Basquete/Jogo das Estrelas

Pivô do Franca é premiado por Grant e revela inspiração nos Bulls

Bruno Ceccon, enviado especial - Franca , SP -
07/03/2015 10:00:07

Em: Basquete, Mais Esportes

André Coimbra iniciou a carreira no basquete inspirado pelo sucesso do Chicago Bulls no começo dos anos 1990. Na noite desta sexta-feira, o pivô do Franca venceu o torneio de enterradas do Jogo das Estrelas e foi premiado pelo norte-americano Horace Grant, ex-companheiro de Michael Jordan na franquia da NBA.

No ponto alto das disputas individuais, Coimbra e Maxwell, do Brasília, travaram uma batalha acirrada nas enterradas diante de um júri seleto, formado por Hélio Rubens, Hortência, Chuí, Alex Garcia e Grant, que veio ao Brasil por meio de uma parceria da NBA com a Liga Nacional de Basquete (LNB).

Apoiado maciçamente pela torcida que lotou o Ginásio Pedrocão, Coimbra bateu Maxwell apenas no desempate. Das mãos de Grant, tricampeão da NBA pelo Chicago Bulls entre as temporadas de 1991 e 1993, recebeu um troféu e um cheque no valor de R$ 5 mil.

“O cara tem quatro anéis (de campeão) da NBA, amigão!”, disse Coimbra, já que Grant também triunfou pelo Los Angeles Lakers em 2001. “É uma emoção muito grande. Comecei a jogar basquete vendo aquele time lendário do Michael Jordan, do qual ele também participou. Esse dia foi especial e nunca vou esquecê-lo”, completou.

Coimbra soube como mexer com a torcida. Ele entrou em quadra com duas camisas e, antes de iniciar a disputa, tirou uma delas, ficando apenas com o uniforme estampado com a inscrição “Hélio Rubens” nas costas. Assim, levantou o público e ainda ganhou um aliado no júri.

André Coimbra iniciou a carreira inspirado pelo Chicago Bulls e foi premiado pelo astro Horace Grant em Franca
André Coimbra iniciou a carreira inspirado pelo Chicago Bulls e foi premiado pelo astro Horace Grant em Franca – Credito: William Lucas/Inovafoto
“Como jurado, você tem que levar em conta a força e a velocidade. O Coimbra fez com perfeição, e tem um detalhe a mais: estava com meu nome atrás da camisa”, afirmou um sorridente Hélio Rubens, símbolo da equipe que conquistou um total de 11 títulos nacionais.

“Ele é uma lenda do basquete brasileiro e nada mais justo do que homenagear uma pessoa tão grande na modalidade. Todos os títulos nacionais que o Franca conquistou, o Hélio Rubens participou como jogador ou como técnico. Então, vou homenagear quem?”, retribuiu Coimbra.

O pivô do Franca mostrou criatividade e surpreendeu os jurados ao enterrar com uma bola lançada na quadra das arquibancadas, ideia do roupeiro da equipe. Apesar do sucesso na disputa, Coimbra não se considera um especialista, e atribui o sucesso aos fãs.

“Normalmente, eu pulo 1m. Com a torcida, já aumenta para 1,5m. O público é o grande responsável por isso. Não sou um especialista em enterradas, mas o mágico tem dessas coisas. André Coimbra fazendo mágica! Valeu a emoção e a adrenalina”, disse o campeão, rindo.

Confira todos os ganhadores:

– Masculino
Desafio de Habilidades – Thiaguinho (Liga Sorocabana)
Desafio de Arremessos – Time Chuí (Chuí/Helinho/Adrianinha)
Desafio dos 3 pontos – Marcelinho Machado (Flamengo)
Desafio de Enterradas – André Coimbra (Franca Basquete)

– Feminino
Desafio de Habilidades – Wheeler (Sport Club do Recife)
Desafio dos 3 pontos – Stephany Thomas (Basquete Jaraguá)

*O repórter viaja a convite da Liga Nacional de Basquete