Iziane aposta em experiência e força ofensiva para agregar à Seleção

São Paulo, SP

28-07-2015 18:35:46

Após quase três anos afastada, a ala Iziane está de volta à Seleção Brasileira. A jogadora do Maranhão Basquete foi convocada pelo técnico Luiz Augusto Zanon para compor a equipe que disputará o Pré-Olímpico de Edmonton, no Canadá, entre os dias 9 e 16 de agosto. Aos 33 anos, a atleta que já teve passagens pela WNBA e pela Europa acredita que sua experiência e sua força ofensiva serão as principais contribuições para o time em busca de uma vaga nos Jogos do Rio 2016.

“Eu venho para somar, sendo uma referência para as mais novas e um apoio para a equipe em geral. Quero com a minha experiência ajudar o grupo, principalmente com meu poder de decisão ofensiva, que sempre foi a minha melhor qualidade como atleta. Espero que possa realmente dar o meu melhor e conseguir passar toda essa experiência de tantos anos de jogos internacionais para o time”, explicou a atleta em entrevista ao site da Confederação Brasileira de Basquete (CBB).

Iziane ficou conhecida por suas polêmicas dentro da Seleção. No ciclo olímpico de Pequim 2008, a maranhense se desentendeu com o então técnico Paulo Bassul, se recusou a entrar em quadra na prorrogação diante da Bielorrússia no Pré-Olímpico de Madri e foi cortada. A ala chegou a ser convocada posteriormente, mas recusou o chamado e só retornou sob o comando de Luiz Cláudio Tarallo em 2011.

Iziane aceitou o chamado de Zanon e aposta em experiência para contribui na busca por vaga olímpica (foto: Divulgação/Marcos Chuá)
Após três anos afastada, Iziane retorna e se vê como "referência" para a equipe nacional (foto: Divulgação/Marcos Chuá)

A jogadora participou de alguns torneios, como o Pan de Guadalajara 2011, mas levou seu namorado para a concentração pouco antes das Olimpíadas de Londres e foi cortada novamente. Iziane prefere deixar essas histórias de lado e focar nos próximos desafios que a Seleção terá pela frente. E as expectativas são as “melhores possíveis”.

“O Pré-Olímpico é o nosso primeiro passo visando o grande momento do esporte brasileiro, que são os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Mesmo sabendo das dificuldades que teremos na competição, estou confiante em um resultado positivo”, projetou Iziane, que elogiou a filosofia de jogo e a proposta de renovação do técnico. "Gostei muito do estilo do trabalho do Zanon. Acho que ele incorpora o basquete internacional dentro das características das nossas jogadoras tentando assim elevar o nível tecnico do grupo."

A delegação já está concentrada na cidade de São Sebastião do Paraíso, no interior de Minas Gerais, se preparando para o torneio que pode garantir a vaga olímpica. Devido a uma dívida da CBB para com a Federação Internacional de Basquete (Fiba), a entidade ainda não decidiu se irá ceder o convite de país-sede ao Brasil ou se a Seleção deverá buscar a classificação dentro de quadra. Diante da indefinição, as atletas querem reparar os erros vistos no Pan para chegarem com força total em Edmonton. As comandadas de Zanon perderam a semifinal para o Canadá, mas venceram Cuba na disputa de terceiro e voltaram para casa com o bronze no peito.

“A preparação está bastante intensa. Estamos com a competição batendo na porta e precisamos consertar tudo aquilo que não funcionou em Toronto, além de me incorporar e as outras jogadoras novas no esquema tático. Assim chegaremos prontas em Edmonton. Precisamos melhorar muito a nossa intensidade de jogo, juntamente com tomadas de decisões ofensivas. É nisso que estamos trabalhando”, acrescentou a atleta, já pensando nos planos para o futuro.

“As expectativas são muito boas. Com o Maranhão Basquete vamos em busca do título da LBF. Espero também que a vaga olímpica venha para o Brasil. E a partir daí começar um novo ciclo de preparação visando os Jogos do Rio. Quero muito defender as cores nacionais em casa e obviamente conquistar uma medalha. Em paralelo a isso, quero continuar desenvolvendo o instituto Iziane Castro e suas ações sociais e os projetos junto a comunidade”, finalizou.

Membro do grupo B, o Brasil estreia no Pré-Olímpico de Edmonton diante da Argentina, no dia 9 de agosto. Os outros adversários da primeira fase serão Equador, Ilhas Virgens e Venezuela. Já na chave A estão as seleções do Canadá, Chile, Cuba, Porto Rico e República Dominicana. Apenas o campeão assegura a participação nas Olimpíadas.

Antes do embarque para o hemisfério norte, previsto para o dia 5 de agosto, a equipe fará dois amistosos contra o Chile, nos dias 29 e 30 de julho.

Deixe seu comentário