Com força total, Real Madrid domina o Bauru e é pentacampeão mundial

São Paulo, SP

27-09-2015 14:07:43

Não foi dessa vez que o Bauru levantou a taça de campeão Mundial de Clubes. Neste domingo, no Ginásio do Ibirapuera, a equipe do interior paulista viu o Real Madrid se impor e não dar nenhuma chance de reação. Pelo placar de 91 a 79, os madrilenos conquistaram o pentacampeonato sobre os brasileiros.

Blog do Abad: "Real Madrid ganha o sonhado penta"

A partida foi dominada pelos espanhóis durante todo o tempo, já que não deixaram os bauruenses assumirem a liderança no placar nenhuma vez. A equipe chegou a empatar em alguns bons momentos, mas desperdiçou claras chances de passar à frente.

Apesar dos esforços, o cestinha da partida foi brasileiro. Ricardo Fischer, com várias cestas de três, marcou 26 pontos no total. Pelo lado vencedor, Jaycee Carroll foi o maior pontuador, com 22.

O Bauru apostou na sua força máxima. Ricardo Fischer, Alex Garcia, Robert Day, Jefferson William e Rafael Hettsheimeir formaram o quinteto que iniciou a partida. Enquanto isso, desfalcado do armador Rudy Fernández e de Jeffery Taylor, o Real Madrid entrou em quadra com Jonas Maciulis, Sergio Llull, Jaycee Carroll, Gustavo Ayón e Felipe Reyés.

O jogo – Na primeira disputa, posse de bola inicial para o Bauru. A primeira falta da partida foi marcada pela equipe espanhola. Hettsheimeir foi segurado no próprio garrafão do Bauru, e a posse de bola foi para os paulistas. Na sequência, vieram os dois primeiros pontos do jogo, marcados pelo Real Madrid. Jaycee Carroll, que mais tarde mostraria seu domínio, inaugurou o marcador.

O próprio Carroll acertou uma cesta de três pontos, abrindo cinco de vantagem para os bauruenses. Do lado brasileiro, a bola parecia não cair nos três primeiros minutos de jogo. Precisando marcar pontos, a equipe não se encaixava. Jefferson cedeu a primeira bola lateral, que rendeu uma bandeja de Llull e mais dois pontos para os espanhóis. Assim, Guerrinha decidiu paralisar a partida. (8-0)

A primeira cesta do Bauru veio em uma cobrança de lance livre. Alex Garcia perdeu o primeiro, mas converteu o segundo. Rafael Mineiro não desperdiçou chance e marcou mais dois pontos para a equipe bauruense. Em seguida, Fischer e Hettsheimeir acertaram belos chutes de três, que diminuíram a diferença para sete pontos. Ao final da primeira parcial, Nocioni marcou uma cesta de três pontos em erro grosseiro de marcação do Bauru. (24-15).

No início da segunda parcial, o Bauru não conseguia controlar a partida. Fischer converteu uma bela cesta de três pontos, na tentativa de recuperar a distância no marcador imposta pela equipe madrilena. Alex conseguiu levantar a torcida, ao marcar bem a saída de bola do Real e engatar mais dois pontos. Com isso, Pablo Laso pediu tempo para reorganizar seus comandados. (28-22).

Com o tempo, o Bauru começou a se encaixar, e com belíssimo arremesso de Meidl, mais três pontos na conta dos paulistas. Em seguida, para levar o Ibirapuera à loucura, Rafael Mineiro enterrou linda bola no contra ataque, empatando a partida. (29-29).

Ao ver a equipe brasileira se recuperar, os madrilenos passaram a perder o foco no jogo. Sergio Rodríguez, ao cometer segunda falta técnica, foi expulso, sofrendo uma sonora vaia das arquibancadas. O Bauru conseguiu encostar no marcador, com a terceira cesta de três de Fischer no jogo. (37-36).

Uma derrapada fatal da defesa do Bauru no final da parcial ajudou o Real a marcar mais uma bola de bandeja. Assim, os espanhóis foram para o intervalo com nove pontos de diferença, em 49 a 40.

No retorno à quadra, Alex inaugurou as cestas com um belo arremesso de três. Ambas as equipes não conseguiam derrubar seus chutes, que sempre paravam nas mãos do adversário. Durante toda a parcial, poucos pontos. Fischer, na bandeja, levou o Bauru a encostar novamente no placar. (52-48).

Robert Day manteve o ritmo das bolas de três, e ao converter, diminuiu mais ainda a distância no marcador. Em seguida, em dois lances livres, Hettsheimeir empatou novamente a partida, em 53 a 53. A equipe bauruense teve duas chances de finalmente assumir a liderança no placar, mas nenhuma delas foi convertida.

Assim, o Real voltou a abrir vantagem e abriu seis pontos. Com mais uma cesta de três pontos, os madrilenos finalizaram a parcial com os mesmos nove pontos de diferença para os paulistas, em 66 a 57.

Na última parcial, Alex conseguiu diminuir a vantagem do Real Madrid com uma cesta de três pontos. A partida permanecia equilibrada, mas os espanhóis não erravam os chutes de três. Thompkins e Llull, duas vezes, marcaram e abriram 12 pontos. Assim, Guerrinha pediu tempo, para tentar conter o ímpeto do Real. (80-68).

Faltando dois minutos para o final da partida, a equipe espanhola impôs ao Bauru a maior distância no placar. Com cesta de três, o Real abriu 13 pontos à frente. Carroll, imbatível, continuou marcando seus lances de três. Apesar das tentativas de Fischer, que respondeu com outra de três, não foi suficiente. Com 91 a 79, o placar zerou, e a vitória foi espanhola no Ibirapuera.

Deixe seu comentário