Brasil derruba bastão e fica fora das finais do 4x100m em Pequim - Gazeta Esportiva
Brasil derruba bastão e fica fora das finais do 4x100m em Pequim

Brasil derruba bastão e fica fora das finais do 4x100m em Pequim

Gazeta Esportiva

Por Redação

29/08/2015 às 09:05

São Paulo, SP

Brasil derrubou o bastão já na primeira passagem de atletas, de Gustavo Santos (foto) para Aldemir Gomes da Silva Júnior (Foto: AFP)
Brasil derrubou o bastão já na primeira passagem de atletas, de Gustavo Santos (foto) para Aldemir Gomes da Silva Júnior (Foto: AFP)


O Brasil não terá representantes nas provas finais do revezamento 4x100m no Campeonato Mundial de atletismo, disputado em Pequim. A equipe masculina foi desclassificada por derrubar o bastão. Já a feminina ficou a 0s06 da vaga na briga por medalhas.

No 4x100m masculino, em que foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000, a equipe nacional derrubou o bastão já na primeira passagem de atletas, de Gustavo Santos para Aldemir Gomes da Silva Júnior. Bruno Lins e José Carlos Gomes Moreira, o Codó, completariam a prova nacional.

“Senti que o Gustavo vinha bem e me preparei para receber. Ainda senti o bastão, mas na sequência caiu e a prova acabou para nós. Agora vamos ter que analisar o que ocorreu e não repetir o erro", disse Aldemir.

O tempo mais rápido foi da Jamaica, que mesmo sem Usain Bolt em seu quarteto completou a prova em 37s41. A França fez a segunda marca das eliminatórias, 37s88, seguida por Estados Unidos, 37s91, China, 37s92, Antígua e Barbuda, 38s01, Canadá 38s03, Grã-Bretanha, 38s20, e Alemanha, 38s57.

Na versão feminina, o Brasil esteve perto de se classificar à final, mas ficou com a nona colocação das eliminatórias com a marca de 43s15, 0s06 mais lento do que a Rússia, que ficou com a oitava e última vaga na briga por medalhas. O time foi composto por Rosângela Santos, Bruna Farias, Vitória Rosa e Franciela Krasucki. A liderança também foi da Jamaica.

Esta foi a segunda frustração consecutiva do 4x100m feminino em Campeonatos Mundiais. Em Moscou 2013, o País ocupava a segunda colocação na final quando derrubou o bastão na última passagem de atletas e acabou perdendo uma medalha praticamente certa.

Conteúdo Patrocinado