Ginástica/Mundial

Ginasta prejudicada pela CBG em 2014 mira vaga olímpica no Mundial

Bruno Ceccon - São Paulo , SP - Brasil
29/01/2015 18:36:00

Em: Ginástica, Mais Esportes

Prejudicada pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) no Mundial 2014, Angélica Kvieczynski tem como prioridade nesta temporada a edição de 2015 do evento. Com novas séries, a atleta vislumbra a possibilidade de se classificar para as Olimpíadas 2016 por meio do torneio.

Por uma falha da CBG, Angélica, melhor atleta da Seleção individual, foi inscrita apenas nas provas de arco e bola do Mundial da Turquia, perdendo as disputas de maças e fitas da competição, realizada no final de setembro de 2014. No começo da nova temporada, ela garante que o incidente já foi superado.

“Inicialmente, fiquei um pouco abalada e triste, porque treinei o ano inteiro para a competição, mas não tem motivo para continuar pensando nisso. Ainda sou atleta, minha carreira não acabou. A atenção (da CBG) vai ser redobrada e esse tipo de coisa não vai mais acontecer”, afirmou Angélica.

A edição de 2015 do Mundial de ginástica rítmica será realizada em Stuttgart entre os dias 7 e 13 de setembro. Para garantir vaga nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, é necessário terminar a competição na Alemanha entre as 12 melhores colocadas.

“É um Mundial pré-olímpico e espero já conseguir a vaga. Estou treinando para isso e acho que é possível”, disse Angélica, apoiada pela técnica Anita Klemann. “A possibilidade existe, mas ela vai precisar trabalhar muito. (A classificação) seria a melhor surpresa do mundo”, afirmou a treinadora.

A ginasta Angélica Kvieczynski sonha com a possibilidade de se classificar para os Jogos Olímpicos 2016
A ginasta Angélica Kvieczynski sonha com a possibilidade de se classificar para os Jogos Olímpicos 2016 – Credito: Fernando Dantas/Gazeta Press
Como sede dos Jogos Olímpicos, o Brasil já tem uma vaga garantida na disputa individual – a atleta do País melhor classificada em Stuttgart se garante em 2016. Embora teoricamente não seja necessário, Angélica deseja terminar entre as 12. “Quero ganhar a vaga nominal”, reiterou.

As atletas que não conseguirem conquistar uma das 12 vagas nos Jogos Olímpicos oferecidas pelo Mundial de Stuttgart podem tentar brigar por um dos oito lugares em jogo no evento-teste da modalidade, a ser disputado em abril de 2016, já no Rio de Janeiro.

Angélica Kvieczynski trabalha sob o comando da técnica Anita Klemann na cidade paranaense de Toledo. Nesta quinta-feira, no tradicional Clube Esperia, em São Paulo, a ginasta realizou um mix das novas séries que prepara para a temporada em exibição à imprensa.