6 grandes atacantes que nunca tiveram destaque no Brasileirão

São Paulo, SP

22-09-2020 14:27:00

O futebol brasileiro sempre foi reconhecido mundialmente por revelar grandes jogadores, dentre eles os atacantes sempre foram destaque. Pelé, Romário, Bebeto, Edmundo… A lista é enorme. E na atual edição do Brasileirão, estamos muito bem servidos de goleadores que em edições anteriores do torneio sagraram-se como grandes artilheiros, como Fred (2012/2014/2016), William Pottker (2016), Jô (2017), Diego Tardelli (2009), Diego Souza (2016) e Gabriel Barbosa (2018/2019).

Porém, há aqueles grandes atacantes que marcaram história no Brasileirão pelo futebol apresentado e gols marcados, mas que nunca conseguiram se tornar o artilheiro da competição. Para matar a saudade desses craques, lembraremos alguns deles.

1 - Luizão

Um camisa 9 nato, o centroavante teve passagens por inúmeros grandes clubes brasileiros durante os anos de 1990 e 2000. Vasco, Palmeiras e Corinthians são apenas alguns deles - clubes muito populares até mesmo para quem curte apostar, podendo buscar um catálogo que reúne todos os sites de apostas confiáveis para dar aquele palpite com segurança. Em sua extensa gama de conquistas particulares, Luizão é o maior goleador de edições da Copa do Brasil (1996) e também da Libertadores da América (2000). Contudo, nunca conseguiu repetir o mesmo desempenho no Campeonato Brasileiro.

2 - Dodô

Também conhecido como o artilheiro dos gols bonitos, o atacante defendeu as cores de gigantes nacionais - Santos, São Paulo, Fluminense, Botafogo e Vasco. Em todo time que passou deixou sua marca, sendo o goleador do Paulistão de 1997 e dos Campeonatos Cariocas de 2006 e 2007. Mas, mesmo estando entre os 20 maiores goleadores do Brasileirão, nunca conseguiu ocupar a 1º colocação em uma edição.

3 - Jardel

O centroavante era um exímio cabeceador, e segundo ele foi quem ensinou Cristiano Ronaldo a fazer gols de cabeça quando jogaram juntos no Sporting. Jogou boa parte da sua carreira em equipes portuguesas, porém apareceu para o futebol defendendo o Vasco e, posteriormente, o Grêmio. Ganhou títulos importantes pelas duas equipes, sendo o goleador máximo da edição de 1995 da Libertadores vencida pelo Grêmio. Além disso foi o maior jogador que fez mais gols na Europa em 1999 e 2002, conquistando duas vezes a chuteira de ouro. No período em que jogou em Portugal, foi artilheiro do Campeonato Português em diversas ocasiões. Contudo, no Brasileirão deixou um pouco a desejar.

4 - França

Extremamente veloz e com uma finalização de fazer inveja a qualquer um, França teve seu melhor momento quando vestia a camisa do São Paulo, entre 1996 e 2002. Pelo clube paulista, ultrapassou a incrível marca dos 180 tentos, e conseguiu ser o artilheiro de duas edições do Paulistão em 1998 e 2000, além do torneio Rio-São Paulo de 2001 e 2002. Mas, no Campeonato Brasileiro, nunca conseguiu repetir a façanha.

(Foto: Acervo/Gazeta Press)

5 - Evair

Esse jogava de terno e gravata, sua habilidade em dar passes decisivos e a capacidade de finalização lhe renderam apelidos como “Matador” e “Garçom”. Apesar de ter se tornado jogador profissional em sua passagem pelo Guarani, foi no Palmeiras que Evair se tornou ídolo, onde ajudou a equipe na conquista do bicampeonato paulista e no bicampeonato nacional. Ele também está entre os 20 maiores goleadores do campeonato brasileiro, porém nunca ocupou o posto mais alto em uma edição. Agora, quando o assunto são os torneios estaduais, ninguém conseguiu marcar mais gols que Evair nas edições de 1988 e 1994, sendo que neste ano de 94 foi o jogador brasileiro que mais balançou as redes.

6 - Ronaldo

Esse dispensa apresentações, Ronaldo o “Fenômeno” é sem dúvidas um dos maiores atacantes da história do futebol mundial. Passou por gigantes da Europa, como Real Madrid, Barcelona, Internazionale de Milão e Milan. Entre os principais títulos da carreira está a Copa do Mundo, sendo o goleador máximo da edição de 2002 com 8 gols, além de ser eleito o melhor jogador do mundo. Apesar disso tudo, ficou um pouco distante da artilharia do Brasileirão.

Deixe seu comentário