história ao vencer a Polônia por 31 a 29 na tarde desta sexta-feira e se tornar a primeira seleção não europeia a se classificar para a final do Mundial de Handebol. Jogando diante de sua torcida, a seleção recheada de estrangeiros naturalizados (nove dos 15 convocados) e comandada pelo técnico espanhol Valero Rivera se manteve à frente no placar na maior parte do jogo.

No Campeonato Mundial de handebol masculino do Catar, os anfitriões garantiram uma vaga inédita na fiinal ao bater a Polônia por 31 a 29 nesta sexta-feira e se tornaram a primeira seleção não europeia a estar entre os três melhores da competição. O bom desempenho da equipe, contudo, é alvo de críticas por parte das outras seleções, já que dos 16 atletas que defendem o Catar, nove não nasceram no país e todos eles recebem benefícios em dinheiro pelos triunfos.

A Seleção Brasileira de handebol não conseguiu chegar às inéditas quartas de final no Campeonato Mundial do Catar e teve o mesmo desempenho de 2013, na Espanha, quando foi eliminada nas oitavas de final para a Rússia por apenas um gol de diferença (27 a 26). Desta vez, o panorama se repetiu diante da Croácia (26 a 25). Apesar de não ter saído do “quase”, o técnico Jordi Ribera acredita que a equipe verde-amarela demonstrou evolução e jogou de igual para igual com Espanha (29 a 27), Eslovênia (35 a 32) e Croácia, três das quatro semifinalistas da última edição do torneio, e cumpriu a meta de estar novamente entre as 16 melhores.

Atual campeã do Mundial de handebol masculino, a Espanha se manteve na disputa do torneio ao avançar às semifinais nesta quarta-feira, em Doha, no Catar. A seleção ibérica sofreu, mas superou a Dinamarca nas quartas pelo placar de 25 a 24.

O Brasil terminou apenas em 16º lugar no Mundial de Handebol do Catar, mas foi uma das grandes revelações ao fazer frente a seleções com muita tradição no esporte, como a Croácia, bronze na última edição e líder do Grupo B, para quem perdeu por apenas um gol de diferença (26 a 25) nas oitavas de final. A Seleção Brasileira demonstrou evolução e conquistou duas vitórias, diante de Bielorrússia e Chile, mas não passou vergonha diante da atual campeã Espanha e da Eslovênia, quarta colocada em 2013. O técnico Jordi Ribera fez uma avaliação do desempenho verde-amarelo e sentenciou: a equipe merecia ter ido além na competição.

Única representante da América que ainda tinha chances de chegar às quartas de final do Mundial de Handebol, a Argentina foi eliminada nesta segunda-feira pela França por 33 a 20. Em um segundo tempo muito equilibrado, os hermanos perderam por apenas três gols de diferença e não conseguiram reverter o chocolate francês da etapa inicial (16 a 6 e 17 a 14).


Mesmo contando com uma grande apresentação, o Brasil não conseguiu superar as oitavas de final do Mundial de handebol masculino neste domingo, em Doha, no Catar. A equipe brasileira impôs muitas dificuldades à Croácia, mas acabou sendo derrotada pelo placar de 26 a 25, ficando eliminada da competição.

A Seleção Brasileira terá a possibilidade de fazer história no Mundial de handebol masculino. Caso vença a Croácia no duelo do próximo domingo, a equipe do Brasil se classificará pela primeira vez para as quartas de final da competição. A tarefa é complicada, já que os croatas terminaram no terceiro posto no último torneio, realizado em 2013.

Mais na web