Mais Esportes/Ginástica

Escândalo sexual causa impacto financeiro na Federação de Ginástica dos Estados Unidos

São Paulo , SP
10/11/2018 12:03:08

Em: Bastidores, Ginástica, Mais Esportes
Federação terá de arcar com as indenizações do caso Larry Nassar (Foto: Jeff Kowalsky/AFP)

Larry Nassar, ex-treinador de ginástica da seleção feminina dos Estados Unidos, foi condenado a 360 anos de prisão por pornografia infantil e abusos sexuais cometidos contra as próprias atletas. Com isso, além de ter a imagem manchada, a USA Gymnastics (Federação de Ginástica dos Estados Unidos), agora terá de lidar com um grande prejuízo financeiro.

Nesta semana, a entidade divulgou um balanço das contas, e estima que o escândalo protagonizado por Lary Nassar causará um prejuízo de 75 a 150 milhões de dólares (R$280 a R$560 milhões), valor a ser pago em indenizações para as vítimas do ex-treinador.

A Federação espera que seguros cubram cerca de 75 milhões de dólares, mas ainda assim o estrago é grande. Desde o fim de 2016, quando o caso de Nassar começou a ser divulgado, a USA Gymnastics perdeu os patrocínios de Kellog, AT&T e Procter & Gamble. Em 2017, o caixa registou 28% de queda, despencando de 34,5 milhões de dólares (R$128 milhões) para 25 milhões de dólares (R$93 milhões), e as doações que a entidade recebe caíram de cinco milhões de dólares (R$18 milhões) para 3,9 milhões de dólares (R$14 milhões).

Além do caso Nassar, outro episódio que deve piorar ainda mais a situação da USA Gymnastics é o de Steve Penny. No mês passado, o ex-CEO, chefe da federação até março de 2017, foi preso por adulterar evidências e desviar documentos do antigo centro de treinamento dos EUA, onde Larry Nassar costumava realizar os abusos.