Revezamento 4x100m e salto triplo do Brasil ficam em 7º lugar no Mundial de Atletismo

São Paulo, SP

24/07/22 | 02:18

O Brasil ficou com o sétimo lugar nas finais do 4x100m masculino e salto triplo neste sábado, no estádio Hayward Field, pelo Mundial de Atletismo, em Oregon, nos EUA.

No revezamento 4x100m masculino, a equipe brasileira composta por Rodrigo do Nascimento, Felipe Bardi, Derick Souza e Erick Cardoso cravou 38s25, seu melhor resultado no ano, mas insuficiente para garantir um pódio. Na semifinal, os atletas haviam cruzado a linha de chegada em 38s41.

“Nossa passagem foi melhor, porém o individual de cada um não foi tão bom”, comentou Rodrigo. “Corremos na raia 1, mas eu tive como parâmetro a Jamaica e os Estados Unidos, equipes fortes. Então acho que não atrapalhou muito”, acrescentou Derick. “A gente sempre quer mais, mas saímos da pista de cabeça erguida”, disse Felipe. “O time estava bem concentrado e acertamos todas as passagens, mas queremos ser melhores”, concluiu Erik.

O Canadá ficou com a medalha de ouro, surpreendendo o estádio em Eugene. Os EUA ficaram com a medalha de prata. A Grã-Bretanha fechou o pódio da prova.

Salto triplo

No salto triplo, Almir Júnior também ficou com o sétimo lugar com 16,87m (0.1), marca obtida em sua terceira tentativa. O português de origem cubana Pedro Pichardo, com 17,95m (0.3) ficou com a medalha de ouro. Hugues Fabrice Zango, de Burkina Fasso, ficou com a prata, com 17,55m (1.4), enquanto o chinês Yaming Zhu garantiu o bronze com 17,31m (-0.8).

“Estou feliz porque consegui obter uma constância de resultados, abaixo do que eu esperava. Eu quero ser constante acima dos 17 metros. Infelizmente hoje não consegui encaixar a prova para cima, não faltou vontade, não faltou luta”, comentou o mato-grossense. “Sei que eu posso mais, e vou trabalhar para a próxima temporada, visando o novo Mundial e mais a longo prazo os Jogos de Paris-2024.”

Deixe seu comentário