Após escândalo, Iaaf anuncia medidas de proteção a “atletas limpos”

São Paulo, SP

05-10-2015 13:06:51

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) começa a se mexer após o escândalo de inúmeros casos de doping que atingiu o mundo do atletismo em agosto. Nesta segunda-feira, o presidente da entidade, o britânico Sebastian Coe, anunciou que serão feitos testes antidoping “mais rápidos” para garantir que os atletas “limpos” não sejam injustamente acusados de dopagem por conta de rumores.

“Tecnicamente é muito complicado, mas vamos tratar de que o tempo entre os testes e as punições seja mais curto”, declarou o bicampeão olímpico dos 1.500m, durante uma reunião em Nova Delhi, na Índia.

No dia 2 de agosto, o jornal britânico Sunday Times e televisão alemã ARD/WRD, que tiveram acesso a 12.000 exames de sangue de cinco mil atletas, revelaram em uma reportagem conjunta que um terço das medalhas conquistadas em importantes competições de atletismo entre 2001 e 2012 poderiam ser resultados de doping.

No mais alto cargo da Iaaf desde o fim de agosto, Coe reforçou seu desejo de restaurar a imagem da entidade que regula o atletismo mundial. “Também vamos introduzir testes mais independentes”, disse o ex-atleta, que em sua campanha à presidência já havia sugerido a criação de um órgão independente da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

“Nossa responsabilidade é proteger os atletas limpos, não apenas punir os dopados. Quando conquistei meus oito recordes mundiais, muitos deram a entender que aquilo não era somente devido ao meu rendimento”, explicou o britânico.

Por fim, Coe ainda declarou sua intenção de criar um “comitê de ética” para sensibilizar os jovens atletas sobre os problemas com o doping.

Deixe seu comentário