Federação Americana de Saltos Ornamentais é acusada de ignorar casos de abuso sexual

São Paulo, SP

18-07-2018 10:36:53

Duas atletas norte-americanas de saltos ornamentais ofereceram uma denúncia à Corte Distrital dos Estados Unidos acusando a USA Diving (como é conhecida a federação do esporte) de ignorar casos de abusos sexuais cometidos por Will Bohonyi, ex-treinador da Universidade de Ohio.

Bohonyi já havia sido demitido logo depois que as primeiras acusações surgiram, em 2014. Foi apenas no segundo semestre de 2015, contudo, que o técnico entrou na lista dos banidos pelo USA Diving.

"É pior que a ginástica, pior que a natação. Isso é apenas o começo para a USA Diving", disse Jon Little, advogado das atletas, já projetando punições para a entidade.

Nesta segunda-feira, em meio a polêmica, a entidade emitiu um comunicado oficial buscando, pelo menos momentaneamente, esquivar-se do caso e das acusações.

"Fornecer um ambiente seguro para nossos membros é de tremenda importância para a USA Diving, e levamos essas questões muito a sério. A USA Diving não pode comentar mais nada neste momento", diz a nota.

Will Bohonyi é acusado de coagir uma das atletas a realizar atos sexuais, além de solicitar que lhe enviasse fotos nua quando ainda era menor de idade. A outra ainda afirma que o treinador criou um relacionamento abusivo em 2009, com atos sexuais diários.

"Bohonyi coagiu psicologicamente a mulher a acreditar que ela era obrigada a realizar serviços sexuais em troca de seu envolvimento contínuo nos saltos ornamentais. Ele atacou sua idade, sua vulnerabilidade e seus sonhos de se tornar uma atleta olímpica. Ele usou da estrutura de poder e da hierarquia treinador/atleta para que ela acreditasse que lhe devia serviços sexuais em troca de seu envolvimento no time da USA Diving", diz o processo.

Deixe seu comentário